II Fórum da Água em Foz promove diálogo sobre sustentabilidade hídrica

357

Fizeram parte da programação palestras de pesquisadores e do Movimento dos Atingidos por Barragens

Mais de 150 representantes da sociedade se reuniram na noite da última quarta-feira (20) para debater o tema (In)segurança hídrica e os impactos em nosso dia a dia, durante o II Fórum Municipal Água é Saúde em Foz do Iguaçu. Realizado na Sala de Exposição Antônio Cabral de Mendonça, na Fundação Cultural, o evento fez parte da programação alusiva ao Dia Mundial da Água, comemorado nesta sexta-feira (22).

A atividade, realizada pelo Coletivo Educador Municipal de Foz do Iguaçu (CEMFI), buscou fazer a comunidade refletir sobre as consequências socioambientais da mineração – assunto que voltou à tona com o rompimento da barragem de rejeitos da Vale em Brumadinho. Para falar sobre os possíveis riscos deste e de outros equipamentos exploratórios, Jonathas Rocha de Almeida, representante do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), esteve presente na ocasião, e destacou a fragilidade na vistoria das estruturas e a ineficácia na reparação dos prejuízos causados às populações afetadas.

Outros temas relevantes acerca dos recursos hídricos também foram abordados. No que se refere à mercantilização desse bem comum, o Prof.º Dr.º Gustavo Oliveira Vieira, da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), apresentou o tópico Água: Direito ou Mercadoria?. Já o Prof.º Dr.º Roberto de Almeida, da mesma instituição de ensino, dialogou sobre Agrotóxicos, Água e os Impactos da Saúde Planetária na Saúde Humana.

Sob mediação da Prof.ª Dr.ª Luciana Ribeiro, da UNILA, os expositores também se reuniram para trocar ideias e experiências relacionadas à segurança hídrica tanto nas barragens – tema central do evento – como no meio ambiente e no consumo humano. Tais problemáticas, conforme observa Cecília Jeziorny Ribeiro, gestora do CEMFI e professora do Centro de Educação Ambiental do Iguaçu (CEAI), vêm ganhando cada vez mais espaço na sociedade.

“Esse evento superou nossas expectativas, e podemos ver, a partir dessa demanda por informações e esclarecimentos, que as pessoas estão mais preocupadas com a sustentabilidade. Hoje, nós estamos plantando sementes, mas os frutos serão colhidos amanhã, no futuro melhor que estamos construindo,” analisa Cecília.

Deste modo, como ressalta João Paulo Angeli, também gestor do Coletivo Educador e membro do grupo Juventude e Meio Ambiente da Bacia Hidrográfica do Rio Paraná 3 (JMABP3), o Fórum Municipal Água é Saúde vem a ser uma ação continuada. “Queremos garantir espaços de debate sobre temas prioritários a favor da qualidade de vida no planeta Terra, pois é a interação e a cooperação entre comunidades e instituições que garantem o avanço dessa transformação socioambiental,” constata ele.

Corrente do Bem: Minha Atitude Faz a Diferença

Nesta sexta-feira, a fim de dar continuidade à campanha de sensibilização sobre os cuidados com a água, a equipe de educação ambiental do Município vai promover uma ação simultânea em todas as escolas de Ensino Fundamental I da rede pública. Inspirado pelo filme homônimo, a iniciativa “Corrente do Bem: Minha Atitude Faz a Diferença” distribuirá três fitinhas para cada estudante de 4º ano, que vai escolher outros dois colegas do 1º ao 3º ano para entregar as outras duas fitinhas.

Juntos, segundo explica a educadora Cecília Jeziorny Ribeiro, “os alunos vão elaborar compromissos que favorecem o meio ambiente, como, por exemplo, a reciclagem dos resíduos sólidos, e a economia de água na hora de escovar os dentes ou de tomar banho”. Utilizando a hashtag #minhaatitudefazadiferença, as instituições de ensino irão postar as fotografias nas redes sociais como forma de divulgar o resultado da ação.

Por ter sido vencedora da edição passada da categoria Sustentabilidade do Prêmio Paulo Freire, a Escola Municipal Ademar Marques Curvo, localizada no bairro VIla São Sebastião, contará com a presença de membros das secretarias municipais da Educação e do Meio Ambiente. O ato está programado para o período matutino, a partir das 10h.

Fórum de 2018

Há um ano, na primeira edição, o Fórum Municipal Água é Saúde chamou a atenção da sociedade para a contaminação do meio ambiente provocada pelo descarte incorreto de medicamentos. Com o despejo dessas substâncias nocivas na água e no solo, os seres vivos ficam vulneráveis a sérias doenças.

Aliada a outras ações e à distribuição de um folheto produzido pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente, o foco da campanha passada foi informar à população que é possível entregar medicamentos, vencidos ou não, em farmácias e postos de saúde. O material teve o apoio da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e do Governo do Estado do Paraná.

 

Reportagem: Derliz Moreno/CEMFI

Fotografia: Roseli Bernardete Dahlem Pacheco/CEMFI




Deixe um comentário