Há coisas que acontecem na vida que, em um primeiro momento, podem nos desestabilizar, porém, após um determinado turbilhão, vem a bonança; e as suas consequências podem ser ressignificadas de forma a prover uma mudança de vida completa (para melhor). Foi exatamente isso que ocorreu com o Dr. Luiz A. Teixeira Jr.

Tudo começou em 2014, ano em que ele teve uma forte síndrome do pânico, no meio da rua, e de forma súbita. Possivelmente, decorrente de anos de estudos e uma vida dura, com muitas de dificuldades pessoais. À época, professor de uma universidade federal, desde 2013, decidiu ficar afastado se tratando apenas por um mês; como obteve uma boa melhora, para continuar produtivo, decidiu fazer um pós-doutorado em Inteligência Artificial aplicada à Gestão de Risco em Barragens, na UNIOESTE – focado principalmente no “caso Itaipu”.  

Durante o seu pós-doutorado, chegou a orientar simultaneamente, de modo formal e informal, cerca 10 alunos de doutorado da UFPR. Eles faziam um programa que utilizava dados reais (não críticos) de Itaipu. Com o avanço rápido das pesquisas e das publicações científicas, junto à universidade em que estava lotado, veio uma ideia de negócio, que é hoje a IntellTech: uma empresa global focada na integração e transformação digital de seus clientes, em espacial na Geotecnia. O seu diferencial é a capacidade de atender a todos os requisitos e necessidades caso a caso.

Luiz Teixeira - Ceo da IntellTech
Luiz Teixeira – CEO da IntellTech.

Luiz A. Teixeira Jr. possui licenciatura plena em Matemática, pela FIC, – Faculdades Integradas de Cataguases, e Especialização em Métodos Estatísticos Computacionais, pela UFJF. Além disso, possui mestrado e doutorado em Engenharia Elétrica, com foco em Inteligência Artificial e Estatística, ambos pela PUC-Rio. Além disso, é Ph.D. em Estatística, pela The Open University, na Inglaterra, e fez um pós-doutorado, pela Unioeste. Como cientista e acadêmico, publicou mais de 60 artigos científicos, ministrou diversos cursos e coordenou vários projetos de pesquisa. Ademais, desenvolveu métodos preditivos avançados e os publicou em revistas científicas internacionais de alto impacto; sendo que parte deles se encontram implantados, em casos reais na Mineração e Setor Elétrico, na Plataforma da IntellTech – o SHMS. Algum tempo depois de deixar seu trabalho como professor acadêmico, ingressou na operação da empresa que ajudou a fundar, e foi alçado ao cargo de CEO (Chief Executive Officer).  

Note que um sério problema de saúde acabou gerando um caminho de geração de valor e transformação, não apenas em sua vida, mas também na de várias outras pessoas, de forma direta e indireta, por meio da utilização da tecnologia da IntellTech.

“A IntellTech é uma espécie de materialização de todo trabalho de pesquisa feito durante o meu mestrado, doutorado e, principalmente, pós-doutorado. Talvez a razão principal em fazer o pós-doutorado, naquele momento, era o de continuar produtivo e, claro, tentar de alguma forma evitar uma outra crise de pânico. Deu certo!”  

Há, nesta história toda, um personagem muito especial: o geólogo-geotécnico e Samuel Ricardo Carvalho Carneiro. Ele fora escolhido para coordenar, junto com uma equipe de notáveis, um trabalho de inovação disruptiva histórico para todo o setor mineral global, após o primeiro acidente, no final de 2015. O Luiz Teixeira e o Samuel Carneiro se conheceram, em janeiro 2016, por conta de pesquisas acadêmicas. Na verdade, o Samuel Carneiro proveu diversas contribuições importantes as quais o Luiz publicou e a própria IntellTech acabou usufruindo e utilizando em casos reais.    

