Lançado em 2021 pela startup Fubá Educação Ambiental, incubada no Parque Tecnológico Itaipu, o aplicativo BoRa PNI foi criado para inovar o turismo, trazendo novas experiências educativas aos visitantes.

O Parque tem uma grande dimensão e diversidade de fauna e flora, e o aplicativo permite que o turista conheça as Trilhas da Escola Parque, da Canafístula e das Cataratas.

Com o BoRa é possível conhecer mais sobre todo o espaço preservado, sobretudo o principal atrativo do parque, que são as Cataratas do Iguaçu. Dessa forma, o turista pode entender, também, a importância da conservação desses espaços. Segundo a turista argentina Yessica, o aplicativo é bonito e super completo: “gostei muito do design. Além do mais, poder preparar a viagem com dicas me parece genial! É um aplicativo muito eficaz”.

Com o intuito de levar a educação ambiental para todas as pessoas, sobretudo as com diferentes necessidades, as criadoras do aplicativo buscaram tornar acessível toda experiência dentro do app.

“O BoRa foi pensado e desenvolvido para a acessibilidade de todos que visitam o Parque. No aplicativo, temos tradução em libras, audiodescrição, contraste e desenho universal. Além disso, está disponível em três línguas, sendo elas português, espanhol e inglês”, relata a Ariane Di Tullio, cofundadora da Fubá.

A assessora do Programa de Voluntariado do ICMBio, Yoná Castilho, comenta que “o aplicativo é sensacional, porque facilita a visitação da população ao parque e democratiza o acesso aos espaços. Então, oferecendo uma visita autoguiada, o próprio aplicativo informa sobre os espaços. Agora mesmo, por exemplo, estamos fazendo a divulgação da trilha Escola Parque, que é linda, mas muita gente ainda não conhece. Então, espero que, com o aplicativo, muita gente possa fazê-la. E o intuito é que o aplicativo facilite o acesso para as pessoas. Eu acredito que facilita, de fato”.

Sobre o app BoRa  

O aplicativo pode ser personalizado para outros espaços de visitação e ecoturismo e serve como um guia pessoal em trilhas, áreas protegidas, zoológicos, aquários, parques urbanos, praças e museus, sem precisar de conexão com a internet.

Portanto, mesmo que o espaço receba milhares de visitantes por dia, com o BoRa, cada pessoa pode ter seu guia na palma da mão e aprender durante o passeio de uma forma leve e divertida. 

O BoRa foi desenvolvido para ajudar instituições a oferecer uma experiência educativa diferenciada, interativa e acessível para seus visitantes. Dessa forma, torna-se mais fácil aprender, na prática, sobre a flora e a fauna local. Além das trilhas autoguiadas, cada visitante tem acesso, ainda, à localização em tempo real, ao planejamento da visita, e à comunicação contínua com o parque. 

APP BoRa promove experiências educativas aos visitantes do Parque Nacional
Foto: Divulgação PTI.

Durante o passeio, visitantes podem coletar figurinhas para montar seu álbum à medida que percorrem o espaço. Dessa maneira, terão uma experiência gamificada durante o passeio. De acordo com a gestora de marketing, Bruna Patrizzi, “o BoRa foi criado para ser usado em diferentes momentos. Em casa, antes da visita para programar o passeio e conhecer o espaço, durante a visita presencial para criar uma experiência “figital”, que mescla o mundo físico com o digital e, depois da visita, para rever o conteúdo e o passeio”. Além disso, o BoRa é uma ferramenta didática importante para ser usada por professoras e professores em sala de aula. 

Crescimento da Startup  

A Fubá possui atualmente três aplicativos BoRa disponíveis para download na Play Store. Além desses, quatro estão em desenvolvimento e logo estarão disponíveis. Todos abordam a temática de turismo sustentável, conservação da biodiversidade, educação ambiental e acessibilidade. A startup também faz parte de três ecossistemas de inovação e tecnologia, sendo um em Foz do Iguaçu/PR, no PTI-BR, e os outros dois em São Carlos/SP (Onovolab e SancaHub). 

Segundo o analista de negócios do Parque Tecnológico Itaipu, Ederson Melo, “a startup Fubá EA oferece uma solução diferenciada do que já existe no mercado, ampliando a experiência do usuário unindo tecnologia, educação ambiental e acessibilidade, em um único produto”. 

Por fim, Ariane Di Tullio afirma que a empresa busca expandir a solução: “criamos a Fubá em 2015, oferecendo um conteúdo educativo, voltado para educação ambiental. Até agora já criamos vários aplicativos BoRa, personalizados de acordo com as necessidades do cliente. Portanto, nos aprofundamos nas necessidades de cada empresa e do público que desejam alcançar”. Na busca de ensinar de forma interativa e divertida, a startup utiliza a tecnologia como ferramenta de apoio para educação ambiental. 

Conheça mais sobre o BoRa e as soluções para educação ambiental no site www.fubaea.com.br 

Comentários

Deixe a sua opinião