Pela perspectiva teórica da Análise de Discurso materialista, tenho construído uma teorização em torno da fronteira e proposto reflexões acerca do conceito de fronteira tomado de um ponto de vista discursivo. De modo específico, tenho como intuito elaborar uma discussão sobre sentidos de fronteira buscando as tensões e conflitos entre eles. Para tanto, parto das considerações finais de minha tese de doutoramento, defendida em 2019 no IEL/Unicamp, cujo objeto era a constituição do espaço de fronteira e de suas divisões em Dionísio Cerqueira-SC, Barracão-PR (Brasil) e Bernardo de Irigoyen (Misiones, Argentina) nos relatos de viagens.

Assim, ao concluir a tese, considerei que não podemos dissociar a demarcação geopolítica, a linha fixa, identificada a um espaço imaginariamente estabilizado – uma fronteira “traçada” – de uma fronteira “vivida”, carregada de conteúdo social (STURZA, 2010, p. 343), identificada a um espaço móvel, fluido, embora não haja uma coincidência entre uma fronteira “traçada” e outra fronteira “vivida” socialmente. Desse modo, de minha perspectiva e conforme o arquivo analisado, afirmei que o processo de produção do espaço de fronteira não se dá apenas como um gesto político-jurídico, mas como um processo de produção de sentidos e sujeitos (LEMOS, 2019, p. 196-197). 

Em certa medida, isso vem confirmar que o sentido de fronteira atribuído nas decisões político-jurídicas não coincide com os sentidos produzidos na fronteira, em seu cotidiano. No entanto, esses diferentes sentidos indicam que sujeitos e línguas se constituem, justamente, de dois modos: na fronteira e, também, pelas decisões políticas e jurídicas (ibid., p. 65).

Em Lemos (2021, 2022), busquei compreender alguns sentidos produzidos na/pela fronteira mencionada acima, levando em consideração o cotidiano dessa fronteira em tempos de pandemia de covid-19. Nesses trabalhos, considerei que o espaço de fronteira se produz pela diferença, pela desestabilização, por uma ruptura na continuidade, o que vem mostrar sentidos de fronteira em disputa que jogam ao mesmo tempo com a contradição e com a tensão.

Clique aqui para acessar os textos completos.

Espaço Institucional.

Marilene Aparecida Lemos

Docente de Língua Espanhola na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS).

Comentários

Deixe a sua opinião