As demandas do setor elétrico têm passado por constantes atualizações, e com elas, surgem oportunidades de atuação. Temas como transição energética, digitalização, geração distribuída, segurança e eficiência energética ganham força no cenário elétrico.  

O Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), enquanto Instituição de Ciência e Tecnologia (ICT), está presente no XXVI Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica – SNPTEE, demonstrando a aplicabilidade de suas soluções.  

Com infraestrutura, corpo técnico multidisciplinar e know how profissional avançado, o PTI-ICT tem maturidade consolidada em soluções para geradoras, distribuidoras e transmissoras de energia elétrica. 

Segundo o diretor técnico do PTI-BR, Rafael Deitos, entre os diferenciais ofertados pela instituição “está a quebra de dependência tecnológica e o desenvolvimento de soluções sob demanda, ou seja, personalizadas para atender as necessidades específicas de cada mercado”, explicou Deitos. 

Na presença do presidente da Cigré Brasil – promotora do XXVI SNPTEE –, Saulo Cisneiros, o engenheiro eletricista do PTI-BR, Guilherme Zat, explica como a instituição atua nos âmbitos da transição, segurança e eficiência energética. Entenda: 

• Transição energética: na área de descarbonização, hidrogênio verde, fontes renováveis de energia, geração distribuída; 

• Segurança energética: energia de qualidade através da implantação de soluções de que integrem energia renovável e armazenamento, a exemplo do SAE – Sistema de Armazenamento de Energias; Microrredes enquanto sistema ilhado;  

• Eficiência energética: automação e simulação para garantir uma eficiência energética tanto dos processos de geração, transmissão e distribuição de energia. A exemplo do SMRM – Sistema de Monitoramento Remoto de Motores, solução customizada para melhorar eficiência do processo de coleta de dados de vibração da Usina de Itaipu; 

Atualmente, o PTI atende a grandes clientes do setor elétrico como Eletronuclear, Furnas, Chesf, Copel e Itaipu, e vem construindo novos relacionamentos com atores como Eletronorte, State Grid, CTG Brasil que buscam a competência técnica do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR).

Comentários

Deixe a sua opinião