Dezembro começou com regras nos comércios noturnos de Foz do Iguaçu. Devido ao toque de recolher bares, casas noturnas, restaurantes, lanchonetes, distribuidora de bebidas, pesque-pague e salões de festa só podem funcionar até a meia-noite.

Essa medida é uma forma de conter o avanço do coronavírus em Foz do Iguaçu.

Isso porque houve aumento de casos diários, mortes e ocupação dos leitos de UTI nas últimas semanas, o que reacendeu o alerta para os cuidados redobrados.

Quarentena restritiva em Foz do Iguaçu

Desde o início da pandemia em março de 2020, a cidade de Foz cumpriu alguns decretos com restrições no comércio.

Como o lockdown de março e a quarentena restritiva no final de junho e inicio de julho.

Além disso, houve lockdown em alguns bairros de Foz para evitar que a cidade toda fosse fechada.

Depois disso, a cidade ficou alguns meses sem restrições nos horários de funcionamento dos comércios, tanto diurno, quanto noturno. E agora, início de dezembro, voltou a restringir os horários noturnos como forma de frear a disseminação do vírus.

As novas medidas restritivas estão funcionando?

A 100fronteiras buscou saber se a medida adotada pelo município surtiu efeito positivo.

Para isso, o diretor técnico do Hospital Municipal, Fábio Marques, nos informou que leva cerca de dez dias para começar a notar os efeitos dessa medida restritiva.

“Nós contamos cinco dias do período de incubação, desde que a pessoa teve o contato com a pessoa infectada, ou seja, depois de cinco dias ela começa a desenvolver os sintomas. A coleta é feita após dois a três dias, ou seja, sete a oito dias desde o contato com a pessoa infectada, e o resultado sai em até 48h. Com isso se tem dez dias ao todo desde o contato da pessoa com o caso positivo. Então para a gente identificar algum sucesso nas medidas de restrição, a gente precisa analisar o período após os dez primeiros dias”.

teste-covid-19-hospital-costa-cavalcanti
(Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional)

Resultado do toque de recolher em Foz do Iguaçu

De imediato, o Dr. Fábio explicou que houve uma redução de trauma e de vítimas de arma de fogo e arma branca, “que acontece com uma certa predominância na madrugada e por isso teve uma redução”.

Números de casos diários nos primeiros dias de dezembro

Desde que passou a valer o toque de recolher, os primeiros dias seguiram com número elevados e depois houve queda, conforme a lista abaixo:

  • 03 – 176 novos casos
  • 04 – 214 novos casos
  • 05 – 188 novos casos
  • 06 – 158 novos casos
  • 07 – 190 novos casos
  • 08 – 242 novos casos
  • 09 – 208 novos casos
  • 10 – 247 novos casos
  • 11 – 237 novos casos
  • 12 – 162 novos casos
  • 13 – 53 novos casos
  • 14 – 84 novos casos

O Dr. Fábio consultou Rafael Santos, coordenador do laboratório, que explicou não haver nenhum problema operacional que justifique essa redução no número de casos positivos nos últimos dois dias.

Assim, Fábio conclui que “pode ser um bom indício de que as medidas iniciadas há 14 dias com a restrição das atividades noturnas na cidade tenha surtido efeito. Obviamente há o fator do final de semana, mas os números de segunda estão bem abaixo das semanas anteriores. Outro fator a ser considerado é que o PSR parece estar mais calmo, assim como a procura também diminuiu para a realização de exames nos últimos dias”.

Ainda é cedo para comemorar

Nesse ínterim, o prefeito de Foz Chico Brasileiro explicou que a curva ascendente de casos de Covid-19 não somente em Foz do Iguaçu, como em todo o Estado do Paraná é preocupante e exige responsabilidade de toda a sociedade. Lembrando que o decreto do estado proíbe a circulação de pessoas em vias públicas das 23h às 5h.

“As medidas restritivas adotadas pelo Governo do Estado e também pela Prefeitura trouxeram reflexos positivos, pois houve uma redução de procedimentos cirúrgicos de emergência relacionados a acidentes de trânsito, impactando diretamente na utilização das UTI’s do Hospital Municipal. Até que não tenhamos uma vacina aprovada pelas autoridades de saúde, devemos seguir utilizando máscaras, mantendo o distanciamento e respeitando as medidas de segurança. Se cada um fizer a sua parte, conseguiremos reduzir o número de casos e mortes pela doença”.

O prefeito também ressaltou que esse é um período perigoso, porque todos acabaram relaxando nos cuidados e, nesse momento, primeira dezena de dezembro, toda a macrorregião do oeste do Paraná está com seu sistema de saúde próximo a exaustão.

Já o Dr. Fábio volta a acrescentar que “se consideramos a dinâmica da pandemia, o período do 10º a 14º dias após a tomada de alguma medida restritiva são fundamentais para avaliar sua eficácia (5 dias de incubação + 2 dias para realização do teste + 3 dias para o resultado do exame que sai no boletim). Com isso, a pandemia é uma ‘caixinha de surpresas’, mas esses números podem indicar uma reversão para queda”.

Queda na ocupação dos leitos de UTI em Foz

Dr. Fábio destacou que após os dez primeiros dias do toque de recolher foi possível constatar uma baixa no número de ocupação dos leitos de UTI. “Hoje (14) estamos com 42 pacientes internados na UTI, o que representa 84% de ocupação de UTI, sendo que estávamos em 100%”, destaca o diretor técnico. Mas ele ressalta que ainda é cedo para comemorar. “Precisamos manter todas as precauções e observar os próximos dias. Mas existe um indício de que estamos caminhando para uma melhora no cenário”.

ala covid foz do iguaçu
(Foto: AMN)

Somando a isso, o prefeito Chico alertou a população. “Foz do Iguaçu, por exemplo, possui mais leitos de UTI per capita do que países de primeiro mundo, como a Alemanha, por exemplo. Iniciamos a pandemia com 17 leitos de UTI e ampliamos até hoje podermos disponibilizar 97, mas isso se revela insuficiente. Neste momento estamos com uma intervenção no sistema de Transporte Público, setor onde detectamos grandes aglomerações e possíveis focos de transmissão da doença. Restringimos alguns setores que geram o chamado ‘comportamento de risco’, que são as interações sociais sem máscara e aglomerações e estamos traçando as diferentes estratégias para cobertura vacinal quando a mesma estiver disponível. Fora isso, voltamos a investir na conscientização das pessoas para que retomem e reforcem os cuidados individuais.  Não queremos que a pandemia nos leve novamente a ver comércios fechados e outras medidas de contenção tão impopulares”.

Dados atualizados do Covid em Foz

Sendo assim, de acordo com a Vigilância Epidemiológica de Foz do Iguaçu, na data de hoje, 14, são 16.268 casos ao todo, desde o inicio da pandemia. Deste total, 15.311 pessoas já estão recuperadas.

Dos casos confirmados ativos, 619 estão em isolamento domiciliar com sinais e sintomas leves e 115 pessoas estão internadas.

Atualmente há 223 mortes pela doença no município.

Painel Coronavirus Foz

Leia também!

Patrícia Buche

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Participe da conversa

2 Comentários

  1. As pessoas continuam fazendo aglomerações de madrugada sem máscara e ao acionar a guarda municipal dificilmente eles vem fazer uma vistoria.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião