100fronteiras: Quem é Anice Gazzaoui?

Anice Gazzaoui: Anice é uma mulher sonhadora, uma mulher que quer ver a mulher sendo representada e reconhecida, ocupando seu espaço. Sou casada, mãe de três filhos, sou advogada e tenho uma participação muito forte nos trabalhos sociais. Mora na Vila Maracanã e tenho 49 anos.

Sou uma pessoa que conhece bem a realidade de Foz, das necessidades e bastante atuante. Nosso papel como vereadora é representar a população, sei qual é a função do vereador e cumpro ela com excelência. Eu tenho visto o papel da mulher de forma muito efetiva, ela tem sido essencial na política.

Cada vez mais nós vemos a importância da essência feminina na política. E eu sempre falo que o lugar da mulher é onde ela quer estar. Do mesmo modo, cada vez mais eu me apaixono pelas nossas causas, nossas lutas.

100f: Como iniciou na política?

Anice: Eu sou a primeira vereadora mulher muçulmana que se candidatou e que se elegeu no Brasil e na América Latina.

Nesse sentido, o fato de eu ser candidata em 2012 já foi um grande passo, o fato de eu ter conseguido a eleição foi um passo maior ainda.

Não há conhecimento de outra mulher mulçumana eleita como vereadora. E também essa vontade de mostrar que o lugar da mulher é onde ela quer estar.

E nós mulçumanas, somos muito taxadas de mulheres submissas, e não existe mulher submissa.

Eu acredito que quando a mulher decide ocupar seu espaço ninguém segura ela, então foi um desafio que fiz a mim mesma.

Em 2012 fui convidada a sair candidata e com muito louvor cheguei a eleição e hoje estou no meu terceiro mandato. Tive apoio muito forte de mulheres e homens, e isso me deixou muito feliz.

Eu fui diretora da 9a Regional de Saúde em 2007 e fiquei três anos e meio. Foi uma experiência muito boa que tive na área da saúde, fiz um trabalho reconhecido e conseguimos deixar a nossa marca. Em 2003 eu também havia assumido um cargo na prefeitura como diretora da Ação Social.

Anice vereadora de foz
Anice Gazzaoui foi eleita pela terceira vez.

100f: Imaginava que seria eleita Anice Gazzaoui?

Anice: Nós sabíamos que não seria uma eleição fácil. Um dos motivos era pela quantidade de candidatos, que foi um recorde. E também pela mudança do coeficiente, da contabilidade eleitoral. E nós tivemos também um grande discurso a nível nacional, que foi o discurso da renovação.

Além disso, há um outro fato em relação a minha pessoa, sobre um processo que respondi em 2016, aonde em 2019 fui reconduzida ao meu mandato.

Em reconhecimento da justiça a vereadora Anice voltou a exercer o mandato, não sou ficha suja, não tenho nenhuma condenação criminal, as minhas certidões são todas negativas. A única condenação que tenho é dos juízes de Facebook.

A vereadora Anice não tem nenhuma condenação, eu coloco não só a minha vida a disposição, coloco todo o meu processo a disposição. Eu fui muito atacada por aqueles que desconhecem a realidade ou que conhecem e se aproveitam desse momento para fazer oportunismo. Então a justiça está sendo feita, em 2019 e fui reconduzida ao meu mandato pela justiça e agora fui reconduzida ao meu cargo pela população de Foz do Iguaçu.

100f: Para você, qual a função do vereador?

Anice: É mais importante do que muitos vereadores imaginam. O vereador é o verdadeiro representante do povo. Quando nós vamos as urnas nós damos uma procuração em branco pro nosso vereador e a população assina essa procuração. Somos 15 vereadores consagrados pelo voto sagrado dos eleitores, fomos eleitos para representa-los com excelência e clareza.

E hoje o vereador tem a obrigação não só de ser transparente, mas ser justa, honesta e cumpra com seu papel que é legislar e fiscalizar o executivo.

100f: A sua postura na Câmara de Vereadores como será?

Anice: Eu vou continuar sendo a Anice de sempre, continuar sendo eu mesma. Eu sempre peço que os prefeitos eleitos façam um bom trabalho. Por parte da vereadora Anice terão 100% do meu apoio para tudo que for bom.

Eu vou estar acompanhando e fiscalizando, cobrando o prefeito. Mas eu nunca vou esquecer a minha verdadeira função que é fiscalizar e legislar.

Então o prefeito Chico pode contar com a vereadora Anice, assim como a população também. O que for bom pro município eu vou estar 100% de apoio, o que não for terá meus questionamentos e minhas condenações.

 100f: Quais bandeiras pretende defender na Câmara de Vereadores?

Anice: Eu levanto muito a bandeira da mulher, sou advogada criminalista e defendo muito as mulheres, abomino a violência contra a mulher.

Quero dar mais eloquência as vozes femininas sem perder a nossa essência, mas brigando e lutando pelos nossos direitos.

Em relação a outras bandeiras que sempre levantei e agora quero levantar com mais ênfase é a bandeira do turismo. Nós vimos nessa pandemia que há outra realidade e um novo normal e aprendemos a duras penas que a principal indústria em Foz é a do turismo.

Do mesmo modo que o turismo parou, a cidade parou. Nossa economia depende direta e indiretamente do turismo. É uma bandeira que quero continuar lutando.

Acabamos de aprovar junto ao prefeito, publicado no Diário Oficial, o Programa Foz Conhecendo Foz. Um programa que nasceu do nosso gabinete, nossas lutas, e que apresentamos ao prefeito Chico e foi aprovado em primeira e segunda votação no dia 14 de agosto, sancionada no mesmo dia pelo prefeito e teve sua publicação agora dia 27 de novembro e já em dezembro começa a valer.

Isso vai trazer uma geração de renda de três milhões de reais que serão aplicados em projetos. Diretamente serão 997 profissionais contemplados.

Esse projeto foi construído entre o legislativo e o executivo. E isso beneficiará os pequenos e médios empresários, pois o dinheiro circulará nos bairros.

100f: Para fechar que mensagem gostaria de deixar aos eleitores?

Anice: Sou vereadora do município de Foz do Iguaçu. Sou vereadora de quem votou e de quem não votou, de quem gosta e de quem não gosta, de quem critica e de quem não critica. Nosso gabinete está aberto.

E o que deixo de mensagem principalmente agora no final e ano que está chegando é uma mensagem de paz, amor e solidariedade.

Nos temos que valorizar o próximo, sermos mais sensíveis, e principalmente termos mais empatia. Empatia é a palavra de ordem hoje e junto com ela a gratidão.

Leia também!

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Diálogos 100fronteiras

Deixe a sua opinião