Deputado Vermelho fez uma visita na redação da 100fronteiras e falou sobre seus projetos, principalmente o mais polêmico, como o da Estrada do Colono.

Deputado Vermelho
Deputado Vermelho em entrevista na redação da 100fronteiras. Foto: Lukas Franco/100fronteiras

O parlamentar defendeu a proposta com exemplos reais. Segundo ele, o projeto da Estrada do Colono cria uma unidade de conservação ambiental, que irá andar de mãos dadas com a natureza e o turismo de natureza.

Confira a entrevista:

100f: Você pode falar sobre o projeto da Estrada do Colono?

Deputado Vermelho: É Estrada Parque, e ela tem um contexto totalmente diferente do que estão falando, não vamos pegar uma motosserra e desmatar. Nós já temos uma Estrada Parque em Foz do Iguaçu, que é a Avenida das Cataratas, que aliás não tem nenhuma proteção lateral para o animais e ainda assim está funcionando bem. No Brasil, existem mais de 20 estradas parques. A ligação que existia antigamente com a Estrada do Colono, oeste-sudoeste beneficiava todos de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A estrada foi feita em 1929 e o Parque foi criado em 1939 com o decreto de Getúlio Vagas, ou seja, antes do Parque, a estrada já existia, ela era tradicional e histórica, e com um movimento na década de 2000, foi fechada. Ela foi uma estrada que servia como um todo. Hoje estamos em um novo tempo, e queremos uma Estrada Parque para que possamos usufruir apenas do turismo de natureza. Não terá transporte de carga, apenas carro de passeio e ônibus de turismo, essa é uma oportunidade do ser humano estar em contato com a natureza. Por enquanto estamos aprovando a criação dela, mas que depois vamos discutir com profundidade, com o Ibama, ICMBio, Itaipu, Governo do Estado, Governo Federal e ambientalistas, que tipo de estrada vamos criar? Que tipo de estrada queremos e como vamos fazer para preservar? 

100f: Então as questões de preservação ainda vão ser discutidas? 

Deputado Vermelho: Sim, vai ser discutido depois. A urgência do projeto já foi votado, em seguida vamos aprovar o mérito dela, e depois discutir com a sociedade o que nós queremos, nós vamos ter uma parte de supressão vegetal que corresponde a 20/25 hectares para fazer essa estrada, isso pode ser reflorestado 10 vezes mais em outro local se for o problema, existe ainda uma fenda na mata da Estrada do Colono que existia quando ela foi reflorestada, tem umas vegetações ainda fina, pelo pouco tempo que ela foi fechada. Então não existe uma degradação, não existe um afronto na natureza, e muitas vezes falam coisas que não são verdades, como por exemplo, que vai ser para tráfico, contrabando, isso é mentira. A estrada vai ser a mais vigiada possível, com as polícias Federais, Estaduais e Guardas Municiais. O trânsito será só de dia, nós vamos contemplar quem quer vir de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina para Foz do Iguaçu, eles poderão usufruir da beleza natural que temos, começando no sudoeste e terminando no oeste do Paraná, desencadeando todo esse turismo em Foz do Iguaçu. Então seria um ponto a mais de turismo de natureza que o Paraná teria, e em especial fazendo justiça com as duas regiões do oeste e sudoeste que foram injustiçadas com o fechamento da Estrada do Colono, vamos devolver a eles a oportunidade de ir e vir e de ter essa ligação, que já não existe mais. Então o projeto é responsável, ele cria uma Estrada Parque como unidade de conservação. 

100f: Como será feito esse controle na Estrada do Colono?

Deputado Vermelho: A princípio serão permitidos apenas carros de passeio e turismo, nada de cargas e transporte, terá a circulação controlada, apenas durante o dia. Então veja: tirar o direito da região do Paraná de ter essa natureza? Afinal de contas, quem manteve o Parque por anos foram esses dois povos, do oeste e sudoeste, os 14 municípios lindeiros. “Ah mas a Unesco”, mas o que a Unesco diz com relação as duas estradas que existem dentro do Parque Nacional do território argentino? Lá tem duas estradas sem nenhum controle, com atropelamento de animais frequentes. Mas quando se propõe, em pleno século XXI em que o homem tem a responsabilidade, o conhecimento e tecnologias para fazer uma exploração integrando o homem à natureza, fazendo um turismo de natureza, muitas vezes a proposta não é entendida. Muitas vezes as críticas vem de pessoas que não conhecem Foz do Iguaçu e muito menos o parque. “Ah porque vão rasgar o Parque” não é essa a questão, nós queremos construir uma passagem ecológica, que possa agregar ao turismo de natureza e protegê-la. 

