Desde que a fronteira com o Paraguai foi reaberta, no último dia 15 de outubro, os iguaçuenses seguem ansiosos pela reabertura da fronteira com a Argentina. E recentemente algumas notícias sobre essa possível reabertura começaram a circular, informando a data de 2 de novembro como de possível reabertura da fronteira fechada desde o dia 16 de março.

Para saber mais sobre isso, a 100fronteiras contatou Horacio Simsolo, da comunicação institucional da Argentina e que nos repassou as seguintes informações.

Há informações oficiais de quando a fronteira com o Brasil irá abrir?

No dia 27 de outubro foi publicada a DNU 814/2020, e aí a Direção Nacional de Migrações (DNM) informa que decidiu viabilizar apenas duas rotas para esse fim: o Aeroporto Internacional de Ezeiza e o terminal marítimo de Buquebus, ambos em Buenos Aires. Então esses são, por enquanto, os únicos dois pontos habilitados para a entrada de turistas na Argentina.

Como será a fiscalização para essa entrada de turistas?

As pessoas que forem entrar em território argentino devem apresentar atestado médico Covid-19 com PCR negativo.

Com relação a abertura da Ponte da Fraternidade entre Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú, como estão as negociações?

No momento as autoridades da Argentina estão trabalhando em uma bolha de saúde para que se possa abrir a fronteira nos finais de semana e que os brasileiros possam entrar, mas apenas para Puerto Iguazú, não para o restante da província de Misiones. E  também que os argentinos possam ir a Foz do Iguaçu.

Há uma data exata para que isso aconteça?

Não tenho data exata de quando pode realmente ser possível isso. Embora a data de 02 de novembro tenha sido discutida em um ponto, eu vejo que é difícil para os tempos atuais.

Então no momento não há uma maneira viável de iguaçuenses entrarem em Puerto Iguazú, nem as pessoas de Puerto virem a Foz, correto?

Não agora. Mas estamos mais perto. Acho que na outra semana poderemos ser mais precisos.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião