banner-foz-itaipu-foz

O prefeito municipal de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, publicou hoje o decreto nº 29.015, flexibilizando o funcionamento do comércio de Foz do Iguaçu. Com isso, o comércio considerado não essencial que estava fechado desde o dia 27 de fevereiro, poderá atuar com 30% da capacidade. 

Este novo decreto publicado hoje não adota as mesmas medidas do decreto estadual, publicado na sexta-feira (05), que decide abrir o comércio na quarta-feira com 50% da capacidade de público.

A partir de segunda (08) até o dia 15 de março as atividades comerciais poderá atuar com 30% de sua capacidade de público. Os horários serão:

  • das 8h às 17h: localizados na região compreendida entre a Vila Portes, Jardim Central e Vila Brasília;
  • das 9h às 18h: localizados na região Central entre Vila Iolanda, Jardim América e Vila Maracanã;
  • das 11h às 20h: shopping centers;
  • e as demais regiões funcionarão no horário comercial convencional.

As academias poderão funcionar das 6h às 20h de segunda a sexta-feira, com limitação de 30% (trinta por cento) de ocupação.

Continuam suspensas as danceterias, casas noturnas, tabacarias, cinema, teatro, festas e aglomerações residenciais/domiciliar com danças e bailes, clubes e chácaras de lazer, e as aulas presenciais no ensino público e privado.

O toque de recolher continuará das 20h às 5 da manhã.

Confira o decreto completo:

Vale lembrar que sexta-feira, dia 26, foi publicado no diário oficial o decreto nº 28.999 que comunicou o fechamento de serviços e atividades não essenciais, toque de recolher às 20h, e restrição de estrangeiros na cidade até o dia 8 de março.

Avenida Brasil vazia. (Foto: Evelin Fretes)

Com isso, os comerciantes viram-se prejudicados. Desde o início da pandemia, eles já vêm enfrentando uma grande crise, e já superaram outros “lockdowns”.

Em entrevista com a 100fronteiras, o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (ACIFI), Faisal Ismail, disse que com a pandemia acontecendo há cerca de um ano, muitos comerciantes sentem que estão preparados para enfrentá-la, ainda mais com todas as informações diárias publicadas a respeito da segurança sanitária, então segundo Faisal, eles acreditam que esse novo lockdown não é a melhor escolha para a segurança sanitária.

Além da opinião do presidente, que aconteceu na quarta-feira (03/03), na sexta-feira (05/03) os comerciantes fizeram uma manifestação em frente a Prefeitura, mostrando a indignação da medida de fechamento dos comércios.

Diálogos 100fronteiras

Deixe a sua opinião