Álvar Nuñes Cabeza de Vaca foi o primeiro homem a ver as Cataratas do Iguaçu, ele era um explorador europeu. A primeira expedição de Cabeza de Vaca pelas américas, foi em 1528, onde explorou as regiões da Flórida e México. A segunda, em 1540 tinha como objetivo retomar o poder da Espanha sobre a região e assim, ele foi nomeado o governador da Província de Rio Prata. Após chegar pela Ilha de Santa Catarina, se dirigiu para Buenos Aires. Em 1542, Nuñes atravessava a região que pertencia às tribos indígenas Tupi-guarani e Caingangue em direção ao que hoje é o Paraguai.

Ao descer o rio, o explorador avistou as Cataratas do Iguaçu e conseguiu escapar das grandes quedas que o esperava. Quando conseguiu desviar o caminho, batizou as quedas de “Santa Maria”.

Mas por que tem uma estátua de Santos Dumont nas Cataratas? 

Bom, Santos Dumont foi o responsável pela criação do Parque Nacional do Iguaçu, onde ficam as Cataratas. Em uma viagem inesperada a Foz do Iguaçu, Dumont conheceu as Cataratas, ficou maravilhado e indignado por saber que todo aquele espaço pertencia a uma única pessoa. 

Disposto a mudar essa realidade, ele seguiu viagem para levar essa ideia ao presidente do Estado do Paraná, na época Afonso Camargo, aproveitando sua grande influência. E aquela área passou a ser de posse da União alguns meses após sua visita.

Getúlio Vargas assinou o decreto que dava a criação oficial do Parque Nacional do Iguaçu, em 1939. Na época era o Presidente do Brasil.

E para homenagear a passagem de Santos Dumont aqui, em 1979, Elfrida Engel, filha de Frederico Engel, que foi quem trouxe Santos Dumont para Foz, conseguiu fazer a estátua de Dumont ser colocada na trilha das Cataratas em 1979.

Estátua Santos Dumont Cataratas do Iguaçu
Foto: seviranomundo

A lenda das Cataratas

Todo iguaçuense já deve ter escutado na escola, ou em qualquer outro lugar sobre a famosa Lenda das Cataratas. Uma história onde envolve paixão, amor proibido entre dois jovens, e fúria.

Onde atualmente é uma das 7 maravilhas da natureza, muitos anos atrás era um rio calmo, cercado por floresta, onde nas margens vivia a tribo de índios Caingangues. Viviam em harmonia com a natureza, e acreditavam no Deus das águas M’boi, filho de Tupã, Deus dos índios e criador de tudo. M’boi tinha a fisionomia de uma cobra gigante que vivia no Rio Iguaçu. 

Como acreditavam que tudo de ruim acontecia pelo castigo de M’boi, em época de seca, quando começou a faltar peixes, fizeram um trato com a grande serpente: a cada ano seria entregue uma bela índia a ele em troca de comida e água fresca. 

Chegou o ano de Naipi, a índia mais linda da tribo, que já vivia uma paixão com Tarobá, um dos guerreiros mais fortes da tribo.

No dia de ser entregue a M’boi, Naipi e Tarobá decidiram fugir juntos, mas M’boi descobriu e houve uma grande confusão, a sua fúria e o medo de perder sua prometida fez com que abrisse uma fenda no rio, assim criando as Cataratas.

Aqui temos uma matéria mais detalhada sobre a Lenda das Cataratas.

O que fazer nas Cataratas do Iguaçu?

O passeio nas Cataratas são bem flexíveis de acordo com o visitante. Você pode escolher entre pedalar da entrada do Parque até as quedas ou até mesmo pegar o ônibus e descer já no mirante principal.

A trilha mais comum e com uma vista panorâmica tem 1.200 metros de extensão. No percurso, existem mirantes que permitem uma visão mais próxima de alguns saltos. Durante a caminhada, é possível ver algumas espécies da fauna e da flora do Parque. E, ao fim da trilha você terá acesso a Garganta do Diabo, a mais deslumbrante das quedas, com aproximadamente 90 metros de altura. E, durante o percurso, se você tiver sorte, poderá ser acompanhado por quatis que moram lá!

Para chegar à trilha principal, você irá pegar um ônibus do parque (está incluso no ingresso).

Além dessa trilha principal, temos a trilha do Poço Preto e a trilha das Bananeiras. A trilha do Poço Preto é uma trilha de Ecoaventura, com 9 km que pode ser percorrida a pé, de bicicleta ou carretinha, apreciando a fauna e flora do lugar.  

A trilha das Bananeiras é um passeio ecológico, que combina trekking com navegação. O passeio tem uma trilha de 2 km em meio à floresta do Parque Nacional do Iguaçu, ela é feita com o acompanhamento de guias que dão informações sobre a fauna e flora. A segunda parte do passeio é uma navegação nas águas calmas do Rio Iguaçu. Tem uma parada na Casa da Mata, local onde é possível observar toda a natureza a 10 metros de altura. O retorno ao ponto de partida, no cais da Trilha das Bananeiras, é feito com barco ou ducks (caiaques infláveis).

Outro atrativo dentro do Parque, é o passeio do Macuco Safari. O passeio do Macuco é dividido em três partes: selva – trilha – barco. 

Na selva, você será conduzido por uma trilha de 2 km em meio a floresta do Parque Nacional do Iguaçu em carreta aberta levada por um veículo elétrico com acompanhamento de Condutor de Ecotrilha.

