A vida de um militar se baseia em servir a nação. No entanto, uma das aflições da vida do militar é nunca saber, o próximo destino. O coronel Marcelo Pontes, que veio do Rio de Janeiro diretamente para a fronteira, em janeiro de 2019, está para concluir seus dois anos de comando do 34º BIMec e em breve partirá para uma nova missão.

“O auge da carreira do oficial do Exército Brasileiro é o comando de um batalhão. Aqui em Foz, ao longo desses dois anos, eu vivi o auge da minha carreira militar”, comenta o coronel.

Ações realizadas à frente do 34º BIMec

Ao mesmo tempo que tinha a grande responsabilidade de comandar um batalhão com mais de 130 anos de história, Pontes realizou diversas ações à frente do 34º BIMec.

Dessa forma, neste ano o trabalho foi mais intensificado. Com a missão de fortalecer as ações integradas, não só de segurança e patrulhamento da fronteira como na parte social.

Para isso, ele precisou comandar um desafio ainda maior, o de auxiliar a população iguaçuense neste momento difícil.

Entre as ações sociais realizadas pelo 34º Batalhão estão:

  • participação no projeto Marmita Solidária, ao qual disponibilizou mão de obra para a preparação da comida;
  • arrecadação e elaboração de lanches para os profissionais da saúde da linha de frente do Hospital Municipal contra a covid-19. A entrega diária ocorreu por cerca de dois meses;
  • centro de recebimento de cestas básicas da prefeitura. O batalhão disponibilizou o espaço para o armazenamento das doações;
  • apoio e assistência aos moradores do Paraguai e Argentina que chegavam às pontes da Amizade e da Fraternidade e não conseguiam entrar em seus respectivos países. Com isso, o batalhão repassou comidas e donativos a essas pessoas.
Batalhão Foz

Entre as ações de segurança realizadas pelo Batalhão estão:

  • um papel importante no fechamento das fronteiras, na segurança e monitoramento;
  • realização de diversas apreensões com o apoio da Marinha, Polícia Militar, Receita Federal e Polícia Rodoviária Federal;
  • realização de operações pontuais nas rodovias da região;
  • monitoramento de segurança 24h e controle de quem entrava e saía do país pela Ponte Internacional da Amizade, trabalho ainda hoje realizado na Ponte Tancredo Neves, na fronteira com a Argentina, que segue fechada.

“Em um momento que todo mundo segurou, nós aceleramos o trabalho realizando muitas ações. Isso é algo que me deixa muito feliz, ter podido ajudar nesse momento tão crítico. Hoje eu posso olhar pra trás e ver que o batalhão fez bastante coisa. Contribuímos para patrulhar nossa área de fronteira, aumentar os índices de apreensões. E não só o batalhão como outros órgãos estão batendo o recorde de apreensões. Isso é fruto de um trabalho do batalhão apoiado a outras instituições”, destaca o coronel.

Integração

Batalhão Foz

Além das atividades exclusivas em razão da pandemia, ao longo dos dois anos de comando, Pontes intensificou ações integradas com as demais instituições.

A coisa mais importante ao longo desses dois anos foi a integração, algo que faz parte da história do 34º BIMec“, destaca.

Ele explica que está continuando o trabalho dos militares que vieram antes dele.

“Essa integração propicia um trabalho mais ordenado. A fronteira tem uma série de problemas relativos aos crimes transfronteiriços, e uma instituição isolada não conseguiria trabalhar tão bem quanto todas juntas. Então é um motivo de orgulho e me deixa realizado participar dessa grande equipe e de ter incentivado essa integração com os demais órgãos governamentais, assim como também com a sociedade.

Entre as ações realizadas, Pontes tem orgulho em citar a formação dos soldados militares, que permanecem no batalhão de um até oito anos.

Cursos de Capacitação

Nesse período em que ele esteve à frente do comando realizaram cursos de capacitação profissional para que quando saíam do Exército tenham um emprego garantido.

“Com base nisso, no início deste ano, fiz uma ação com os empresários da cidade para conhecerem nossos recursos humanos. E deu muito certo, muitos empresários contrataram nosso pessoal de forma imediata. Isso é um motivo de orgulho, algo que foi fortalecido na minha gestão.

E é uma das missões do quartel, formar o cidadão brasileiro”, ressalta.  

Também foram realizados eventos para os profissionais de comunicação da cidade de Foz do Iguaçu.

Além de formaturas e ações com escolas municipais.

Um dos momentos mais emocionantes da gestão do coronel Pontes foi no aniversário do 34º Batalhão.

