Na semana passada, a equipe da revista foi surpreendida por uma postagem feita pela página oficial da Associação Nacional dos Editores de Revistas (ANER) no Facebook e Instagram destacando nosso trabalho com o jornalismo local. A 100fronteiras, que tem 16 anos de história, faz parte da ANER desde 2017, quando foi convidada a participar da associação que é uma das entidades com maior prestígio na comunicação no Brasil. De lá para cá fortaleceu a parceria com a entidade para produzir e divulgar em nível nacional o melhor do jornalismo local.
 “A 100fronteiras desenvolve um jornalismo qualificado, defendendo a plena liberdade de imprensa, ambos base da democracia”, destaca a publicação da ANER.

A importância do jornalismo local

Muito tem se falado sobre a qualidade do jornalismo no Brasil, principalmente num momento de pandemia e com um volume grande fake news (notícias falsas) espalhadas na internet. O presidente da ANER, Rafael Soriano, ressalta que “pelo menos nos últimos dez anos o jornalismo tem sido desafiado a encontrar uma nova forma de sustentabilidade, dentro da realidade do mundo digital. Ao mesmo tempo, a atividade jornalística tem se revelado mais útil em meio à hiperinformação que trouxe graves efeitos colaterais, entre eles as notícias falsas e o discurso de ódio. Nós, da ANER, acreditamos que esse cenário está ainda mais claro no caso do jornalismo local. Se esta atividade é a que mais sofre com a migração da publicidade para o meio digital, é também a que se revela a mais importante para as pessoas”. Ele explica também que o jornalismo local é essencial para manter e promover o conhecimento e a identidade de cada região, sendo decisivo para a existência e o fortalecimento da coesão social. “Se havia dúvidas sobre isso, a pandemia do coronavírus tratou de eliminá-las. Em todo o mundo, o comportamento do vírus tem surpreendido os cientistas e as autoridades de saúde, afetando regiões e localidades dos mais variados países de formas muito diferentes. Na necessária tarefa de desvendar esse fenômeno, as notícias e as informações locais fornecidas com a credibilidade do jornalismo profissional se tornaram mais importantes do que nunca.” E a 100fronteiras, que desde o seu surgimento sempre teve o objetivo de produzir conteúdo local e trinacional, investe cada vez mais na qualidade do jornalismo com identidade, firmado na ética e imparcialidade, aproximando os leitores em uma comunidade interessada na informação local e acessível.
Mas Soriano alerta para o futuro da mídia local, ainda pouco valorizada. “Tudo isso nos faz pensar de forma mais urgente sobre o quão alarmantes são as ameaças às mídias locais, as mais afetadas pela crise econômica que acompanha a pandemia em todo o planeta. Enquanto o jornalismo local sairá mais relevante da pandemia, nós todos temos de estar desde já mais comprometidos com a busca da sustentabilidade econômica dessa mídia. A coesão social pode fazer toda a diferença, à medida que as comunidades compreendam e estejam associadas e engajadas no incentivo ao jornalismo local, cientes de que o retorno que essa mídia dará certamente vai impulsionar o progresso e o bem-estar da localidade e da região.”
Foto em destaque: 100fronteiras 

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião