A tão aguardada abertura da Ponte da Amizade finalmente aconteceu e de lá para cá muitos moradores de Ciudad del Este e de Foz do Iguaçu cruzaram a fronteira. No entanto, ainda há algumas dúvidas quanto a questão da entrada e saída do Paraguai e por isso entrevistamos a advogada e presidente do Conselho de Desenvolvimento de Ciudad del Este (Codeleste), Linda Taiyen. Confira:

100f: Qual horário que os paraguaios podem sair do Paraguai? E voltarem?

Linda Taiyen – Os paraguaios não tem restrições quanto a isso, eles podem entrar e sair num período de 24h sem nenhuma restrição.

100f: Qual horário os brasileiros podem entrar no Paraguai? E saírem?

Linda Taiyen – Os brasileiros podem entrar no Paraguai somente até às 14h, mas estamos trabalhando com as autoridades para estender esse horário. E logo poderemos ter novidades, bem antes dos 15 dias, que é o prazo inicial.  

100f: Quanto tempo os brasileiros podem permanecer no Paraguai?

Linda Taiyen – Podem permanecer por até 24h dentro do Paraguai sem nenhum tipo de problema e sem precisar fazer documento de imigração.

100f: Está podendo passar a pé ou só de carro?

Linda Taiyen – Ninguém pode passar a pé por enquanto. Mas acredito que em breve isso pode ser revisto também, antes dos 15 dias.

100f: Está passando ônibus internacional, esses que geralmente passavam indo e voltando do Paraguai com compristas?

Linda Taiyen – Sim, ônibus das linhas internacionais passam sem nenhum problema, assim como moto, carro. Ônibus de turismo podem passar também. Não há restrições quanto a isso.

100f: Para quem sai e entra no Paraguai tem que apresentar algum documento?

Linda Taiyen – Tanto para entrar e sair do Brasil e Paraguai nenhuma autoridade está requerendo nenhum tipo de documentação. Apenas é preciso cumprir o horário. Obviamente se quiserem viajar para outros destinos fora de CDE e do raio de 30km ou então fora de Foz do Iguaçu terão que fazer migração e passar por um protocolo sanitário com comprovante negativo de Covid-19. Isso serve tanto para brasileiros como para paraguaios, pois a livre circulação é só para as cidades de CDE e Foz.

leia também:

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Participe da conversa

6 Comentários

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião