Com apoio da Itaipu, mais de 10 mil materiais educativos e de divulgação do Disque 100 foram entregues entre os dias 10 e 13 de fevereiro.

Mais de 10 mil materiais educativos com ênfase no combate à exploração de crianças e adolescentes foram distribuídos pela Rede Proteger durante as festas públicas do carnaval de Foz do Iguaçu, o Carnafalls. A entrega foi feita entre sábado (10) e terça-feira (13) nas atividades do CTG Charrua, no Carnaval da Saudade e no Carnaval nos Bairros.

Na ação, o público recebeu cata-ventos, abanadores e folders que reforçaram a divulgação do aplicativo Projeta Brasil e do Disque 100, principais canais de denúncias no País contra violência sexual, trabalho infantil, uso de álcool e outras drogas, desaparecimento de crianças e meninos e meninas em situação de rua. Neste ano, o tema da campanha nacional foi “Respeitar. Proteger. Garantir – todos juntos pelos direitos da criança e do adolescente”.

As peças foram entregues por voluntários das instituições ligadas à Rede Proteger, da qual Itaipu faz parte. “Foi uma atividade positiva. As pessoas se interessaram bastante pelos materiais e vinham até nós em busca dos abanadores e dos cata-ventos”, disse Lídia Mara Elias Gomes, da Divisão de Iniciativas de Responsabilidade Social (RSIR.GB) de Itaipu, que participou da distribuição no Carnaval da Saudade.

Para o coordenador da Rede Proteger, padre Giuliano Inzis, a boa aceitação foi relevante para dar mais visibilidade aos canais de denúncia, especialmente o Disque 100. Ele também agradeceu à Itaipu pelo suporte nesta atividade e demais ações do grupo. “A Rede Proteger é formada por entidades que não dispõem de muitos recursos. O apoio da Itaipu é fundamental para que a Rede continue como referência na defesa de crianças e adolescentes”, concluiu.

Proteção à infância e à juventude

Na terça-feira (13), uma ação integrada da Rede Proteger, Conselho Tutelar e forças de segurança locais, organizada a partir de uma denúncia, interrompeu a realização de uma festa em uma chácara no Jardim Tarobá. O evento não tinha liberação dos órgãos públicos e contava com a presença de várias crianças e adolescentes.

“Não encontramos situação de abuso ou exploração de trabalho infantil nos espaços em que fizemos a distribuição dos materiais, apenas este caso, em uma área isolada”, afirmou Helio Cândido do Carmo, presidente da Guarda Mirim, uma das instituições que compõem a Rede. Para ele, esta situação pode ser avaliada como resultado das campanhas de conscientização desenvolvidas nos carnavais de anos anteriores.

Combate ao assédio

Em outra frente de atuação, desta vez no combate ao assédio às mulheres durante o carnaval, a Itaipu adesivou os ônibus de transporte de empregados – da empresa Nordeste – com mensagens alusivas à campanha #CarnavalElesPorElas. A iniciativa da ONU Mulheres teve o suporte do Comitê Nacional Impulsor ElesPorElas HeForShe – do qual Itaipu faz parte. O lema da campanha é “Respeita as mina. É simples.”

A empresa também aproveitou o período para divulgar o #CarnavalElesPorElas em seus veículos internos e mídias sociais.

Foto: Divulgação Rede Proteger

Comentários

Deixe a sua opinião