Foz do Iguaçu desponta como um ecossistema de inovação emergente do Paraná.

De acordo com o estudo Mapeamento das Startups Paranaenses 2020/2021, realizado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a cidade registrou aumento de 280% (de 15 para 42) no número de startups mapeadas no ano passado, em plena pandemia, subindo da oitava para a sétima posição entre as top 10 do Paraná.

Em termos comparativos, na Região Oeste, o crescimento foi de 65% (de 117 para 193), enquanto na média estadual, ficou em 39% (de 1.032 para 1.434).


Um dos responsáveis por esse desempenho é o Parque Tecnológico Itaipu – PTI. Se consideradas as startups mapeadas de Foz do Iguaçu que possuem relacionamento com o PTI, o percentual chega a 50%. Pelo menos 21 das 42 startups mapeadas se relacionam com o parque. No âmbito da Região Oeste, 38 das 193 startups têm relacionamento com o PTI.

Startups incubadas

Foz do Iguaçu também se destacou com dos mais altos índices de startups incubadas do Paraná, com 36%, bem acima da média de outras cidades, regiões e até mesmo estadual.

Conforme o Mapeamento, disseram estar em incubadoras 24,9% dos empreendedores da Região Oeste e 15,7% de todo o Paraná. Uma das razões é a incubadora empresarial Santos Dumont, do PTI.


A incubadora já deu suporte a mais de 350 ideias de negócios, desde 2006.

Foi a primeira do Paraná a obter certificação Nível 2 do Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos – CERNE II, uma iniciativa da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) em parceria com o Sebrae.

Objetivo da certificação é garantir uma gestão focada em resultados. A incubadora busca agora a certificação CERNE III.


“Estar inserido em um ambiente de inovação, como o do Parque Tecnológico Itaipu, é a oportunidade de se conectar com excelentes oportunidades de negócios, contatos e parcerias, propiciando à empresa maior relacionamento com o mercado”, afirma o diretor superintendente do PTI, general Eduardo Castanheira Garrido Alves.


Segundo ele, uma startup incubada “é um negócio com grande potencial de sucesso, pois a empresa recebe acompanhamento e orientação qualificada, acesso à rede de mentores, visibilidade no ecossistema e network do PTI”.


Dentre as empresas que participam de um programa de incubação, apenas 20% decretam falência, de acordo com estudos realizados pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores – Anprotec.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião