No mês de março acontecerá o Dia da Regularização da Migração, um dia especial para ajudar e facilitar a documentação de imigração de cidadãos estrangeiros que moram, trabalham e estudam no Paraguai, sendo promovido pela Direção Geral de Migração (DGM).

Uma equipe móvel será instalada por uma semana nos locais com mais circulação de estrangeiros, que é o caso da Ciudad del Este, onde muitos estudantes brasileiros fazem medicina. No local, vai ser atendido quem precisa processar seu cartão de admissão temporária ou permanente, ou outros documentos que podem ser emitidos pelo DGM.

Confira quais documentos podem ser solicitados:

  • Cartão de Admissão Temporária
  • Cartão de Admissão Temporária pela Lei de Migração 978/96.
  • Cartão de Admissão Permanente
  • Cartão de Admissão Permanente pela Lei de Migração 978/96.
  • Substituição do Cartão de Admissão Temporária e Permanente.
  • Certificado de estabelecimento

Para quem já tem o documento provisório ainda em andamento ou o permanente, não precisa participar da semana da regularização, apenas se for para fazer o pedido ou renovação.

Paraguai

A assistência vai ocorrer do dia 8 até o dia 12 de março, das 08:00 às 16:00, na Avenida Bernardino Caballero em Ciudad del Este. Para mais informações ligue 021 493 933 ou clique aqui.

Todo o atendimento será realizado de acordo com as medidas sanitárias, como o distanciamento social, uso obrigatório de máscara para todos presentes e também acesso a álcool em gel.

Informações sobre o Dia da Regularização da Migração em outros anos

Fernanda Sosa, moradora de Foz do Iguaçu e estudante de medicina no Paraguai, nos contou como foi sua experiência no processo da semana da regularização em 2018, ou o “mutirão”, como chamam os mais íntimos. Para ela, foi necessário fazer a documentação para ficar de forma legal e regular dentro do país por ser estudante.

Em seu caso o processo realizado em 2018 foi feito de forma rápida, exatamente por ser no período da regularização, com um mês e meio de espera para o recebimento do Cartão de Admissão Temporária. No entanto, ela adverte que pode depender muito de pessoa para pessoa. “Tive amigas minhas que demoraram muito para receber o documento, então não tem como prever muito o tempo”, diz.

O documento temporário tem validade de dois anos, então no fim da duração dele, no ano passado, Fernanda decidiu fazer o permanente e passou novamente pelo processo inteiro de levar os documentos pessoais e pagar uma taxa, este ainda em andamento para aprovação.

É importante que essa documentação seja feita o mais rápido possível assim que for decidido morar, estudar ou trabalhar no Paraguai, para não acontecer nenhum imprevisto ou problema. Por exemplo, caso Fernanda não tivesse nenhum dos documentos necessários e alguém descobrisse isso, ela seria impedida de continuar estudando por estar atuando de forma ilegal no país. Além disso, ela também seria multada.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião