Para alguns parece que foi há uma vida, para outros parece que foi ontem, mas o fato é que já se passaram dois anos que o coronavírus chegou ao Brasil. O que parecia tão distante de nós em poucos dias se tornou uma realidade doída e preocupante. Era a pandemia tomando conta do mundo e transformando a realidade. 

O que nunca imaginávamos ser possível aconteceu. O mundo de fato parou. Os rostos foram cobertos e o olhar passou a ser a principal comunicação das pessoas. As telas, que já eram um meio comum na comunicação das pessoas, se tornaram a única forma de contato. Era o mundo se adaptando a um inimigo invisível e poderoso. 

Aqui na Tríplice Fronteira sentimos de perto esse impacto. As fronteiras entre Brasil e Paraguai e Brasil e Argentina foram fechadas. Famílias tiveram que se separar e o turismo e economia da região foram afetados. Mas o que mais doeu foi a perda humana, incalculável, de pessoas que perderam a vida para o coronavírus. Doeu e ainda dói. 

Capa da Revista 100fronteiras maio Ponte da Amizade fechada
Em maio de 2020 a Revista 100fronteiras apresentou o desafio de viver sem fronteiras.

E passados esses dois anos desde o primeiro caso confirmado no Brasil, sentimos a vida voltando. Ainda não 100%, pois continuamos a usar máscara e álcool em gel. As restrições de distanciamento ainda seguem, mas a vacina chegou e mesmo contaminando as pessoas, hoje a incidência de internamentos e mortes é menor. 

Dados atuais da Covid-19 no Brasil

Nesses dois anos, até o dia 26 de fevereiro, haviam sido registrados mais de 28 milhões de casos e 649 mil mortes pela Covid-19 no país, segundo o The News. E ainda segundo eles, uma pessoa morreu pelo vírus a cada 1 minuto e 40 segundos, e um novo caso foi confirmado a cada 2 segundos. 

Já o número de vacinados no Brasil está em 172,3 milhões que tomaram pelo menos uma dose da vacina — o que equivale a 80,25% da população. Enquanto isso, 72,04% já completou o esquema vacinal inicial, sem levar em conta a dose de reforço.

Os períodos da pandemia mais alarmantes no país aconteceram com a chegada da  variante Delta, no meio de 2021, que foi mais letal, e com a mais infecciosa, a Ômicron, no início deste ano.

Em queda

Apesar do cenário assustador, atualmente o país está com o número em queda. O The News informa que atualmente, são registrados, em média, 79.605 novos casos por dia. Esse indicador é 40% menor ao de duas semanas atrás, mostrando tendência de queda pelo 18º dia seguido.

O cenário atual é de 690 óbitos por dia, em média. Esse número também está em tendência de queda, com uma variação de -22% em comparação a 14 dias atrás.

Economia

O Governo Federal desembolsou mais de R$ 23 bilhões por mês durante o Auxílio Emergencial, que atingiu mais de 39 milhões de famílias.

Além disso, durante esses dois anos, centenas de milhares de empresas fecharam as portas, levando o desemprego para 14,7% em 2021 — um recorde histórico.

Em 2020, o PIB brasileiro caiu 4,1% impulsionado negativamente pela baixa atividade econômica. E ainda não há dados sobre o PIB de 2021. 

Foz do Iguaçu

Desde o início da pandemia, até o dia 27 de fevereiro deste ano, foram confirmados 72.030 casos da doença. Destes, 70.371 pessoas já estão recuperadas. Ao todo, o município registrou 1.238 mortes pela doença desde o início da pandemia.

Já com relação a vacinação, Foz do Iguaçu até o dia 25 de fevereiro vacinou 246.409 com a primeira dose, 219.403 segunda dose, 7.308 com a dose única e 80.646 com a dose de reforço. Ou seja, até o momento 95,8% da população foi vacinada com a primeira dose e 85,6% está imunizada (duas doses). 

Coronavírus

Ciudad del Este

O Paraguai contabiliza os dados nacionais, não sendo possível ter um panorama só de Ciudad del Este. Até o dia 18 de fevereiro haviam 622.858 casos confirmados desde o início da pandemia, sendo um total de 17.882 pessoas que morreram em decorrência da doença. Atualmente o país se encontra em queda de mais de 50%.

Os vacinados no país até o dia 25 de fevereiro são de 53,1% da população com a primeira dose, 44,7% com a imunização completa (duas doses) e 15,4% com a dose de reforço. Os dados da vacinação são da Our World In Data.

Puerto Iguazú

Não encontramos dados atualizados da cidade, apenas da Província de Misiones. Até o dia 23 de fevereiro, o estado confirmou 83.057 casos de Covid-19, sendo que destes 917 pessoas já morreram. Neste mesmo dia, a cidade de Puerto Iguazú confirmou apenas 2 casos. Atualmente a Argentina está com mais de 25% de queda no número de casos. 

Na Argentina, até o dia 27 de fevereiro, 88,9% da população foi vacinada com uma dose, 79,5% com a imunização completa (duas doses) e 37% com a dose de reforço. Os dados da vacinação são da Our World In Data.

Ver os números em queda nos faz ter esperança de que em breve essa doença deixará de ser protagonista em nossas vidas e passará a ser uma lembrança de uma época triste e assustadora que nos fez enxergar a importância dos cuidados com a saúde e a valorizar quem está perto de nós. 

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião