A paixão pela culinária sempre esteve no DNA de Edgardo Alexander Rondon Pérez, que aprendeu a cozinhar ainda muito novo com o seu pai, que também era chef de cozinha.

A família sempre foi o alicerce de Alexander. Ele conta que aprendeu muita coisa com sua mãe, principalmente a como ter disciplina, já com seu pai descobriu o amor pela cozinha e como trabalhar.

“Meu pai foi um grande cozinheiro na época. Eu nasci em um restaurante praticamente”.

Novo chef Imperador dos Camarões Edgardo Alexander Rondon Pérez
Novo chef Imperador dos Camarões Edgardo Alexander Rondon Pérez. Foto: Evelin Fretes/ 100fronteiras

Apesar de seu amor pela gastronomia, essa não foi a sua primeira formação. Assim que terminou o ensino médio, Alexander começou a faculdade de Direito, mas por ordem do destino, não concluiu. Seus contatos o levaram ainda mais longe e Alexander teve a oportunidade de iniciar a sua vida profissional em um renomado hotel da Venezuela, onde conseguiu uma bolsa de trabalho atuou por dois anos.

Assim os horizontes se expandiram, uma grande chance bateu na porta. Alexander poderia iniciar seu estudo superior na França ou nos Estados Unidos. Concursou para os Estados Unidos e foi selecionado. Deixou seu país de origem com uma bolsa de estudos em hotelaria.

Alexander se formou em Administração, Bussiness Administration em Hotelaria e Menção a Cozinha.

Depois de concluir a formação nos EUA, a França foi a sua casa por sete meses, onde Alexander se especializou como chef de cozinha e se registrou como chef de cozinha internacional.

Formações

  • 2.º ano de direito aprovado Universidade Santa Maria (1981)
  • Universidad Estatal Mc’Nesburg Pensilvânia State
  • Hotels School Mc’Nesburg City (1983)
  • Júnior Chef
  • L’coque Saint Jacke Paris (1983-84)
  • Código ZU (1976*)
    *Estágio para certificado de Chef Internacional
  • Promo 1983 Hilton Hotels Corporation.
  • Bolsa de estudos em Hoteleria do Hotel Caracas Hilton.

O chef da realeza

Esse foi um dos momentos mais importantes da carreira do chef Alexander, quando cozinhou para a rainha da Espanha durante sua estadia na Venezuela, mas para entender a história primeiro uma contextualização.

Em 1989 o chef entrou na equipe do um hotel Eurobuilding Caracas, todos os hotéis da rede eram do rei da Espanha e do presidente da Venezuela. Na época, o hotel não tinha um chef executivo, e de hierarquia. Alexander ficou responsável pelo setor.

Na época a rainha da Espanha, Sofia Margarida Vitória Frederica foi para Venezuela e ficou hospedada no hotel em que o chef trabalhava.

Nos preparativos para recebê-la, a equipe de Alexander preparou cinco cardápios diferentes, nenhum foi aprovado.

“Não gostaram de nenhuma opção de cardápio porque tinha carne e a rainha não come carne. Se eu soubesse disso teria feito algo personalizado.”

Mas o chef descobriu o que agradava a rainha; frutos do mar, legumes e vegetais. Então Alexander preparou um arroz, que ele nomeou como Rainha Sofia porque foi aprovado pela rainha.

“O arroz Rainha Sofia abriu muitas portas para mim.”

“Então cozinhei para a rainha e, em 20 dias, chegou a gerência de relações publicas do hotel, perguntando se meu passaporte estava válido e eu respondi que sim. Ele disse que eu iria para Espanha, estudar em Madri pois a rainha tinha mandado uma bolsa de estudo na Universidade Santa Maria, enquanto isso, fui cozinheiro da rainha por seis meses no palácio.”

Durante esse período, Alexander ganhou vários prêmios e foi ativo na mídia, já saiu em várias revistas venezuelanas e argentinas.

Prêmios do chef Alexander

  • Garfo de ouro
  • San José de Costa Rica (2001)
  • Pátio Francês
  • Colher de Prata em Luzern Lake (Suíça – 1995)
  • Moussetta Imperial de chocolate branco e preto
  • Expo Hanover, prêmio criativo do ano (1994)
  • Garfo de Ouro (2005)
  • Restaurant Basilico Food and Beverage, Restaurant alternativo do ano (Venezuela)

Especialidades

Alexander tem experiência mediterrânea, além de um amplo conhecimento em cozinha de autoria. Eles traz este conhecimento e estilo franco-mediterrâneo para seus pratos, e brinca com as misturas de sabores.

“Não tenho uma cozinha muito complicada, uso três passos, isso significa que tenho uma base de três ingredientes para fazer um prato.”

Observação: a sobremesa imperial que fez o chef ganhar a Colher de Prata na Suíça está disponível no cardápio do Imperador dos Camarões.

Chef Alexander no Imperador dos Camarões

Alexander chegou neste ano em Foz do Iguaçu e o primeiro restaurante que procurou foi o Imperador dos Camarões, onde recebeu a oportunidade de mostrar o seu talento aos iguaçuenses.

O Chef já entrou com vários projetos no Imperador dos Camarões, entre eles a sexta-feira temática, que apresentou os novos pratos da casa aos clientes da Tríplice Fronteira. Os pratos são bem decorados e com uma apresentação diferenciada. Além disso, existe uma grande valorização no sabor e na qualidade.

“Quando você tem uma trajetória em cozinha, os prêmios que ganhou fazem parte da sua vida. É importante quanto você come e sorri por causa do sabor. Isso é tão importante para mim quanto uma Colher de Ouro ou que qualquer prêmio, isso me motiva todos os dias.”

Se um cliente chegar no Imperador dos Camarões e pedir o arroz Rainha Sofia é possível ser servido como a realeza. Diz a lenda que quem come o arroz pode virar rainha no futuro.

Experiência 100fronteiras

Não comemos o arroz Rainha Sofia, mas os pratos estavam tão delicioso quanto. Quando entrevistamos o Chef, ele preparou os novos pratos do cardápio do Imperador dos Camarões para experimentarmos, e a experiência não poderia ter sido melhor.

A entrada foi o prato Portobello de Bacalhau (champignon portobello recheado de bacalhau com fondue de queijo brie). O sabor é único e logo na entrada já parabenizamos o chef pela obra de arte.

Portobello de Bacalhau.

O prato principal foi o Congrio da Casa (filé de congrio em creme de abacate e limão servido com purê de pesto de pimentões e legumes). Só de escrever e ver as fotos já dá água na boca novamente, o purê estava delicioso, com um sabor extraordinário.

Congrio da Casa.

Para fechar, a sobremesa foi a Delícia Imperador, um doce que é impossível esquecer.

Delícia Imperador.

Todos os pratos estão disponíveis no cardápio do Imperador dos Camarões.

O Imperador dos Camarões

Há mais de 30 anos, nascia o Imperador dos Camarões na Praia de Pajuçara, em Maceió – Alagoas. O restaurante, referência na gastronomia alagoana, abriu as portas em Foz do Iguaçu em dezembro de 2018.

Desde então vem conquistando adeptos à culinária nordestina, tendo no camarão o segredo de pratos tão saborosos e variados. Um dos carros-chefes é o Chiclete de Camarão – prato registrado pelo grupo.

Comentários

Deixe a sua opinião