Formado pela iniciativa do Programa Acelera Foz, o Vila A Inteligente é desenvolvido pelo PTI em parceria com Itaipu, Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e Prefeitura de Foz do Iguaçu.

A área de abrangência do projeto é a BR-277, Av. Tancredo Neves, Av. Garibaldi e Av. Silvio Américo Sasdelli. De acordo com dados da prefeitura, essa área impactará aproximadamente 6.124 moradores.

Mapa mostra a abrangência do projeto Vila A Inteligente. (Fonte: PTI)

A assessoria do PTI explica que a escolha da Vila A para a implantação do projeto se dá pelo bairro estar diretamente ligado à história da Itaipu Binacional, instituição parceira da iniciativa.

“O bairro foi construído na época da construção da usina para abrigar os trabalhadores da obra. Além disso, os investimentos que serão feitos a partir do projeto complementam outras ações que vêm sendo feitas na Vila A, como a construção do Mercado Municipal, a revitalização do Gramadão e a criação de um novo circuito turístico. A localização do bairro, nas proximidades do PTI e da Itaipu, também foi um dos fatores decisórios”,

Assessoria pti

Além disso, demais motivos completam a escolha pelo bairro:

  • o bairro é gerido por uma governança (Associação de Moradores da Vila A – AMVA);
  • possui banco com dados de segurança como roubos e furtos;
  • é contemplado com uma iniciativa coordenada de coleta seletiva de resíduos e Unidade de Valorização de Recicláveis;
  • possui equipamentos públicos de lazer, turismo e entretenimento em situação adequada e que podem ser potencializados;
  • possui iniciativas de obras e projetos com a Itaipu Binacional e outras parcerias;
  • apresenta infraestrutura suporte inicial (conectividade, fibra óptica e equipamentos públicos); e
  • possui uma rede de comunicação por fibra óptica que a interliga com a área da Itaipu Binacional.

Mas, afinal, o que será a Vila A Inteligente?

O objetivo desse projeto, assim como os demais que estão sendo executados na Itaipu A, é promover ações integradas para dinamizar a inovação e o crescimento ordenado e sustentável do município.

Sendo assim, inicialmente está prevista a instalação de tecnologias em quatro áreas temáticas: segurança pública, mobilidade, ambiental e integração com a comunidade.

De acordo com a assessoria do PTI, na área de segurança pública serão implantadas luminárias inteligentes com monitoramento de pessoas por reconhecimento facial e monitoramento de veículos por reconhecimento de placas. Na área de mobilidade, o bairro vai contar com semáforos, pontos de ônibus e estacionamentos inteligentes. Já na área ambiental, serão implementadas tecnologias para o monitoramento climático e ambiental da Vila A. Na área de integração com a comunidade, haverá a disponibilização de rede wi-fi pública e o desenvolvimento de um aplicativo com funções como botão de pânico, acompanhamento da rota dos caminhões de coleta seletiva e informações sobre o transporte coletivo.

(Foto: Lilian Grellmann)

Tudo isso trará um impacto positivo às pessoas que vivem na região. Isso porque as tecnologias implementadas vão aprimorar o uso e a integração dos equipamentos públicos e aumentar o envolvimento da sociedade civil com a administração pública. Sem contar que, com essa implantação, a Itaipu A será transformada em mais um atrativo turístico de Foz do Iguaçu, além de gerar mais empregos e renda para a população. Soma-se a isso a melhora da qualidade de vida e bem-estar da população.

Já com relação à parte tecnológica e de investimentos, esse projeto ampliará o debate para a implementação de novas políticas voltadas a Cidades Inteligentes, com o envolvimento de instituições públicas, universidades, indústrias e empresas de base tecnológica.

Atração de investimentos para a região

Poder desenvolver a região e Foz do Iguaçu como um todo é uma das essências do projeto. Para isso, por meio do Decreto nº 28.244, de 25 de junho de 2020, publicado pela Prefeitura de Foz, foi criado o sanbox – que é um termo utilizado na área de tecnologia da informação e corresponde a um ambiente isolado, específico para testes de uma aplicação, o que oferece às empresas inovadoras a possibilidade de operação em condições e prazos determinados.

Para que as empresas interessadas possam investir no bairro inteligente, o Parque Tecnológico Itaipu vai publicar editais para a atração de empresas de todo o país, e a expectativa é trazer para Foz do Iguaçu mais de 20 novas empresas e startups, e quatro empresas âncoras (de médio e grande porte), conforme destaca a assessoria.

Próximos passos

Atualmente o projeto está na primeira fase. No entanto as tecnologias começam a ser implementadas ainda neste ano. No dia 28 de julho, foi oficializada a parceria entre o PTI e a ABDI. A duração prevista do Programa Vila A Inteligente é de 36 meses.

O general Garrido assinou o convênio ao lado de Igor Calvet. (Foto: Kiko Sierich/PTI)

Com isso, inicialmente, será realizado estudo primário e estratégico para a definição das áreas e tecnologias a serem implantadas, considerando também demandas provindas do bairro, fatores ambientais, urbanísticos e planejamentos preexistentes de ocupação do local. Na sequência, será elaborado o estudo técnico de instalação das principais tecnologias e pontos de conexão do sistema de telegestão, e o projeto executivo de infraestrutura de comunicação.

Enquanto a instalação não acontece, a região já vive um novo momento, no qual a população e as empresas usufruem as melhorias existentes na Vila A e aguardam ansiosamente para ver o bairro transformar-se em um polo de desenvolvimento tecnológico, econômico e sustentável. E nós da 100fronteiras acompanharemos tudo de perto.

ITAIPU A

Em dezembro de 2019, houve alteração no nome de diversos bairros de Foz do Iguaçu. Sendo assim, a Vila A passou a se chamar Bairro Itaipu A, de acordo com a publicação no Diário Oficial do Município em 21 de dezembro. A lei complementar aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo Prefeito, criou, delimitou e denominou os novos perímetros urbanos. Dos mais de 290 bairros existentes na cidade, a nova lei enxugou para 37, os dividindo em 12 regiões.

Avenida Silvio Américo Sasdelli, na Vila A. (Foto: Lilian Grellmann)

Em decisão editorial, a 100fronteiras optou por manter o nome Vila A, conhecido popularmente pelos iguaçuenses, e Itaipu A, nome atual do bairro.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião