Mario Abdo Benítez, presidente da República do Paraguai, enfatizou mais uma vez que a fronteira não será aberta até que a propagação do coronavírus no Brasil esteja controlada. Benítez reconheceu que o comércio de fronteira é um dos mais afetados pela situação econômica e que é de grande preocupação para o governo.

“Os negócios são afetados, queremos abri-lo o mais rápido possível, mas não o faremos até que possamos dar garantias ao nosso pessoal de que não haverá propagação”, disse Mario em entrevista. E afirmou que a saúde do povo está acima de tudo e que essa é a prioridade.

Reiterou que a fronteira com o Brasil é uma ameaça a todas as medidas de contenção para impedir a propagação do covid-19 e contra todo o esforço tomado pelo povo paraguaio.

“Dos mais humildes que estão trancados em sua casa há mais de 53 dias, pessoas que vivem dia após dia, que se sacrificaram para ter sucesso na política de saúde, que o Paraguai é um exemplo e reconhecido perante o mundo, graças à disciplina do seu povo.”

Fonte: Agência IP

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião