Para garantir a segurança das operações no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu (IGU), a CCR Aeroportos, concessionária que administra o local, segue protocolos rigorosos que envolvem toda a comunidade aeroportuária.

A eficácia dessas ações também depende da colaboração dos moradores que vivem nas proximidades do aeroporto. Por isso, a concessionária pede o apoio da população para reforçar os cuidados na região.

Incidentes aéreos podem acontecer, por exemplo, devido à colisão entre aeronaves e aves. Diante deste risco,  Igor Degra, Analista de Qualidade, Segurança, Saúde e Meio Ambiente (QSSMA) da CCR Aeroportos, alerta que é proibido o descarte de lixo e entulho no entorno do aeroporto. 

“A CCR Aeroportos atua de forma responsável com meio ambiente, por isso reforçamos junto à população que resíduos descartados irregularmente podem atrair aves e outros animais para a área perto do aeroporto que podem causar interferências, sobretudo, nos momentos de pousos e decolagens, colocando em risco a vida de dezenas de pessoas. Um descuido que também facilita a proliferação de doenças”, explica. 

Igor alerta ainda que animais domésticos também não devem se aproximar do aeroporto, pois é perigoso tanto para eles quanto para a aviação, já que choques com aeronaves também podem acontecer durante as manobras em solo.

Além da fauna, a flora também merece atenção especial, pois as árvores podem afetar as condições de segurança do aeroporto. “Por isso, pedimos a colaboração da vizinhança para manter o controle de podas das árvores e arbustos que possam ter interações diretas com as estruturas do aeroporto. Assim, conseguiremos manter uma condição mais adequada e segura para todos”, indica Igor.

Desde que assumiu a administração do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu e de outros 15 aeroportos no primeiro semestre deste ano, a CCR Aeroportos trabalha para aumentar cada vez mais a segurança das operações, tanto durante os pousos e decolagens, quanto em solo.

Uma das ações preventivas realizadas pela concessionária é a vistoria externa da Área de Segurança Aeroportuária (ASA), que compreende um raio circular de 20 km a partir da localização do aeroporto. Esse perímetro é monitorado, com regularidade, para evitar a presença de edificações, atrativos ou animais que afetem ou limitem a operação do aeroporto. 

Comentários

Deixe a sua opinião