Foi lançado nesta quarta-feira (10), durante o Link Iguassu Valley, em Medianeira, o Plano de Inovação Agro do Iguassu Valley. O planejamento, desenvolvido pela governança de agronegócio do ecossistema, visa o fortalecimento da inovação no segmento por meio da cooperação entre empresas, startups e instituições de ensino e tecnologia. Estão contemplados conteúdos relacionados a quatro temáticas: políticas públicas; integração da governança agro; ampliação do volume de recursos para o agro local; e a interação entre o setor produtivo, o ecossistema e as instituições.

Emerson Durso, consultor do Sebrae Paraná, detalha que o trabalho foi proposto pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no ano passado, após o reconhecimento da região como Polo Nacional de Inovação Agropecuária. 

“O Mapa nos convidou a formatar uma governança que pudesse contribuir de forma ordenada para o desenvolvimento do agro. Por meio do SRI Iguassu Valley, aceitamos o desafio e promovemos diversos workshops para criar o planejamento que prevê ações de curto, médio e longo prazo”, explica o consultor do Sebrae Paraná, Emerson Durso. 

Durante os encontros, mais de cinquenta tópicos foram levantados, que foram concentrados nas quatro temáticas. Nesse sentido, o Plano traz as vertentes junto às ações propostas, justificativas, os resultados esperados e os setores que podem ser envolvidos.

No caso das políticas públicas, por exemplo, o projeto indica a necessidade de preparar sugestões unificadas para apresentar aos governantes. Com isso, é esperado que haja desburocratização e formulações de projetos de isenções de impostos e tarifas e disseminação de boas práticas por meio do incentivo previsto em Lei. Na vertente de capital, o grupo elencou a necessidade de ampliar o volume de recursos acessados e aplicados para atender à demanda do agronegócio, conectando solucionadores com empresas que têm recursos previstos para a inovação. Além disso, outras iniciativas também estão previstas, como o aumento de número de projetos do agro e eventos para gerar maior participação entre a comunidade empresarial e produtores rurais. 

“A região tem o espírito do cooperativismo. Observando os resultados, que são bastante expressivos no agronegócio, nós percebemos que havia muito ainda a ser explorado. Esperamos que o Plano funcione como uma forma de motivar as iniciativas e que isso possibilite a integração de produtores rurais com a inovação, mostrando que ela vai além de pulverização com drones e pode ser benéfica de outras formas também”, observou a diretora de inovação do Mapa, Sibelle Silva. 

A governança Agro Iguassu Valley é composta por diversas entidades, tais como o Programa Oeste em Desenvolvimento (POD); Iguassu Valley; Sebrae Paraná; FIEP/Senai; Sicoob; Iguassu IT; Associação dos Engenheiros Agrônomos de Toledo; PUC Toledo; Instituto Federal do Paraná (IFPR) – Campus de Assis Chateaubriand; Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Campus de Medianeira, Santa Helena e Toledo; 7 Digital Tech; AcicLabs; Coopavel; Fundetec; Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR/PR); Laboratório A3Q;  Sindicato Rural de Cascavel; Biopark; Parque Tecnológico de Itaipu (PTI); Cooperativa Lar; Cooperativa Frimesa;  Prefeitura de Toledo; Funtec Toledo e Unioeste. 

O Plano de Inovação do Agro Iguassu Valley está disponível para consulta. Para obter o material, basta enviar um e-mail para edurso@pr.sebrae.com.br ou ligar para (45) 3220-7050.

Comentários

Deixe a sua opinião