Que ocorreu antes da pandemia, quando os ex-militares puderam voltar à sede e recordar o passado, algo que o emociona ainda hoje.

“O batalhão tem história, tem vida própria.

Ele não é formado por esses prédios, mas por homens e mulheres que viveram e vivem aqui. Dessa forma, nada mais justo que contar essa história e prestigiá-los”, diz bastante emocionado.

No entanto, com a chegada da pandemia, o BIMec passou a ficar vazio. Isso entristeceu Pontes, que se orgulha ao ver a “casa cheia”.

Passagem de comando do 34º BIMec

Nesse ínterim, a passagem de comando que será realizada em janeiro. Também ocorrerá sem a presença do público, por conta dos protocolos de segurança.

“Se eu pudesse fazer um último pedido, seria ver o batalhão cheio nessa passagem de comando, mas infelizmente não será possível”, declara com lágrimas nos olhos.

O nome escolhido para ocupar o cargo é o do coronel Georgingtown Haullinson Farias. Ele vem de Brasília para assumir a responsabilidade de comandar o 34º BIMec e substituir o coronel Pontes.

tenente-coronel Marcelo Ponte Batalhão Foz
Coronel Marcelo Pontes está há dois anos à Frente do 34º BIMec.

“Não existe ex-militar, porque quando a gente tira a farda o sangue continua verde-oliva, é uma coisa que a gente não consegue tirar com tanta facilidade.

Sempre envolve o sentimento, carinho e lembranças dos tempos bons vividos aqui, uma sensação de pertencimento, isso é o que sentimos.

O Exército Brasileiro e a carreira militar representam um sonho realizado depois de 28 anos de atuação. Aqui eu me encontrei e me realizei, fiz a escolha certa.”

Marcelo pontes

E desde o início de 2020 os dois mantêm contato para que o sucessor possa ir familiarizando-se com o batalhão. E assim, quando assumir, dê continuidade aos trabalhos.

“Confio plenamente no comandante que está chegando. Ele vai fazer muito mais do que eu fiz aqui em Foz, é uma alegria que o batalhão continuará acelerando ainda mais.”

Ida para Curitiba

De Foz, Pontes parte para uma nova missão, em Curitiba, para servir na 5a Divisão de Exército (5a DE). Que é o grande comando operacional responsável pelas operações em Santa Catarina e Paraná, algo que o deixou muito feliz também.

“Faz parte da vida militar mudar de dois em dois anos, e estou feliz com esse próximo destino.”

Apaixonado por Foz do Iguaçu, Pontes, a esposa e a filha de 3 anos se sentiram acolhidos logo na chegada. E agora se despedem de Foz com um até breve.

Batalhão Foz

“Eu vejo Foz como um local de muito trabalho e de muita produtividade, com ações realizadas e sucesso obtido. E também o reconhecimento por parte da sociedade iguaçuense. Então esse reconhecimento é um diferencial de Foz. O balanço final é a alegria da integração vista aqui na fronteira. E o desejo de que isso produza frutos positivos para toda a região”, conclui. 

Ficha técnica do 34º BIMec

Em 26 de fevereiro de 1932, foi criada a 1ª Companhia Independente de Fronteira. Em 1943, a Companhia de Fronteira se transformou no 1º Batalhão de Fronteira. Que, em 1980, recebeu a denominação de 34º Batalhão de Infantaria Motorizado.

No dia 24 de maio de 2013, o batalhão foi transformado em 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado. Totalizando dessa forma 88 anos de história na Tríplice Fronteira.

Atualmente, o 34º BIMec possui aproximadamente 700 homens. E segue cumprindo sua missão de ser “Sentinela Avançada do Brasil”. Com isso, buscando sempre a integração com a sociedade iguaçuense. E com os outros importantes atores, governamentais e não governamentais, existentes em nossa região.  

Batalhão Foz

A área territorial que o 34º BIMec atende: Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu. Além de Medianeira, Matelândia, Céu Azul, Serranópolis, Ramilândia, Itaipulândia e Missal.

O 34º BIMec está subordinado diretamente ao comando da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada, sediada na cidade de Cascavel/PR.Hoje, o 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado possui 21 viaturas blindadas de transporte de pessoal Guarani.

A aquisição do novo carro de combate proporciona à infantaria mais mobilidade, proteção blindada e potência de fogo, para melhor cumprir a missão de defesa da pátria, bem como proteger importantes estruturas estratégicas na faixa de fronteira.

Patrícia Buche

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Participe da conversa

1 Comentário

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião