O secretário Extraordinário de Transporte Público de Foz do Iguaçu, Fernando Maraninchi, participou na manhã desta quarta-feira (16), de uma reunião na sede do Sindhotéis de Foz do Iguaçu, foi recebido pelo presidente do sindicato, Marcelo Martini, e por Luiz Carlos Artman, Diretor Executivo.  Representando o Sindicato dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade de Foz do Iguaçu, Luiz Carlos Queiroz – Diretor do STTHFI, também esteve presente. 

A pauta foi para discutir soluções sobre a demanda e horários do transporte coletivo para os colaboradores dos hotéis e restaurantes da Avenida das Cataratas, que sofrem com a falta de transporte após as 23h, muitos precisam tomar duas conduções para chegar em casa tarde da noite.

Para Marcelo Martini, a reunião foi de suma importância, “os colaboradores da hotelaria, bares e restaurantes, no atual modelo de transporte coletivo, vem sofrendo com alguns horários, principalmente noturno, tendo problemas para conseguir chegar em casa,  não conseguem pegar o ônibus e chegar no terminal do centro a tempo de fazer conexão, precisamos de um transporte coletivo mais eficiente e que venha de encontro a nossa atual necessidade, Foz  tem um viés turístico e temos a sazonalidade de termos altas e baixas temporadas no fluxo de turistas,  e isso altera a demanda do transporte coletivo”.

O secretário Fernando Maraninchi, disse que a solução seria ter mais ônibus e com maior frequência, “precisamos pensar também na qualidade dos ônibus, ar condicionado, limpeza, segurança e câmeras, precisamos usar a tecnologia a nosso favor, como reconhecimento facial, possibilidade de pagamento via celular e cartão de débito, isso já estamos pensando em contratar na próxima licitação que deve acontecer até março de 2023”.

Pontos de Integração – Maraninchi citou que uma das soluções seriam mini terminais espalhados pela cidade, “imaginamos 17 pontos, como nas Avenidas JK, Tancredo Neves, bairro Três Lagoas e Rodoviária, seria um grande ponto de integração para que o usuário não tenha que vir até o TTU, para depois ir até Três Lagoas, por exemplo”.

Maraninchi também destacou que seria necessário a abertura de algumas vias no município, para facilitar a mobilidade urbana e o deslocamento desses ônibus, evitando assim a sobrecarga de algumas ruas e avenidas, como a República Argentina e JK.

Comentários

Deixe a sua opinião