Ela sempre sonhou ser médica. Sua mãe conta que, desde quando aprendeu a falar, Solange da Silva Simon dizia que cursaria Medicina. Dito e feito! Ela fez do sonho um objetivo e já está há mais de dez anos ajudando a salvar vidas. 

Sentada timidamente atrás de sua mesa de trabalho, no consultório médico, Dra. Solange recebe pacientes que sofrem de algum tipo de infecção, seja transmitida por vírus, bactérias ou fungos. Isso porque ela é especialista em infectologia, sendo uma das três médicas que atuam nessa área em Foz do Iguaçu. 

Apesar de não ser uma das áreas mais conhecidas da medicina, o trabalho da doutora é de extrema importância, pois cabe a ela identificar a infecção do paciente, como também atuar no controle de infecções em ambientes hospitalares, principalmente nas UTIs. “Além do consultório, eu atendo no Hospital Unimed e no Hospital Ministro Costa Cavalcanti, onde atuo na área de Controle de Infecção Hospitalar. Lá faço parte de uma equipe que atua de forma ativa na prevenção e controle de infecções hospitalares, visando à melhoria da qualidade da assistência e à biossegurança dos pacientes”, destaca. 

O começo de tudo  

Mas para chegar até aqui, a Dra. Solange precisou ir para muito longe de Foz do Iguaçu. Apesar de ter nascido na cidade, foi fora do país que ela cursou Medicina. “Na época muitas pessoas estavam indo para Cuba estudar se ouvia falar muito bem da medicina de lá, então eu acabei indo também.” Lá ela se formou e depois voltou ao Brasil para revalidar o diploma. Após formada, atuou como médica da saúde da família, tendo um contato direto com casos de infecção. Apaixonou-se pela área e decidiu que se especializaria em infectologia. Fez residência nessa especialidade em Salvador/Bahia, onde, depois de concluída a especialização, trabalhou por mais três anos. 

No entanto a saudade de casa e da família a trouxe de volta a Foz do Iguaçu. Aqui ela trabalhou durante um ano em um hospital particular até abrir seu próprio consultório. Hoje já são quatro anos atendendo a casos de infecção em Foz do Iguaçu, sendo responsável por diagnosticar e oferecer o tratamento mais adequado na busca pela melhora dos pacientes.  

“Foz do Iguaçu, por estar na fronteira, tem uma incidência alta de casos de dengue, principalmente nesta época do anoEntão é importante sempre estarmos atentos aos sintomas e, ao apresentar quadro sugestivo da doença, procurar atendimento médico”, alerta. Além disso, ela atende a casos de HIV, tuberculose, entre outros   

E se Solange ama o que faz? Completamente. Para ela, a maior recompensa na medicina é poder ver os pacientes curados. “Eu gosto muito da minha área, porque eu faço o acompanhamento do paciente e vejo a melhora, e isso é muito gratificante para mim. Essa é a melhor parte da medicina, ver a melhora e, quando possível, a cura do paciente”, finaliza. 

Local Wish Resort 

CabeloAliker Penteados  

Make: Fabi Estrela 

 

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião