Novo sistema digital é 100% gratuito, facilita processo e acelera acesso de estrangeiro ao Brasil. Disponível para todos os países e, principalmente, para visitantes provenientes de países do Mercosul, maioria do fluxo na região trinacional, o novo processo migratório pode ser feito de forma antecipada, evitando filas e aglomerações. Com o procedimento feito, é necessário apenas apresentar QR Code nos espaços apropriados nas aduanas das Ponte Internacional Tancredo Neves (Argentina) e Ponte Internacional da Amizade (Paraguai). 

Na última semana, a Delegacia de Polícia Federal em Foz do Iguaçu informou que o tempo para atendimento e para a realização de trâmites migratórios pode ser longo neste período de alta temporada do turismo. Para facilitar a tramitação, o órgão orienta a utilização do sistema da Polícia Federal, o STI Mobile.  

Para que essa informação chegue aos visitantes internacionais, o trade turístico de Foz vem estreitando relações com os responsáveis pela fiscalização aduaneira e orienta agências e guias de turismo a aderirem ao modo digital. As instituições que integram o trade se propuseram a auxiliar inclusive operacionalmente, apoiando os agentes de cadastros.

Assim, trade turístico e Polícia Federal, acreditam que a melhor forma para solucionar e reduzir as filas que se formam nas pontes, é com a utilização do STI Mobile, onde é possível realizar de forma facilitada o pré-cadastro migratório já disponível aos nacionais do Paraguai, Argentina, Chile, Uruguai e Brasil. 

Para a Subchefe da Polícia Federal, Temila Soria, as filas não são uma exclusividade das fronteiras entre Brasil, Paraguai e Argentina, mas com a colaboração de todos na disseminação das informações e a boa vontade do visitante, isso pode ser amenizado. “Com o preenchimento do formulário virtual pelo viajante, ele já chega até nossos postos de controle com todos os dados carregados e uma simples coleta finaliza seu movimento migratório, dando agilidade ao processo”.

Para o  Presidente do Comtur, Yuri Benitez, há um avanço no alinhamento entre o trade e os órgãos de fiscalização. Benitez salienta sobre o respeito cada vez maior com quem visita Foz do Iguaçu ou simplesmente realiza o trâmite para seguir viagem. “Nossa intenção é que todo visitante que chegue em nossa cidade tenha o melhor atendimento. Assim, nos colocamos à disposição dos órgãos competentes para auxiliar como agente facilitador. Estudamos a possibilidade de ceder pessoal para a atual sob orientação da PF e agilizar ainda mais esse processo migratório”. 

Ponte da Amizade
Ponte da Amizade.

Nesse sentido, os representantes do trade trabalham na divulgação do processo digital, em busca da agilidade do processo. Para o Presidente do Sindicato das Empresas de Turismo de Foz do Iguaçu – Sindetur, Fernando Martin, é um momento de alinhar a comunicação entre os trabalhadores do setor turístico. “A utilização do meio digital, pode reduzir pela metade o tempo do processo migratório na aduana. Por isso, é importante que todo profissional do setor turístico, atuante na região trinacional, tenha ciência que esse processo digitalizado é um avanço para a melhoria do fluxo que historicamente é de muito movimento nos períodos de férias de meio e final de ano”. 

Controle migratório digital: o que é e como funciona?

O Pré-Cadastro migratório é a inserção de dados pessoais necessários à fiscalização de migração para agilização e desburocratização do atendimento do ponto de controle migratório. Está disponível somente para pontos de controle migratório específicos.

O procedimento está disponível para viajantes, maiores de idade, nacionais do Brasil, Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, em viagens de turismo, com passagem por pontos de controle terrestres e marítimos.

No site da Polícia Federal o cadastro pode ser feito na aba de serviços: http://www.gov.br/pt-br/servicos/pre-cadastro-migratorio

O cadastro também está disponível pelo link https://mobile.pf.gov.br/sti-mobile/ ou pelo QR Code que pode ser lido em banners afixados nos postos, inclusive nas aduanas dos dois países: Argentina e Paraguai.

Espaço Institucional.

Comentários

Deixe a sua opinião