O Iguassu Golf Tour foi criado em 2015. Inicialmente, quando Miguel Palhota chegou em Foz do Iguaçu, não existia um histórico de eventos no clube, foi algo que ele sentiu falta na época e então resolveu criar um circuito anual composto por um torneio mensal.

 “Comecei a pensar em estratégias e na melhor forma de atrair e fidelizar golfistas de outros clubes a participarem nos nossos eventos.”

Miguel Palhota, gerente do Iguassu Golf Tour.

Os torneios de golfe são feitos mensalmente e existe a possibilidade de empresas patrocinarem o campeonato. Isso gera uma oportunidade de se promoverem para um público seleto e com bom poder aquisitivo.

Todos os torneios são importantes, mas o que se destaca é o Aberto das Cataratas, que irá acontecer nos dias 03 e 05 de Junho, com supervisão da Federação Paranaense & Catarinense de Golfe, este torneio já está em sua 6º edição.

A programação é especial, e inclui uma competição noturna com bolas que brilham no escuro, degustação de vinhos, torneio de poker, costelão fogo de chão, além de vários sorteios dos apoiadores.

Quem deseja competir, pode fazer a inscrição direto no site do clube. Para competir é preciso que tenha um pouco de técnica e conhecimento de golfe.

Mas também há outra alternativa para quem deseja apenas assistir e aproveitar as degustações. Para assistir ao torneio é gratuito, mas quem pretende participar da degustação tem um valor especial. Ambas as opções precisam de um agendamento prévio.

Os ganhadores e o vice ganham um trófeu em resina fabricados em Campo Mourão.

O Iguassu Falls Golf Club foi inaugurado oficialmente em 2015 e oferece também aulas e experiências de golfe na cidade.

Quem é Miguel Palhota?

Miguel é português e desde muito novo que esteve ligado aos esportes, principalmente futebol e na sequência o tênis, mas o golfe não fazia parte do leque de modalidades praticadas.

Até que um dia resolveu experimentar o golfe e se apaixonou pelo esporte. A partir daí decidiu focar nesta indústria e optou por fazer uma pós graduação em gestão de campos de golf no sul da Espanha –após se formar em educação física.

Miguel concluiu a pós em Espanha e foi para os Estados Unidos dar sequência nos estudos até voltar para o seu país de origem, Portugal. Após um período sabático começou a olhar para o Brasil e para as oportunidades que o país poderia oferecer.

A porta de entrada no Brasil se deu pela Federação Paulista de Golfe, onde ficou por alguns anos, até surgir a vaga para Foz do Iguaçu. Mandou o CV para os responsáveis do campo de golf mas numa primeira fase não foi aceito por já terem a vaga preenchida.

“No entanto passado algumas semanas entraram em contato comigo dizendo que a vaga afinal estava disponível, e foi quando entrei no processo de recrutamento que culminou com a minha contratação.”

Miguel Palhota

“Eu achei e continuo achando que o golf no Brasil pode crescer bastante, pois o país tem grandes dimensões continentais, clima bom o ano todo e o brasileiro de uma forma geral gost a de esportes, e o golf pode agradar o brasileiro.”

Comentários

Deixe a sua opinião