“Conheci o trabalho de pesquisa acadêmica do Luiz, em meio a um verdadeiro desastre, em 2016. A forma como me ele explicou as suas pesquisas no seu pós-doutorado me fez perceber que, na verdade, havia um enorme potencial, não apenas acadêmico, mas também de melhorias no setor, em casos reais. Depois de sua rápida fundação, lembro-me que a IntellTech iniciou as suas operações, de forma quase que imediata. Não sei explicar o porquê, mas tinha uma clara intuição que isso daria muito certo. E deu! Lembro-me bem que, num domingo de manhã, em 2016, conversando informalmente ao telefone com o Luiz, ele me disse que tinha conseguido investidores e que o projeto IntellTech seria rapidamente fundado. Disse ainda que ela seria, em pouco tempo, uma empresa global. Vejam só, depois de seis anos e meio, isso realmente aconteceu e hoje possui uma tecnologia que é única. O SHMS é, sem dúvida, a melhor Plataforma de Integração aplicada à Geotecnia do mundo.” explica Samuel.

O SHMS – Slope Health Monitoring System – consiste na Plataforma de integração na área Geotécnica capaz de reunir dados e informações oriundas de inúmeras fontes (instrumentos, artefatos, sistemas), e as apresenta de forma automatizada e organizada.

“Esta Plataforma é aplicável a muitos outros negócios, como o agronegócio, as cidades inteligentes, a infraestrutura, o setor aeroespacial etc. Na verdade, o setor que tiver necessidade de integrar dados geoespaciais e deseja transformá-los, de forma simples, em informações pode utilizá-la. A IntellTech iniciou nos setores de mineração e elétrico, por uma questão de oportunidade de mercado, porém é hora de expandir para outras verticais”, destaca Luiz.

E, como tudo na vida acontece por uma razão, a síndrome de pânico que Luiz passou, acabou o impulsionando mais rapidamente ao seu pós-doutorado, na UNIOESTE; e deste fora fundada a IntellTech – que possui como propósito: ajudar a evitar novos acidentes e, principalmente, a perda de vidas e danos ao meio ambiente.

“Eu particularmente não conheço um sistema melhor, no mundo. A IntellTech, ainda sem o Luiz na operação, começou como uma empresa de pequeno porte, e, hoje, domina o mercado global no seu nicho. Eu me lembro bem das palavras do Luiz, ainda como professor acadêmico: ‘a IntellTech dominará o mundo no que se refere ao monitoramento geotécnico integrado’. Pude acompanhar todo o processo de crescimento do negócio e isso foi muito legal. Vê-la deste tamanho agora, é absolutamente sensacional. Eu te digo uma coisa, uma lição que aprendi é que devemos acreditar mais nas pessoas que desejam fazer o bem; assim como nas empresas, em especial as nacionais – visto que muitas delas possuem um potencial enorme, como foi o caso da IntellTech”, finaliza Samuel.

De local a global

Hoje a IntellTech não apenas domina o mercado de geotecnia, na mineração e no setor elétrico, como também conta com clientes enormes, porte global e com ações nos principais mercados financeiros mundiais. Ela possui vários clientes ao redor do mundo. Conta também com escritórios no Brasil (em Foz do Iguaçu – PR), Chile, Estados Unidos, Austrália e Canadá.  

“Eu sempre soube que a IntellTech seria global, uma vez que sou cientista de dados, por formação, e sei que há uma enorme carência no mundo, hoje, neste tema. Isso não é diferente nos setores mineral e elétrico. Hoje termos como ‘Big Data’, ‘Data Mining’, ‘Data Science’ são tão importantes, que praticamente todo o mercado os reconhece como imprescindíveis; porém eu já tinha esta visão 15 anos atrás. A razão é óbvia: quanto mais dados, mais informações, portanto, maior a necessidade de tecnologia para produzi-las de forma rápida. Como pessoas para analisá-los consiste em um recurso escasso no mercado, faz-se necessária à sua automatização por inteligência artificial e machine learning. Para mim é muito claro. Precisa-se, cada vez mais, haver sistemas inteligentes capazes de transformar os dados em informações, de forma eficiente, a fim de se entregar as informações nas mãos dos tomadores de decisão”, ressalta Luiz.

