Conversar com o Almirante Risden é sempre um prazer. A educação, simpatia e elegância são marcas de sua personalidade. Eu tive a oportunidade de entrevistá-lo quando ainda era diretor financeiro da Itaipu, em 2020, para o quadro Memórias de Foz. Ali, ele contou a história de sua família, pioneira em Foz do Iguaçu, e também falou sobre os caminhos que trilhou até chegar à binacional.

Naquela época não sabíamos que ele viria a se tornar o diretor-geral brasileiro da Itaipu, hoje ele sente-se honrado com a designação:

“Quando fui para a Marinha, listei todas as coisas que gostaria de fazer na vida e durante toda a minha carreira fui conquistando esses objetivos. Após ter servido à Marinha por 40 anos, decidi  ir para a reserva e tirar um ano sabático. Estava com minha filha na França, quando recebi um convite para trabalhar na FGV numa área nova de segurança e defesa. Da mesma forma, trabalhando lá, estabeleci novas metas. Fiquei três anos e cumpri boa parte do que havia planejado. Depois vim trabalhar na Itaipu, entre os objetivos que estabeleci para minha vida foi alcançar o melhor resultado para a entidade, colaborando com todas as diretorias. Assim, em todo esse tempo da minha vida, eu tenho mentalizado e definido metas, essas são alcançadas em conjunto com as equipes que me apoiam”.

Novo desafio, nova missão

O Almirante Risden destaca que ficou honrado com o nobre convite. “Fazer parte da história de tão grande empresa é um privilégio imensurável. Sinto-me honrado por assumir essa responsabilidade que, para mim, é também o coroamento de uma relação com a cidade de Foz do Iguaçu, onde tive a oportunidade de desfrutar, na minha infância, de momentos inesquecíveis”.

Neto de famílias pioneiras da cidade, o diretor enfatiza que tanto a cidade de Foz do Iguaçu, quanto as cidades do entorno possuem um povo afável, que valoriza a terra onde mora e o ambiente familiar. Além disso, ele demonstra total satisfação com o crescimento econômico e cultural da região.

Almirante Anatalicio Risden Junior
Almirante Risden é doutor em Altos Estudos de Política e Estratégia Marítimas, mestre em Ciências Navais, pós-graduado em Administração Financeira pela Escola de pós-graduação em Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e bacharel em Ciências Navais, com especialização em Intendência para Oficiais pela Escola Naval. Também participou do Programa de Desenvolvimento de Conselheiros – PDC – da Fundação Dom Cabral.

Sobre a responsabilidade frente aos novos desafios, ele destaca o de manter o diálogo e a cortesia entre os dois países. “A binacionalidade é a alma da entidade e deve ser preservada e reconhecida. Nossos irmãos paraguaios e nosso povo brasileiro merecem a melhor gestão”, frisa.

Admirado com a grandiosidade de Itaipu – que ele teve a oportunidade de ver quando criança com seu pai, sem saber que um dia viria a ser parte dessa entidade – Risden reforça que o sucesso da empresa se deve aos esforços de todos aqueles que já passaram por aqui, desde os que a idealizaram até os barrageiros, que ajudaram a construí-la, perpassando os anos e chegando até os dias atuais. “Não há uma única colaboradora ou um único colaborador que seria deixado de lado na história desta Usina.”  Uma das frases preferidas do Almirante Risden é: “Unir-se é um bom começo, manter a união é um progresso e trabalhar em conjunto é a vitória.” (Henry Ford).

Ele também disse que “a diretoria brasileira tem, conforme já divulgado, diretrizes que estão sendo implementadas desde o início de minha assunção ao cargo. Digo diretoria, pois é assim que estamos trabalhando: unidos. Vamos, diuturnamente, nos aproximando das melhores práticas de gestão de mercado; além de reduzir custos empresariais; desenvolver alternativas para o futuro da Itaipu, respeitando as especificidades de cada margem no que for exequível. Transmiti todos esses conceitos aos nossos colaboradores, enfatizando cinco ideias-força: binacionalidade, proatividade, meritocracia, gestão racional com austeridade e imagem institucional”.

Legado

A eficiência é uma das marcas do trabalho de Risden ao longo de toda a sua carreira. Na gestão da Itaipu não é diferente. Para isso, ele conta que um dos seus propósitos é lançar as bases para que a entidade se modernize e esteja em outro patamar nos próximos dez ou vinte anos. “No dia que assumi o cargo apresentei um documento chamado ‘Diretrizes para o aprimoramento de gestão’, que está sendo trabalhado. Uma empresa deve ter um norte para que possa caminhar de modo seguro. Esse documento foi fruto de experiência em outras organizações, pesquisa e consulta com outros CEOs, assim como com a diretoria brasileira e os conselheiros brasileiros da Itaipu; e todos ratificaram. Em segundo lugar, eu gostaria que a comunicação interna da entidade fosse a melhor possível, porque, como diz a sabedoria popular: ‘a união faz a força”.  

“Eu tenho muito orgulho de trabalhar na Itaipu e quero que todos que trabalhem aqui tenham esse orgulho também”.

almirante risden

leia também

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião