O Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e a Itaipu Binacional, em parceria com a Prefeitura de Foz do Iguaçu, lançaram, na quinta-feira (17), o edital para a contratação do Projeto Beira Foz, que tem como objetivo revitalizar trechos urbanos próximos ao Rio Paraná, situados entre o Jardim Jupira e o centro da cidade. 

O Beira Foz envolverá a contratação de estudos preliminares e anteprojetos, que visem a requalificação de espaços públicos da cidade, considerando a aplicação de propostas estratégicas que induzam o desenvolvimento e integração viária, econômica e social.   

A área delimitada pelo projeto é de extrema relevância para a cidade, visto que se caracteriza atualmente como uma “barreira” entre a cidade e o Rio Paraná, além de estar localizada próxima ao centro de Foz e à Ponte da Amizade.   

“A delineação das necessidades e áreas a serem trabalhadas no projeto foi definida a partir dos resultados de uma pesquisa, feita no início de 2020, aos representantes dos principais órgãos da cidade de Foz do Iguaçu”, ressalta o diretor administrativo-financeiro do Parque Tecnológico, Flaviano Masnik.   

O diretor menciona que as transformações urbanas previstas no projeto Beira Foz estão alinhadas ao propósito do PTI, que é gerar riqueza e bem-estar à sociedade. A instituição visa a evolução socioeconômico ambiental de Foz do Iguaçu e região, por meio de um ecossistema sustentável, tecnológico e inovador à serviço da comunidade.   

Conforme explica o arquiteto e urbanista da Itaipu Binacional, Henrique Gazzola, a área já havia sido abordada em um estudo anterior amplo, também financiado pela Itaipu Binacional, que delineou uma série de estratégias urbanas, ambientais, sociais e econômicas para sua transformação urbana.

“Essas estratégias foram pensadas em nível macro e demandam agora ser desdobradas em ações mais concretas. O convênio atual com o PTI-BR tem o objetivo então de contribuir no desenvolvimento de parte dessas ações, em nível de projeto, de maneira a dar novos passos na implementação de algumas estratégias”, comenta Gazzola.  

Historicamente, a área envolvida no projeto enfrenta problemáticas no decorrer de sua extensão, como a deficiência de conexão viária entre as regiões, falta de estruturas indutoras de turismo e de espaços voltados à melhoria da qualidade de vida da população.    

Essas questões afetam diretamente os moradores e frequentadores da região e geram problemas como a falta de segurança, que é atualmente um dos principais obstáculos enfrentados pela população local, o que acarreta um baixo fluxo na região, principalmente nos períodos noturnos.    

“Esta é uma região muito importante para Foz e que tem um potencial enorme para se tornar um novo ponto de encontro dos iguaçuenses, com espaços culturais, de esportes, e outras atividades de lazer. Esse projeto é fundamental para a revitalização dessa área e um melhor aproveitamento dos espaços públicos, e a iniciativa com certeza terá uma grande contribuição para o desenvolvimento da cidade como um todo”, destacou o prefeito Chico Brasileiro.

Comentários

Deixe a sua opinião