A advogada Adriana de Lacerda Rocha poderia ser só mais uma das inúmeras pessoas que migraram de outras regiões do país a Foz do Iguaçu, mas não é. Quando ela se mudou para a cidade, isso lá em 2004, percebeu logo no início que Foz era uma cidade com grande potencial para a educação e seria exemplo positivo ao país e ao mundo, porém a cidade era suja. Mais de uma década depois, ela estaria à frente da Campanha Foz Limpa, Foz Linda.

Por: Patrícia Buche

Fotos: Jordan Santos

Foz do Iguaçu, além de ser conhecida como a Terra das Cataratas, também tem destaque nacional quando o assunto são as ruas. Pedro Basso é a avenida mais bonita da cidade, e a Rua Gilberto Rolon entra nessa concorrência. Mas o que isso tem a ver com a nossa capa do mês? Tem tudo a ver porque estamos falando de beleza e, mais do que isso, de limpeza e de saúde. As Cataratas são maravilhosas, e algumas ruas são cartões-postais. Contudo basta olhar atentamente para as calçadas e os rios que você irá encontrar lixo e muita poluição.

Talvez morando aqui você não perceba, ou talvez esteja acostumado com a sujeira. Mas seja no centro ou nos bairros, o lixo se acumula nas calçadas e quem vem de fora percebe isso claramente. Foi o que aconteceu com Adriana. Ela até chegou a comentar isso nas aulas que ministrava para alunos de Direito, porém eles pareciam não perceber.

Adriana de Lacerda Rocha é idealizadora da campanha Foz Limpa, Foz Linda.

O tempo passou, e ela continuou sentindo-se incomodada com aquela situação. Conversou com o esposo, Hegrisson Carreira Alves, que estava fazendo uma pesquisa de campo para dissertação de mestrado sobre a linguagem do “jeitinho brasileiro”, e juntos perceberam que trabalhar essa questão de maneira aberta com a sociedade poderia contribuir para a reeducação em relação à ética do dia a dia.

Hegrisson Carreira Alves, esposo de Adriana, é um dos responsáveis pela campanha.

“Eu detinha um conhecimento grande na área da ética e cosmoética. Eu sabia o que era preciso fazer. Precisava ir na contramão da sociedade e fazer algo prático, fazer a minha parte. Então por meio do meu conhecimento comecei a informar as pessoas sobre as consequências de jogar esse lixo no chão. Deixei de ficar apenas observando e passei a atuar de modo prático. Foi quando passei a escrever os artigos para a 100 Fronteiras no início de 2015, inspirada na iniciativa da década de 70 da campanha Sujismundo, lançada pelo governo federal para que a população entendesse a importância da limpeza”, explica Adriana.
Sujismundo: a decisão da Prefeitura do Rio, no final dos anos 90, de multar quem emporcalhava as praias da cidade fez muitos cariocas lembrarem-se de um personagem: o Sujismundo. Na época a intenção era incentivar bons hábitos de higiene com o slogan “Povo desenvolvido é povo limpo”.

Espírito de liderança

Adriana sempre teve iniciativa. Com muitas ideias e vontade de contribuir positivamente para o bem da sociedade, ela trabalha no voluntariado conscienciológico há mais de duas décadas e sabe que a união das pessoas proporciona resultados positivos. Quando decidiu escrever sobre a conscientização de não jogar lixo na rua, queria levar informação às pessoas visando a contribuir para a reeducação.

Então, no início de 2017, Adriana deu um passo mais largo nessa missão quando expôs seu trabalho à Associação de Mulheres do Turismo de Foz do Iguaçu (Amutur). Na mesma ocasião, as associadas apoiaram a ideia e, juntamente com a Revista 100 Fronteiras, decidiram que era necessário fazer uma campanha.

Foz Limpa

Intitulada Foz Limpa, Foz Linda, a campanha visa a promover ações concretas em busca de informar e conscientizar a sociedade civil e poder público da cidade e região sobre a importância de descartar corretamente o lixo e das consequências que ele causa nas ruas e rios.

Pretende ainda evitar a proliferação do foco de doenças transmitidas pelos mosquitos, entre outras consequências graves, como o entupimento de bueiros e a consequente inundação de ruas e bairros quando chove, que não só prejudicam a saúde de todos como também oneram financeiramente os cofres públicos, pois a remediação de um problema custa muito mais do que a prevenção dele.

Por meio de cartazes, camisetas e divulgação na mídia local sobre o assunto, Adriana e os apoiadores esperam conseguir transmitir a mensagem e gerar resultados positivos. “Essa campanha começou em 2017, mas não tem data para acabar. Ela é um processo reeducativo de longo prazo”, destaca a advogada.

Projetos futuros

Neste ano, a ideia é seguir com o projeto implantando, a partir de ação voluntária, o tema dentro das escolas municipais e estaduais, ministrando pequenos workshops sobre a conscientização.

“Temos que começar a dar os bons exemplos. Por isso, ao meu ver, a solução para o futuro é começar na prática com as crianças, ensinando elas para que quando crescerem isso seja um hábito saudável, evolutivo, uma rotina útil, portanto uma conduta ética (e cosmoética), pois a ação gera efeitos positivos tanto para si quanto para um grupo enorme”, enfatiza Adriana.