Uma empresa em evolução

Desde 2021, a IntellTech está em processo de modernização para se tornar uma empresa certificada e em conformidade com os mais rigorosos padrões de Segurança da Informação. Para tanto, a empresa contratou um especialista em Cyber Segurança, Yaser Alsakaji, quem é atualmente CISO (Chief Information Security Officer), e possui extenso currículo em Infraestrutura e Segurança da Informação.

Yaser reside nos Estados Unidos, mas sempre está em contato direto com o escritório sede, em Foz do Iguaçu. Desde a implantação da área de segurança da informação, na IntellTech, vários procedimentos, práticas e políticas foram implementadas em conformidade com os padrões internacionais de segurança da informação. “Meu trabalho é trazer as tecnologias e soluções de última geração para que a IntellTech seja capacitada a prover os melhores serviços através de tecnologia de ponta,” diz Yaser.

Com a adoção das melhores práticas e mudanças implementadas, até o final deste ano, a IntellTech adquirirá a certificação ISO 27001, a qual é uma referência de padrão internacional para um Sistema de Gerenciamento de Segurança da Informação. Além do mais, a empresa já tem a certificação SOC2 tipo 1, e até março de 2023, terá também a SOC2 tipo 2 – ambas asseguram, ainda mais, a confiabilidade na gestão da informação pela IntellTech, assim como adequação aos controles de segurança.

especialista em Cyber Segurança, Yaser Alsakaji.
Yaser Alsakaji. (Foto: Agência Levante)

“A partir do momento em que a empresa obtiver a ISO 27001, ela estará apta a certificar outras empresas de todo o mundo, garantindo que todas as áreas da empresa venham a seguir padrões de segurança, sem correr riscos desnecessários quanto a ter suas informações acessadas por hackers.”, explica Yaser.

Douglas Lopes Gomes é gerente de segurança da informação da IntellTech e está lotado em Foz do Iguaçu. Trabalha ativamente na mudança de cultura dos colaboradores da IntellTech, e é responsável direto para que elas aconteçam. “É um processo que também exige o comprometimento de todos, visto que a partir do momento que tivermos todas essas certificações implantadas na cultura da empresa, entraremos em nível ainda maior. Estou na IntellTech desde sua concepção e pude ver todos os avanços dentro da empresa. É um privilégio isso. Agora, além de podermos negociar com outras empresas no mundo, também temos a “expertise” e, em breve, vamos poder fornecer serviços em segurança da informação para outras empresas, no mundo. Portanto, seremos também uma implementadora dessa cultura para que outras organizações, com vistas a clarificar a importância da segurança dos dados”, explica.

Douglas Lopes Gomes é gerente de segurança da informação.
Douglas Lopes Gomes. (Foto: Agência Levante)

Transformando vidas

A evolução da IntellTech não para, seja em termos de mercado seja em tecnologia. O objetivo segue o mesmo desde sua concepção, sem abrir mão, porém, de prover um ambiente de trabalho seguro e saudável.

“Toda empresa tecnológica de alta performance é muito focada em resultado e qualidade, e obviamente isso gera um desgaste tanto físico quanto psicológico das pessoas envolvidas. Devido a um problema gravíssimo de saúde que tive em 2017, tive de estudar Medicina Integrativa, por conta própria. Eu o fiz com muitos dos maiores nomes do mundo; em especial, com o maior de todos, que é, sem a menor dúvida, a Dra Elizete Kaffer, de Campinas – que desenvolveu de forma aprofundada o conceito de Medicina Quântica de Precisão. São incríveis e enormes os benefícios que a mudança na alimentação e no estilo de uma vida proporciona ao seu corpo e sua mente. Por conta disso, trouxe para a IntellTech a prática terapêutica, e temos um ambiente amplamente saudável e agradável de trabalho. Mais do que ter certificações e premiações, e publicá-las em campanhas de marketing, é necessário, de fato, ser aquilo. E garanto que somos! Eu e os líderes da IntellTech não medimos esforços para garantir um ambiente saudável para todos os colaboradores. Isso passa pela cultura da empresa, assim como pelos seus valores que a alicerçam, os quais devem ser invioláveis por todos nós.”, reforça.

