O Parque Nacional do Iguaçu, abrigo das Cataratas do Iguaçu, Maravilha Mundial da Natureza, celebra 83 anos de existência nesta segunda-feira, dia 10 de janeiro de 2022.

A unidade de conservação brasileira, localizada no Oeste do Paraná, que faz fronteira com a Argentina, coleciona bons resultados na conservação da biodiversidade, na satisfação das pessoas que visitam o local, e integra o desejo e sonho de viagem de brasileiros e estrangeiros.

83 anos Parque Nacional do Iguaçu
83 anos Parque Nacional do Iguaçu.

O Parque Nacional do Iguaçu foi criado em 10 de janeiro de 1939, por meio do Decreto-Lei nº 1.035, do então presidente da República Getúlio Vargas. No ano de 1986, recebeu o título, concedido pela Unesco, de Patrimônio Mundial Natural. Já as Cataratas do Iguaçu, localizadas no interior da unidade de conservação, receberam o título de Maravilha Mundial da Natureza no dia 11 de novembro de 2011.

O Parque Nacional do Iguaçu se consolidou, nestes 83 anos, como referência na conservação da natureza e no turismo sustentável no mundo.

O parque, que é um dos mais visitados do Brasil, protege uma área de 186 mil hectares de Mata Atlântica e uma rica biodiversidade, abrigando uma fauna constituída por mais de 12 espécies de anfíbios, 48 tipos de répteis, 158 espécies de mamíferos, 175 de peixes, 390 espécies de aves e mais de 800 invertebrados identificados.

Onça nas Cataratas do Iguaçu
Foto: Arquivo Onças do Iguaçu.

Identidade – De acordo com Cibele Munhoz Amato, chefe do Parque Nacional do Iguaçu, a unidade de conservação tem contribuído e cumprido sua missão.

Seguimos conversando com todas as entidades e segmentos envolvidos para o desenvolvimento sustentável do parque. O nosso trabalho está pautado em dois eixos: o primeiro é o reconhecimento e valorização de todas as boas práticas, relacionamentos e projetos desenvolvidos; o segundo, seguir estruturando e organizando melhorias para o parque que precisamos e queremos para os próximos anos. Tudo isso nós estamos construindo juntos.”

Cibele Munhoz Amato, chefe do Parque Nacional do Iguaçu
Cibele Munhoz Amato, chefe do Parque Nacional do Iguaçu. Foto: Divulgação.

Além de abrigar um dos principais atrativos turísticos do mundo, o Parque Nacional do Iguaçu também possui grande importância para o desenvolvimento regional, gerando cerca de mil empregos diretos e mais de 15 mil indiretos.

Em média, por ano, o parque gera R$ 25 milhões de ICMS Ecológico para os municípios do seu entorno. Estima-se que quase 30% da economia de Foz do Iguaçu esteja relacionada à visitação da unidade de conservação.

O Parque Nacional do Iguaçu também funciona como um grande laboratório a céu aberto, potencializando esforços em favor da conservação por meio de incentivo às pesquisas. Anualmente, o parque atende, em média, mil instituições de ensino, apoiando mais de 30 mil alunos, professores e pesquisadores.

Grande parte dos trabalhos científicos relacionados ao parque, cerca de 500, são sobre sua colossal biodiversidade.

Após a concessão, o número de turistas foi aumentando, e desde o ano 2000 o parque já recebeu mais de 26 milhões de visitantes, chegando a receber mais de dois milhões de turistas em um único ano.

Os constantes investimentos na qualidade de atendimento, combinados com ações de mídia, ajudaram o parque a se consolidar entre os atrativos mais visitados e sonhados do Brasil.

campanha-itaipu-janeiro-2022

Comentários

Deixe a sua opinião