De antemão, o fotógrafo Paulo Lisboa é o mais novo integrante da equipe da 100fronteiras, a qual é cercada por profissionais pautados no meio jornalístico e digital.

Com mais de dez anos de profissão, ele é um livro aberto para contar suas experiências profissionais, que muito nos admira. Para quem não conhece esse excelente profissional nós vamos lhe apresentar. Conheça mais do repórter fotográfico Paulo Lisboa.

Paulos Lisboa é natural de Belém do Pará, capital do estado do Pará. Cidade onde deu seus primeiros passos como repórter fotográfico.

Paulo Lisboa
Foto: Paulo Lisboa

No ano de 2008, tinha um birô de serviço gráfico e assim saía muito para realizar as entregas e visitas a seus clientes. Por caminhar muito por Belém do Pará, começou a ver que a cidade era muito movimentada. Isso o estimulou a registrar o dia a dia da cidade.

Comprou uma câmera semi profissional e começou a registrar tudo o que acontecia de relevante na cidade. Suas pautas eram desde alagamento, assalto, acidente de trânsito, enfim tudo o que movia a cidade. E com esses registros criava texto e publicava em sua rede social da época, o Orkut.

Percebeu que a cada publicação suas visualizações aumentavam e seus registros se tornavam cada vez mais únicos e exclusivos com os flagrantes. Assim como tudo da internet, suas publicações viralizaram e chamaram atenção de jornais locais que iam até Paulo comprar suas fotos para ilustrar suas pautas.

Foto: Paulo Lisboa
BELÉM, PA,03.02.2018 – UFC-BELÉM– Michel Prazeres (luvas vermelha) vs Desmond Green durante o cad do UFC BELÉM na Arena Arena Mangueirinho na noite deste sábado (03) em Belém (PA). (Foto: Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Folhapress)

Um grande amigo de Paulo lhe disse que ele tinha feeling jornalístico. Ele, porém, achou interessante, mas não tinha a intenção de seguir essa linha da fotografia. Passado alguns meses seu amigo o chamou para uma temporada trabalhando em conjunto. E assim foi aprimorando seu olhar fotográfico. Começou a fazer plantão em jornais policiais locais.

Paulo lembra: “comecei a gostar da reportagem fotográfica, uma rotina diferente. Geralmente é trabalho de rua, em locais diferentes, pessoas diferentes, cada registro é um registro, cada história é uma história.

Construiu uma bela carreira até aí, mas não se sentia bem trabalhando como fotógrafo policial, por conta das notícias muito impactantes que tinha que cobrir.

“Sem dúvida a política é minha paixão, mas as outras áreas como esporte gosto de fazer e o cotidiano. Mas a política mesmo é a que mexe comigo, gosto mais de me envolver com esse lado, ela mexe com protesto, com o social, com a economia.”

No ano de 2012, procurando uma cidade mais tranquila e com uma expectativa de vida melhor se mudou para Curitiba-Pr. Depois de algum tempo já instalado na cidade, recebeu uma ligação de um grande amigo, que morava na capital paulista, Levi Bianco. E assim aceitou o convite para trabalhar na pauta em uma agência de São Paulo, foi assim que a carreira a nível nacional e internacional começa a decolar.

Cobria política, acontecimento da cidade, prefeitura e o governo da época em Curitiba. Ganhando repercussão e destaque em alguns jornais.

Com o passar dos meses Curitiba começava a ser vista de uma forma mais jornalística. E em 2014 apareceu a Lava Jato e com ela o marco da carreia do fotógrafo Paulo Lisboa.

Foto: Paulo Lisboa
CURITIBA, PR, 07.02.2017 – LAVA-JATO – O ex-presidente da Câmara e deputado cassado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso na operação Lava Jato, chega à Justiça Federal em Curitiba (PR), para prestar depoimento ao juiz Federal Sérgio Moro na tarde desta terça-feira (07). (Foto: Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Folhapress)

Ele foi o primeiro a registar fotos da operação. Um momento que o fotógrafo se lembra com louvor, é que foi o primeiro e único a registrar a prisão de Paulo Roberto Costa, ex-presidente da Petrobrás. Esse registro gerou projeção nacional e internacional.