Com isso, Luiz segue firme na sua convicção de que o maior sucesso da empresa é ver as vidas sendo impactadas positivamente pela IntellTech. Segundo ele, isso não tem preço. “A minha visão de longo prazo é que a IntellTech seja a primeira empresa do mundo a entregar, verdadeiramente, o conceito de mina digital, a nível de tecnologia digital. Para tanto, precisa se utilizar uma série de arcabouços de conhecimento, assim como das pessoas certas. E nós temos tudo isso na IntellTech. A estratégia e a visão de longo prazo da empresa nunca mudaram. Agora é caminhar e crescer, cada vez mais, para esse futuro muito promissor. Tenho a convicção que em 10 anos, no máximo, faremos esta entrega também à humanidade. Podem anotar!”, finaliza Luiz.

“Me sinto orgulhoso pela IntellTech ser conhecida mundialmente, esperançoso por saber que não apenas na América Latina (precisamente, Brasil e Peru), onde tudo começou. Mas sim, a nível mundial, mais vidas serão ainda mais protegidas. Feliz por estar em contato com pessoas de outras nacionalidades e culturas, sabendo que estamos de alguma maneira, mudando, para muito melhor, a forma de como eles pensam”.

Laercio da Silva Motta, Analista de Infraestrutura Sênior.
Laercio da Silva Motta, Analista de Infraestrutura Sênior.
Foto: Agência Levante

“Vejo que a importância da IntellTech vem conquistando, ao longo dos anos. Está associada a muito trabalho, esforço, dedicação, amor, inovação, inteligência, empreendimento e aprendizado de todos nós. Ser considerada referência em monitoramento eficaz e eficiente, e já ter tido o uso de suas soluções como auxílio relevante para evitar desastres, significa muito para mim; e, claro, para todo o mercado também. Então sim, estamos muito orgulhosos pela nossa relevância no mercado global. Aliás, na vida das pessoas de uma forma geral, inclusive as que foram salvas. Sabemos dos desafios que temos, mas isso não nos paralisa; pelo contrário, nos motiva a seguir sempre em frente, cada vez mais, com objetivo de vencer todos”.

Vanessa Oliveira de Freitas Martins, Analista de Qualidade.
Vanessa Oliveira de Freitas Martins, Analista de Qualidade
Foto: Agência Levante

“A intellTech possui soluções que são realmente capazes de fazer a diferença, como, por exemplo, em como os dados são lidos e na forma integrada de se gerenciar os riscos envolvidos na mineração e no setor elétrico. Esta é a nossa base para expandir e levar nossa expertise e solução para criar operações mais seguras e eficientes, ao redor do mundo. Nossa Plataforma pode agregar horas de informação em minutos, ou até segundos. Ainda, filtrar grandes quantidades de dados obtendo informação mais limpa e significativa. Dar aos nossos usuários ferramentas poderosas para ajudá-los a poupar tempo, dinheiro, recursos e o mais importante: poupar as pessoas de quem eles dependem como força de trabalho, clientes e comunidades”.

Alain Boudreau, Gerente de Vendas na América do Norte.

“A IntellTech se preocupa com as pessoas de dentro para fora. O time é muito bem cuidado e a empresa oferece ferramentas com alto potencial de salvar vidas. O SHMS e o Geo Inspector (módulo do SHMS) são soluções robustas no mercado para o gerenciamento de controle de riscos. Ser parte de uma empresa que se preocupa com as pessoas e as coloca a frente é sempre bom e a IntellTech faz isso com excelência”.

Maria Carreras, Gerente de vendas na Austrália.

“Penso que, em pouco tempo, com muito trabalho e dedicação a IntellTech terá logrado um crescimento, ainda mais impressionante, conseguindo posicionar-se como uma referência, ainda maior, na indústria de mineração e no setor elétrico. Isso tudo graças às soluções inovadoras que impactam diretamente na segurança das pessoas e na integração do negócio. Não imagino um mundo futuro sem empresas como a IntellTech. Para mim é um grande desafio, uma experiência enriquecedora e gratificante trabalhar em uma empresa em que o foco principal é o bem-estar das pessoas”.

Luis Felipe Carrú Ramírez, Gerente de vendas na América Latina.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião