Alberto Santos Dumont ficou conhecido mundialmente por ser o “Pai da Aviação” quando, em 12 de novembro de 1906, decolou com seu avião 14-Bis e sobrevoou o Campo de Bagatelle em Paris. O voo cobriu 220 metros de distância a uma altitude de seis metros.

Mas aqui em Foz do Iguaçu ele também ficou conhecido por ser o responsável por tornar as Cataratas do Iguaçu um local público. O ano era 1916, quando o hoteleiro Frederico Engel soube que Santos Dumont estava hospedado no lado argentino e que a sua visita seria encerrada por lá.

Engel procurou de imediato o prefeito de Foz do Iguaçu, na época o senhor Jorge Schimmelpfeng, para convencer o ilustre brasileiro a visitar o outro lado das Cataratas, segundo destacou o historiador Atila Borges. Assim, uma comissão foi organizada, e Santos Dumont aceitou o convite.

Ele havia vindo da Argentina quando chegou à cidade e se deparou com as quedas. Impressionado e sabendo que as terras pertenciam a uma única pessoa, decidiu que falaria com o presidente do Paraná, Affonso Camargo, para pedir a desapropriação e, em consequência, tentar transformar o local em patrimônio histórico.

Três meses e 20 dias após a visita de Santos Dumont à capital, o presidente do Paraná assinou o Decreto 653, do dia 28 de julho, que foi publicado no Diário Oficial da segunda-feira, 31 de julho daquele ano, oficializando a desapropriação das terras em torno das Cataratas do Iguaçu.

Segundo relatos da época: “O presidente do Estado do Paraná (…) decreta: ‘Fica declarado de utilidade pública para o fim de nele se estabelecerem uma povoação e um parque, em conformidade com o Art. 3 […] Regulamento que baixou com Decreto 560 de 1913, o lote de terra concedido a Jesús Val pelo Ministério da Guerra na Ex-Colônia Militar do Iguassu, com a área de mil e oito (1.008) hectares, a margem direita do Rio Iguassú, junto aos Saltos de Santa Maria, revogadas as disposições em contrário (Pala Presidência do Estado do Paraná, 790214-8° da República. Assinem o De Fobito Alves e Camargo (Presidente) e Caetano slipz da Roche (Vi residente)”.

Alberto Santos Dumont
Santos Dumont. Foto: Arquivo.

Você sabia que a sede da 100fronteiras chama-se Santos Dumont?

O nome escolhido foi Redação Alberto Santos Dumont – uma homenagem ao pai da aviação e grande inventor – que além de ser um brasileiro muito notável na sua época, também foi o responsável por tornar as Cataratas do Iguaçu um patrimônio público. Nossa admiração pelo aviador está estampada na fachada de nossa sede.

Saiba mais:

Redação Santos Dumont
Redação Alberto Santos Dumont.



Comentários

Deixe a sua opinião