Em uma exposição mundial influenciada por incertezas da pandemia de covid-19, o Pavilhão Brasil na Expo Dubai comemorou nesta terça-feira (29) a marca de 2 milhões de visitantes.

O número foi atingido com a chegada do casal indiano Sudha Toshniwal e Sharad Lahoti, acompanhado da filha Saiesha, de três anos de idade. Eles compareceram para a exposição da Itaipu Binacional sobre os cuidados com a água.

“Achei muito legal! O Pavilhão Brasil é um dos mais bonitos da Expo”, afirmou Sharad ao saber que contribuiu para a marca de 2 milhões de visitantes. “Esta exposição traz esses temas da sustentabilidade, mobilidade e oportunidade, aspectos em que precisamos focar nossas vidas, e acho isso muito positivo”, completou Sudha.

A família indiana foi recebida pelo comissário-geral do Brasil na Expo, general Elias Rodrigues Martins, pelo diretor do Pavilhão Brasil, Raphael Nascimento, e pelo superintendente de Gestão Ambiental da Itaipu, Ariel Scheffer da Silva. Além de brindes, o casal recebeu uma medalha da Itaipu comemorativa dos 2 milhões de visitantes do Brasil na Expo.

Há dois dias do fim do evento e com as restrições da pandemia diminuindo, a vontade de aproveitar os momentos finais da Expo tem atraído um público crescente. Mas as atrações interativas da Itaipu também têm contribuído diretamente para conquistar visitantes na Expo, que têm de escolher entre mais de 190 pavilhões.

Para Rafael Nascimento, o sucesso do Brasil na Expo é resultado de um trabalho de cinco anos, envolvendo todo o planejamento da participação brasileira, além da construção do pavilhão. Tudo com o objetivo de mostrar uma imagem positiva do Brasil, um país aberto ao mundo e que trabalha com os três pilares da sustentabilidade: o ambiental, o social e o econômico.

Desde o dia 20, a Itaipu Binacional ocupa o Pavilhão Brasil com uma série de atrativos que buscam sensibilizar e levar uma mensagem de conscientização ambiental de forma lúdica, interativa e imersiva, mostrando as interconexões entre água, energia, clima e biodiversidade.

A mostra da binacional contribuiu diretamente para o resultado do Brasil. Antes, a expectativa era de que o movimento em seis meses de Expo chegaria a algo em torno de 1,85 milhão de visitantes, com uma média diária de cerca de 10 mil pessoas.

Com a presença da Itaipu, a média passou a ser de 28.375 visitantes, conforme os dados apurados até segunda-feira (28). Oito, dos 10 dias de maior visitação do pavilhão ao longo de seis meses, ocorreram com a presença da binacional, cuja exposição de 12 dias deve ser vista por cerca de 400 mil pessoas de todo o mundo até o final da próxima quinta-feira (31), último dia do evento.

Para Nascimento, a Itaipu “fecha com chave de ouro a participação do Brasil”.

“Desde o início a empresa se mostrou comprometida com apresentar o melhor do Brasil em Dubai. E expõe em sintonia com a essência da Exposição Universal, que tem uma dimensão de entretenimento, de mesmerizar o visitante com o que cada país tem de mais fantástico”, afirmou. “O tema escolhido pela Itaipu, a água como movimento, vida e energia, se conecta completamente com os três pilares da sustentabilidade retratados no pavilhão, comprovando que o negócio da empresa não é só gerar energia, mas promover o desenvolvimento sustentável”, sintetizou.

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,8 bilhões de MWh. A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de aproximadamente 8% de toda a energia consumida pelo Brasil e aproximadamente 85% do Paraguai.

Comentários

Deixe a sua opinião