Neusa Miguens começou sua trajetória como voluntária ainda muito cedo, com 14 anos, quando aprendeu braille e passou a dar aulas em um centro de reabilitação. A homenageada recebeu um chamado e desde então tem dedicado sua vida a ajudar o próximo – sempre de coração aberto.

Natural de Santa Catarina, Neusa passou por muitos lugares acompanhando seu falecido marido que era militar da Marinha Brasileira. E foi desse jeito que espalhou amor e doou seu tempo ao trabalho voluntário por onde passou – de Brasília ao Chile e até os Estados Unidos.

Hoje casada novamente, Neusa mora há 14 anos em Foz do Iguaçu e continua beneficiando aqueles que a cercam, dessa vez os iguaçuenses. Parte essencial da Família Naval, é uma voluntária Cisne Branco desde o início da organização.

Para saber mais:

“Voluntárias Cisne Branco” (VCB) é uma organização civil sem fins lucrativos e é um segmento do Abrigo do Marinho. O objetivo do projeto é contribuir para o bem estar dos militares e servidores civis da Marinha. O VCB foi criado em dezembro de 2008 como uma iniciativa das esposas oficiais da Marinha.

Em celebração do Dia do Voluntariado, que acontece nesse domingo (28/08), a Diretoria Nacional das Voluntárias Cisne Branco confere o título de “Voluntária Destaque de 2022” a Neusa de Motta Miguens.

“É uma grande honra ser agraciada com esse prêmio de reconhecimento à nivel nacional, podendo contribuir e fazer parte da Família Naval, é o mínimo que eu posso fazer em prol dessa maravilhosa obra, gostaria de poder fazer muito mais”, declara Neusa.

A homenageada ainda agradece a escolha da Diretoria Nacional e suas seccionais, em especial as voluntárias e voluntários da VCB seccional de Foz do Iguaçu. Presta também agradecimento a líder regional, Renata Assis e enaltece todo o carinho e atenção que recebe.

“Existem missões que são extremamente sublimes nessa vida, mas algumas tem a nobreza do amor, como no trabalho voluntário. Sou muito grata por essa missão tão linda de ajudar o próximo.”

Neusa da Motta Miguens
Foto: Neusa Miguens, na Redação da 100fronteiras

Comentários

Deixe a sua opinião