Paulo comenta: “Quando soube que tinha sido preso o ex-diretor da Petrobrás, eu pensei que tinha alguma coisa de errado. Então fiquei até 11h da noite em frente da Polícia Federal de Curitiba. Essa foto ganhou repercussão em diversos veículos nacionais. Foi aí que começou minha carreira realmente de fotógrafo jornalístico. Cada vez ganhava repercussão nacional e internacional, pelas fases da Lava Jato.”

Foto: Paulo Lisboa

Outro acontecimento na capital paranaense que marcou a carreira do fotógrafo foi a batalha entre professores e militares em frente ao Palácio do Governo, que durou quase uma hora com bombas e balas de borracha. “Eu estava fazendo essa cobertura, quando consegui as fotos do momento exato que começou o confronto. Essa foto ganhou diversos meios de comunicação internacional”, comenta Paulo que ainda completou que a foto foi publicada no New York Times, na época.

Foto: Paulo Lisboa
CURITIBA, PR, 29.04.2015 – GREVE PROFESSORES DO PARANÁ – Durante a votação projeto de lei de Paraná Previdência manifestanes entram em confronto com a policia militar em frente a Assembleia Legislativa do Paraná na tarde desta desta quarta-feira (29). A policia usa bomba de efeito moral, gás de pimenta, bala de borracha. Cerca de 20 mil professores em greve estam presente durante o conflito. (Foto: Paulo Lisboa / Brazil Photo Press)

Em 2017 a tragédia da Chapecoense que comoveu o mundo inteiro não foi diferente com esse fotógrafo. Paulo lembra com muita tristeza de não conseguir segurar a emoção. Foi uma das coberturas mais fortes e triste que já fez. Mas conseguiu realizar seu dever de cumprir uma boa cobertura.

Foto: Paulo Lisboa
CHAPECÓ, SC, 03.12.2016 – CHAPECOENSE – Corpos das vítimas da tragédia com o avião que levava o time da chapecoense para a Colômbia, chega na Arena Condá na tarde deste sábado (03).(Foto: Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Folhapress)

Paulo nos contou que sempre faz e fez freelancer para o Jornal Globo, Estadão, Metro, Gazeta do Povo, Tribuna e Folha de Londrina.

Trabalhos na 100fronteiras

Para quem nos acompanha pode se lembrar da nossa capa histórica de maio. A qual foi sua primeira capa para a 100fronteiras. “Fiquei muito feliz e honrado pelo convite de fazer as fotos, principalmente por estarmos vivendo um problema de nível mundial. Cobrir Paraguai, Argentina, além da cidade de Foz do Iguaçu vazia. Fiquei feliz em fazer parte da história falando na capa da pandemia na região da Tríplice Fronteira”, comenta Paulo.

Foto aéra Foz do Iguaçu
Foto: Paulo Lisboa

Além disso, nessa semana a 100fronteiras recebeu o 1º Prêmio Faciap de Jornalismo e ficou em primeiro lugar com a matéria desenvolvida pela jornalista Patrícia Buche na categoria impressa. E claro Paulo Lisboa teve participação nessa conquista, pois uma de suas fotos foi essencial para a ilustração da matéria. “Concorrer com nomes de conceito e renomeados no mercado jornalístico paranaense, foi uma honra, é gratificante pois foi o meu primeiro prêmio. É minha primeira participação em uma reportagem premiada, que eu saiba”, Paulo completa.

Para o fotógrafo que iniciou sua carreira de uma forma simples e humilde, levando seu trabalho primeiramente a população, mostrando o que acontece nas ruas. Atualmente é lindo saber que para ele os prêmios mais relevantes são as capas de Revistas, capas de Jornais e claro por ele fazer parte da história da notícia brasileira.

Foto: Paulo Lisboa
CURITIBA, PR, 06.09.2016 – PROTESTO-PR – Manifestantes contrários ao governo do presidente Michel Temer realizam protesto pelas ruas do centro de Curitiba (PR) na noite desta terça-feira (06). (Foto: Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Folhapress)

“Maior prêmio para mim foi fazer a cobertura da Lava Jato, do início ao fim. Posso dizer que escrevi uma parte da história do Brasil em fotos e registro. Isso foi muito gratificante, sinto saudade, sinto falta de estar naquela correria.”

Foto: Paulo Lisboa
Foto: Paulo Lisboa

Democracia Inabalada.

Comentários

2 Comentários

Deixe a sua opinião