Trabalhar na hotelaria proporciona muitas experiências e oportunidades. E com o paulista Guilherme Kobel não foi diferente. Ele começou a trabalhar bem cedo, aos 12 anos, quando passou a estagiar como garçom em restaurantes próximos ao sítio dos pais no interior de São Paulo. Aos 15 anos começou a trabalhar como jovem aprendiz no Hotel Escola Senac e as portas para o mercado de trabalho se abriram.

Trabalhou ali por cinco anos, fez diversos cursos como técnico em gestão empresarial; curso superior de hotelaria; barista; sommelier; e também estudou idiomas por conta. Para aprimorar o espanhol viajou de férias para a Argentina e para treinar o inglês em 2009 foi para o outro lado do mundo, Nova Zelândia, onde ficou por um ano trabalhando em uma balada e em um restaurante e também estudando para barista. 

“Quando voltei para São Paulo fui trabalhar em um navio de cruzeiro, uma das maiores experiências da minha vida. Permaneci por dois contratos de sete meses cada, e foi muito intenso, pois não tinha folga, apenas intervalos. Navegamos pela Europa, principalmente o mediterrâneo e Caribe, e tive a oportunidade de visitar locais paradisíacos. Venho de uma família muito simples e nunca tinha imaginado viajar para tantos lugares”.

De volta a São Paulo trabalhou em um dos hotéis mais sofisticados da América Latina, o Emiliano, e teve contato com um luxo diferente, que não ostenta, mas que é sofisticado e segue a cultura do bem servir. Isso lhe ajudou a ter um olhar diferente sobre o atendimento, algo que norteia sua vida em todos os locais onde trabalha. Do Emiliano foi para a área de gestão na rede Intercity, onde trabalhou completamente no corporativo, desenvolvendo padrões de café da manhã, cardápio, utensílios. Teve bastante sucesso e implantou todos esses processos na rede. “Depois dali eu decidi empreender, também na área de alimentos, e virei produtor de cogumelos. Consegui destaque no Sebrae, dei uma entrevista para o programa Pequenas Empresas e Grandes Negócios, enfim tive bastante sucesso como empreendedor”.

Wish Foz

Mas depois desse período foi convidado a trabalhar na rede GJP, também na parte de gestão e processos, e por ter facilidade com números e planejamento ganhou dois prêmios na USP na área de planos de negócio. Na GJP trabalhava atendendo a todos os hotéis da rede, sempre tendo o resultado financeiro como foco, até que foi convidado a assumir a área de alimentos e bebidas do Wish Foz, no final de 2019.

Um amor por Foz

Antes de trabalhar na GJP Guilherme não conhecia Foz. E quando teve a oportunidade de conhecer as Cataratas ficou imaginando qual a sensação dos colonizadores ao descobrirem as quedas. “Eu acredito muito em energias vibracionais e a água tem uma ligação de transporte energético muito grande e esse volume de água nas Cataratas cria esse ambiente, é espetacular”.

Além disso, o hotel tem muita conexão com a fauna e flora e no período que ficou fechado pela pandemia Guilherme conta que viu muitos animais passeando pelo hotel. Isso lhe encanta, pois são privilégios que só Foz tem.

Wish Foz

Aqui em Foz ele é o responsável por comandar toda a área de alimentação do hotel, brigada da cozinha, cardápios, custos dos alimentos e bebidas, serviço de sala dos bares dos três restaurantes, além da equipe, montando estratégias para fazer esse dinamismo todo funcionar.

“Muitos eventos acontecem no hotel e isso precisa de uma equipe dinâmica para atender a tudo com excelência. Então a preocupação desde o ambiente, as pessoas, o produto e a entrega do serviço são a responsabilidade do gerente de alimentos e bebidas”.

Além disso, Guilherme é um gestor de pessoas e dentro do hotel comanda o time de funcionários com treinamentos culturais firmado em quatro pilares: economicamente viável, ambientalmente correto, socialmente justo e culturalmente diverso.

Wish Foz

“A cultura de se importar e prestar atenção é um grande diferencial nosso aqui no Wish, e utilizamos muito no setor de alimentos e bebidas. Porque se cada funcionário conseguir se importar e prestar atenção em dois, três hóspedes, num time de 94 funcionários, nós conseguimos atingir um número bem grande de hóspedes”.

As experiências gastronômicas também demandam uma atenção especial do gerente. A ideia das experiências é uma super personalização. Então tudo é pensado para aquele momento, é uma grande responsabilidade. “A grande magia está no conjunto. Adoramos fazer, porque temos a liberdade de criarmos juntos. Temos um padrão de entrega com a marca Wish, existe uma ficha técnica a ser seguida, mas nas experiências temos a liberdade de criar e isso é muito legal”.

Wish Foz

“Eu venho de uma família muito simples e olhando da onde eu vim para onde estou hoje, estou muito feliz, realmente sempre fui muito grato à área de hotelaria que me proporcionou viajar para 27 países diferentes, falar vários idiomas e ter conhecido tantas culturas diferentes. Sou muito grato mesmo”.

guilherme kobel

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião