Falta cada vez menos para que a construção da Ponte da Integração esteja 100% concluída, obra promovida pelo Governo Nacional e financiada pela Itaipu Binacional no valor de US$ 84 milhões. Com a retirada das primeiras máquinas pesadas, a nova ligação rodoviária pode ser apreciada na região trinacional.

No dia 21 de setembro foram concluídas as obras de concretagem das juntas das telhas pré-fabricadas que compõem a pista da megaestrutura, e os trabalhos de conclusão foram imediatamente intensificados.

Ponte da Integração
Ponte da Integração sem máquinas na pista. Foto: Itaipu Py.

As tarefas para a conclusão da Ponte da Integração incluem pavimentação asfáltica, sistema de iluminação, grades anti-suicídio e placas regulatórias.

Em agosto, o presidente do Paraguai Mario Abdo Benítez, e o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro verificaram a colocação da aduana conhecida como “chave”, localizada no centro do tabuleiro da ponte. Esta peça, com 5,75 metros de comprimento e 20 toneladas, conectou pela primeira vez os lados paraguaio e brasileiro da obra.

No total, foram colocadas 37 aduelas metálicas, 18 de cada lado da ponte, e a aduana central, ou chave, completando assim a superestrutura. Em cada aduana foram montadas as lajes pré-fabricadas, cujas juntas foram concretadas.

Essa nova passagem fronteiriça, além de se tornar um importante canal de comunicação para descomprimir e agilizar o trânsito na região, potencializará o crescente desenvolvimento socioeconômico de ambas as nações que promovem o empreendedorismo.

Comentários

1 Comentário

Deixe a sua opinião

  1. Pela primeira vez na história a Itaipu Binacional direcionou recursos para obras de infraestrutura na região de fronteira, o que beneficia a todos os brasileiros. Outrora, parte dos recursos da estatal serviam a propósitos nada republicanos, já que eram destinados ao favorecimento de figuras carimbadas do judiciário, do legislativo e do executivo. Com Bolsonaro, tudo mudou, para o bem da população em geral. O Brasil agradece.