A decisão aconteceu hoje, na quarta-feira, dia 14, pelo presidente do país vizinho, Mario Abdo Benítez. O adiamento da licitação ocorreu para que o dinheiro que estava sendo usado para a construção da ponte Carmelo Peralta-Porto Murtinho seja redirecionado para a crise de pandemia.

Vão ser redirecionados cerca de US$30 milhões para o financiamento do sistema de saúde paraguaio. Esse dinheiro será usado para compra de remédios e insumos para o país tentar reverter a situação atual de Covid-19.

A quantia de US$30 milhões antes iria ser utilizada como fundo social, vindo da Itaipu Binacional, para a construção da nova ponte Carmelo Peralta-Porto Murtinho. Um dos objetivos da construção dessa ponte é para o desenvolvimento das áreas que há muito tempo vem sendo esquecidas pelas autoridades paraguaias e brasileiras.

Está prevista uma reavaliação da licitação para o meio do ano, porém, no momento, a prioridade do presidente é a saúde. “Tendo em conta as possíveis necessidades do nosso sistema de saúde, damos prioridade ao que é mais importante hoje,” disse Mario Abdo Benítez em entrevista.

De onde veio esse dinheiro?

A Itaipu Binacional, do lado do Paraguai, reservou US$105 milhões apenas para as despesas de fundo social em 2021, incluindo aí os gastos com a construção da ponte Carmelo Peralta-Porto Murtinho. Como não existe um controle, os políticos acabaram usando o dinheiro para outras questões, como foi o caso dos US$30 milhões para a saúde.

O presidente justificou que esse dinheiro é de extrema necessidade para o país, que está passando por um de seus piores momentos da pandemia. A iniciativa das compras de remédios e insumos para a saúde foi valorizada por Abdo Benítez.

Além disso, esse fundo social também é usado para campanhas políticas.

Na segunda ponte sendo construída nesse momento, ligando Foz do Iguaçu e Presidente Franco, no Paraguai, a Ponte da Integração, os recursos estão sendo pagos pelo lado brasileiro da Itaipu Binacional e gerenciada pelo governo do estado. A obra começou em agosto de 2019, e tem previsão de conclusão em 2022, após três anos desde o início.

Pandemia no Paraguai

O Paraguai já registrou 240.141 infecções pela doença da Covid-19 desde o começo da pandemia, com 4.978 mortes confirmadas. Os casos confirmados também aumentam a cada dia, com maior média diária registrada até hoje sendo 2.200 casos (dados do dia 12 de abril).

Para mais informações sobre a Covid-19 no Paraguai, visite o site oficial do Ministério da Saúde.

Diálogos 100fronteiras

Deixe a sua opinião