Além das escolas, outra ação importante dos organizadores da campanha é envolver os empresários da cidade para que eles também abracem a causa e contribuam para a diminuição da produção de lixo nas ruas, áreas públicas e terrenos baldios, tanto por meio da orientação de sua equipe quanto pela implantação de mecanismos que reduzam o lixo. Uma construção que precisa ser diária e a partir de cada um.

“Meu sonho é um dia ouvir falarem de Foz do Iguaçu e a TRIFON dizendo que possui zero índice de dengue e outras doenças provenientes da proliferação de mosquito, zero índice de sujeira, enfim, se tornando um exemplo a nível nacional e internacional de cidade sustentável, ou seja, bem administrada, planejada, mantida limpa através de ações conjuntas do setor particular e público. Cada um contribuindo com sua parte”, almeja.

Cartaz da campanha Foz Limpa, Foz Linda.

Relação das empresas participantes:

Ceaec – Centro de Altos Estudos da Conscienciologia

Cosmoethos – Associação Internacional de Cosmoeticologia

Polo Conscienciocêntrico Discernimentum

Pomare Empório

Lojas Subway

Colégio Bertoni Brasil e Paraguai

Condomínio Maison Mont Blanc

Lavanderia 5 a Sec

Óticas Cristal

Cia. do Corpo

Ateliê do Sabor

Revista 100 Fronteiras

Amutur

Restaurante Vô Luiz

31 Solutions

Tribunal Regional do Trabalho de Foz do Iguaçu

HArquitec Soluções Arquitetônicas

Feito Ervas

Barber Shop Árabe

Sabrina’s Fantasias

DEPOIMENTOS:

“O Bertoni apoia esta campanha, pois representa um importante estímulo à civilidade e às regras da boa convivência. Sabemos que a educação de um povo também se reflete na conservação e limpeza de suas áreas de circulação comum, e todo esforço para que possamos desfrutar dessa condição deve ser compartilhado e valorizado pelos cidadãos, instituições e gestores públicos, especialmente no caso de Foz do Iguaçu, um destino frequentado por pessoas de todo o mundo.” (Amaury Pontieri)

“Limpeza é sinônimo de educação. A Campanha Foz Limpa vem ajudar a cidade em algo que está faltando muito, a limpeza dos espaços públicos. Precisamos conscientizar a população e também o poder público que o fato de sermos uma cidade turística requer ainda mais cuidados com a limpeza, pois nenhum turista deseja passear em ruas sujas. Frequentemente vejo pessoas jogando lixo nas calçadas e pelas janelas dos carros. A campanha é um ótimo primeiro passo para mudar esse mal hábito.” (Phelipe Mansur)

“Apoiamos a Campanha Foz Limpa porque acreditamos que a conscientização de coisas boas é muito importante para um mundo melhor.” (Ana Paula Dameto)

“Foz do Iguaçu é conhecida mundialmente pelas belezas naturais e pela capacidade do homem em fazer grandes obras. Chegou a hora de ser conhecida pela consciência ambiental e pela educação de seu povo. Além da questão estética e visual, essenciais para o turismo, a limpeza da cidade é uma questão de saúde pública. O lixo espalhado aumenta os criadouros do mosquito da dengue e traz muitas outras doenças. Queremos o melhor para nossa cidade. Apoio e acredito na Campanha Foz Limpa, Foz Linda.” (Adriane Pimentel Dolzan)

“Vim morar em Foz do Iguaçu há três anos. Acho que é uma cidade linda, e assim como eu milhares de pessoas ficam encantadas com o que aqui encontram, para isso é necessário que a cidade esteja limpa e bem cuidada. Nada melhor que incentivar a Campanha Foz Limpa. Penso que para isso só precisamos que as pessoas tenham consciência dessa boa ideia e façam a sua parte!” (Patrícia Menezes)

“A sociedade como um todo tem um papel fundamental no destino do lixo, reciclando de maneira correta, podendo gerar renda com o reaproveitamento de produtos que podem ser reutilizados como matéria-prima futura, e educando a população a destinar o lixo corretamente. […] Com isto, estaríamos evitando dois problemas: a poluição visual e combatendo possíveis focos de doenças.” (Isabel Durian)

“A limpeza e conservação de uma cidade refletem a educação de seus moradores. Não são dever apenas da prefeitura ou governantes. Antes de cobrar atitudes das autoridades, devemos refletir se estamos fazendo nossa parte em prol da manutenção das ruas e locais públicos de Foz. Com pequenas atitudes podemos evitar enchentes, doenças e animais indesejados, tornando Foz um lugar mais agradável para viver.”  (Luana Guillande)

“O princípio da janela quebrada dita que, se houver apenas uma janela quebrada, a tendência é o lugar ser depredado. Se jogarmos apenas uma latinha na rua, encorajaremos outros a tomarem a mesma atitude. Não devemos pensar ‘os outros sujam’, e sim ‘posso fazer minha parte’.” (Daniel Corrêa)

Serviço

Quem desejar participar da Campanha Foz Limpa, Foz Linda pode entrar em contato pelo WhatsApp da Revista 100 Fronteiras: + 55 45 99118-2401.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião