Essa afirmação é de Marcos Antônio Beato, que chegou à Foz do Iguaçu em 1968, veio de São Paulo, onde trabalhava na Real Aerovias, que foi adquirida pela Varig, exercia função no escritório, assim foi enviado à Foz para trabalhar no Tropical Hotel das Cataratas, que era administrado pela Varig, 6 meses depois já havia sido promovido para gerente administrativo.

Marcos Beato lembra que quando foi transferido, estava noivo, logo depois sua então esposa Márcia Beato (em memória), também se mudou para Foz e se casaram, tiveram dois filhos, Rogério Beato e Marcos Beato Júnior.  No total em São Paulo e Foz, foram 12 anos de serviços dedicados ao turismo.

Naquela época era tudo muito difícil, desde o contato com fornecedores, e transporte para os funcionários, por esse motivo eles moravam dentro do hotel.

Aprendi muito com os hóspedes e o turismo em geral, tenho saudades, era muito feliz”, lembrou Marcos Beato.

Todo aprendizado e conhecimento adquirido nesses anos todos com o turismo, direcionou Marcos a trabalhar com um nome importante para a história de Foz, Franz Kohlenberger (em memória), foi na churrascaria Cabeça de Boi que Marcos viu o potencial da gastronomia, aprendendo ainda mais com turistas e clientes.

Em 1989, Marcos Beato resolveu abrir seu próprio negócio, em sociedade com Claudiomiro Machado (em memória), abriram a Churrascaria Búfalo Branco, há 32 anos, segue no mesmo local, mantendo um padrão de excelência no atendimento e a qualidade do que é servido, uma das melhores churrascarias da região. Nesses longos anos à frente do empreendimento, também estão os filhos do seu sócio: Laercio Machado, Regiane e Tatiane Machado.

Marcos Beato diz que para sobreviver a todos os ciclos que a fronteira já passou, é preciso paciência e perseverança.

“Todos os dias são de aprendizado, para cada problema tem uma solução, nessa retomada pós pandemia, tenho certeza que tudo vai melhorar, sou um eterno otimista, dificuldade todo mundo passa, mas não podemos perder a esperança”.

Aos 78 anos, junto com sua esposa Cleusa Penso, o empresário transmite ótimo humor, vitalidade, e sobre tudo um verdadeiro contador de histórias, um exemplo de dinamismo profissional.

Foz do Iguaçu realmente tem seus encantos, para Beato, é a melhor cidade para morar e trabalhar, “viajamos muito e percebemos que Foz é única, tem oportunidades e espaço para todos, temos que valorizar o nosso produto, considerando quer o turismo alavanca todos os setores e crescemos com isso”.

Comentários

Deixe a sua opinião