100f: Como seria uma ideia de passagem ecológica? 

Deputado Vermelho: Uma estrada com parte elevada, para os animais ou uma passagem elevada e subterrânea para eles. “Ah mas vão caçar”, caçar já caçam hoje, não tem proteção, como exemplo na Argentina que é vulnerável. Mas a Estrada do Colono será protegida de lado a lado, ou seja, ninguém vai ter acesso ao Parque pela estrada, ela apenas será o caminho que dará oportunidade de desfrutar do turismo de natureza. Se quiser poderá ir de bicicleta ou caminhar, são 17km de estrada. O projeto é totalmente diferente da imagem que estão construindo “destruir o Parque”. Um incêndio destruiu o Pantanal, a Austrália, tivemos problemas de desmatamento na Amazônia, derramamento de petróleo no mar. O Brasil foi aberto nas matas do sertão, sem menor controle. Hoje nós temos o controle. O Parque Nacional é a última reserva porque nós estamos cuidando, se não, não teria mais essa reserva. 

100f: Quando a Estrada do Colono era aberta, ela rendia turismo? 

Deputado Vermelho: Na década de 60, 70 não existia turismo, muito pouco. E hoje já não, hoje recebemos em média de 2 milhões de pessoas, então hoje já tem atividades esportivas e náuticas em Capanema, no Rio Iguaçu só não tem a possibilidade de ter a ligação com o Parque, e é isso que está se propondo. 

100f: O que você acha sobre o que estão falando da abertura da Estrada do Colono? 

Deputado Vermelho: Eles colocam a gente no jornal com uma motosserra, outro com trator de esteira, fazendo um terrorismo ambientalista que não existe. 

100f: Ou seja, você quer uma estrada ecológica? 

Deputado Vermelho: Claro, a Itaipu até propôs um concurso internacional do projeto mais sustentável possível, é uma ideia para depois discutir com a comunidade, um concurso público com os escritórios nacionais e internacionais.

100f: Você é a favor de respeitar a natureza? 

Deputado Vermelho: Sim, como não? Como não ser a favor de respeitar a natureza? 

100f: A Estrada do Colono encurta o caminho dos viajantes? 

Deputado Vermelho: Sim, mas essa é outra questão. Se você for usar a estrada pensando em distância, encurta 170km.

100f: Como está o projeto da “Estrada Parque” atualmente? 

Deputado Vermelho: O projeto já passou a urgência, agora vamos nos organizar para votar o mérito e assim por diante. 

100f: Já tem data para a conclusão das votações? 

Deputado Vermelho: Ainda este ano pretendemos concluir. 

100f: Teve alguns comentários onde dizia que a construtora da sua família iria ficar a par do projeto da Estrada do Colono, é verdade? 

Deputado Vermelho: Para você ver o nível que chegam. Obras estão sobrando no Brasil, agora fazer a proposta de uma Estrada Parque para usufruir do turismo de natureza porque eu quero construir? A obra será licitada, não se sabe quem vai fazer, eu nem vou participar da licitação. 

100f: Então o que você pretende com a reabertura da Estrada do Colono é o turismo? 

Deputado Vermelho: Sim, apenas o turismo. Eu sou vice-presidente da Comissão de Turismo de Natureza, e turismo de natureza é isso. 

100f: E caso o projeto seja aprovado, o desmatamento poderá ser reflorestado? 

Deputado Vermelho: Sim, pode, até mais do que for tirado. Essa área desmatada é a mesma coisa que tirar 35 mil reais de 1 milhão de reais, isso representa 0,0002.8 do Parque Nacional.

Sobre o Deputado Vermelho

Nelsi Conguetto Maria, mais conhecido como Vermelho, está atuando em seu segundo ano como Deputado Federal. Tem 62 anos e é natural de Francisco Beltrão, no Paraná, Vermelho foi prefeito da cidade de Salto do Lontra de 1983 a 1988, assumiu quando tinha apenas 24 anos.

Nas eleições de 2006 foi candidato a Deputado Estadual pelo PSDB e em 2014 candidato a Deputado Estadual pelo PTB ficando suplente nas duas eleições.

Nas eleições de 2018, foi eleito Deputado Federal pelo estado do Paraná. Tem formação em direito. Eleito deputado federal por Foz do Iguaçu e municípios das regiões Oeste e Sudoeste com 70.001 votos.

Deputado Vermelho
Deputado Vermelho em entrevista na redação da 100fronteiras. Foto: Lukas Franco/ 100fronteiras

Comentários

1 Comentário

Deixe a sua opinião