A trilha é opcional e nela você terá o contato com o meio ambiente, se tornará ainda mais estreito, com uma caminhada de aproximadamente 600 metros onde poderá observar a bela cachoeira do Salto Macuco. Você será conduzido às margens do rio Iguaçu de onde sairão com os barcos bimotores do passeio.

Chegou a hora do barco,  agora o passeio ganha emoção, o barco segue rio acima até as Cataratas do Iguaçu, onde você desfrutará de uma visão exclusiva, única e impressionante das quedas d’água.

Macuco Safari
Foto: Macuco Safari

Para fazer o passeio de bike nas Cataratas é preciso comprar o ingresso normalmente, antecipado e pelo site (onde mostra todos os valores). A venda antecipada é uma medida de proteção adotada para manter o programa ainda mais seguro para todos.

 O parque não faz o aluguel das bikes, então você pode ir com a sua ou alugar uma numa empresa. São aproximadamente 11 km pedalando, mas a vista compensa! Durante o percurso, você poderá aproveitar a brisa que a mata proporciona. 

A volta pode ser com a sua bike mesmo, ou você pode pegar uma carona nos ônibus  panorâmicos do parque, que também levam as bicicletas de volta. Pedalar no Parque Nacional do Iguaçu é uma experiência de contato com a natureza super indicada, reunindo lazer, saúde e boas histórias.

Mas agora, para recompor todas as energias gastas nesses passeios, vamos falar de comida. 

Tem onde comer nas Cataratas do Iguaçu?

A resposta é sim! Dentro do parque, você também tem deliciosas opções de onde comer. Lá, existe uma praça de alimentação, onde tem várias lojinhas que você pode pedir sua comida e comer lá mesmo aproveitando o barulho das quedas. Também é possível levar seu próprio lanche.

Restaurante Porto Canoas

O restaurante Porto Canoas, é o restaurante das Cataratas. O lugar tem uma energia e uma vista singular das Cataratas do Iguaçu, Maravilha Mundial da Natureza. De qualquer lugar do restaurante você consegue sentir e ver a imensidão e a grandeza do maior conjunto de quedas d’água do mundo. A visita ao restaurante é uma viagem gastronômica dentro do seu passeio pelas Cataratas.

Restaurante Porto Canoas
Foto: Cataratas S.A.

No dia 06 de abril foi estreado um novo cardápio com uma diversidade de porções e pratos à la carte, destacando os sabores e os sentidos que o local proporciona,  também está com um novo cardápio de bebidas, dispondo de drinques de todas as cores e sabores.

Belmond, o hotel das Cataratas

Você sabia que algumas atividades no famoso Hotel das Cataratas são abertas ao público? Isso mesmo, agora você pode aproveitar e conhecer os serviços que o hotel dispõe não apenas para hóspedes.

Belmond Hotel das Cataratas
Belmond Hotel das Cataratas

Lá, o bar Tarobá é o ponto de encontro perfeito para degustar bebidas e socializar. Pode se sentar na varanda, cercada pela floresta tropical e assistir ao pôr do sol nas Cataratas do Iguaçu. O menu de aperitivos leves é uma opção ideal para beliscar e combina perfeitamente com a grande variedade de drinques. O bar funciona das 14 às 23h.

O menu do restaurante Itaipu conta com uma variedade de pratos brasileiros e internacionais exclusivos. As combinações do chef o tornam um dos restaurantes mais prestigiados do Brasil. A escolha da mesa pode ser feita no interior ou na varanda sombreada do restaurante. Cada prato é complementado pelo ambiente natural, com o som das cataratas. O restaurante funciona das 19:30 às 22:30.

E por último mas não menos importante, o Ipê Grill, onde tem um belo churrasco brasileiro. Lá, as carnes são macias e com acompanhamentos criativos, os pratos são apreciados à beira da piscina. Um farto de saladas frescas, pratos locais, internacionais e clássicas sobremesas brasileiras estão disponíveis para satisfazer o paladar a qualquer hora do dia. O Ipê Grill também serve um delicioso café da manhã, para deixá-lo revigorado para suas aventuras do dia. O horário do café da manhã é das 6h30 às 10h30, de segunda a sexta (a partir das 7h no domingo), e o jantar é das 19h30 às 22h30.

Para ir nos restaurantes é preciso fazer a reserva através do site, pelo WhatsApp, ou ligar no telefone do Hotel (21) 3500-0293.

Como chegar nas Cataratas?

As Cataratas ficam perto do aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, ela é um pouco retirada mas existem hotéis perto e até dentro do parque, o Belmond.

Se você estiver de apé e optar por ir de ônibus, deverá pegar a linha 120 – Parque Nacional, essa é a única linha de transporte público que chega nas Cataratas. A passagem custa R$4,20. O ônibus sai do Terminal de Transporte Urbano, e toda a sua rota praticamente é na Av. das Cataratas.

Clique aqui para acessar a rota do Parque Nacional.

FOTO: ARQUIVO PNI 

É possível ir de ônibus, pegando a linha 120 – Parque Nacional. A passagem custa R$4,20. Outras opções: alugar um carro, ir de táxi ou de transporte de aplicativos. 

SERVIÇO 

Valor para brasileiros: a partir de R$ 63,00 

Valor para estrangeiros: a partir de R$ 107,00 

Valor para Mercosul: a partir de R$ 85,00 

Valor passe comunidade (moradores de municípios vizinhos ao Parque Nacional do Iguaçu): a partir de R$ 20,00 

Horário de funcionamento: Terça a sexta, das 9h às 16h. 

Sábado e domingo, das 8h30 às 16h.



Comentários

2 Comentários

Deixe a sua opinião