Especial 60 anos de Ciudad del Este

6930

Parabéns, Esteños! 60 anos de Cidade do Leste

 

A geografia ensina-nos que o Brasil encontra-se com outros dois países em nove pontos no mapa. Mesmo assim, apenas um destes pontos é conhecido como “a Tríplice Fronteira”. O que faz da fronteira do Brasil (Foz do Iguaçu) com a Argentina (Porto Iguaçu) e o Paraguai ser especial é justamente a Cidade do Leste.

 

Comemorando 60 anos, Porto Flor de Liz foi fundada em 3 de fevereiro de 1957. Logo passou a se chamar Porto Presidente Stroessner, em homenagem ao então presidente do Paraguai. Alfredo Stroessner foi general do Exército e o principal nome da ditadura mais longa da história da América do Sul – de 1954 a 1989. Naquele ano, os articuladores do golpe que derrubou Stroessner optaram por chamar a cidade de Cidade do Leste.

 

No livro Breve História de Foz do Iguaçu (Editora Epígrafe), o historiador Micael Alvino da Silva delimitou um recorte para a formação da Tríplice Fronteira. Segundo o autor, o período que vai da década de 1950 até os anos 2000 caracteriza-se por coincidir com a formação da Tríplice Fronteira. Via Cidade do Leste, Ponte da Amizade e rodovias, o Paraguai finalmente teve uma antiga demanda atendida: o acesso ao mar. Este acesso e a criação de uma zona franca permitiram a ida de muitos estrangeiros para o comércio.

 

O acesso tornou-se mais do que algo simbólico. Em 1956, os governos do Brasil e do Paraguai assinaram o tratado para a construção da Ponte da Amizade e o convênio para a criação do Entreposto de Depósito Franco no Porto de Paranaguá, para o armazenamento de mercadorias exportadas ou importadas pelo Paraguai via Oceano Atlântico. Com a inauguração da ponte em 1965 e com a finalização do asfaltamento da BR-277 em 1969, o Paraguai passou a ter um acesso real à costa leste do continente, com a estrutura rodoviária e portuária necessária para o incremento de suas atividades comerciais.

 

Ao comemorar seu aniversário, Cidade do Leste ostenta a posição de cidade mais importante da região. Para o Paraguai, por exemplo, é a principal cidade do país depois da capital, Assunção. É também a capital de seu estado, o Alto Paraná, e forma a região metropolitana de Cidade do Leste juntamente com Hernandárias, Porto Presidente Franco e Minga Guazu. Estima-se que a população das quatro cidades soma em torno de 700 mil a 800 mil pessoas.

 

Para o Brasil, a cidade gera controvérsias. A classe média brasileira se sente estimulada a visitar a região por conta dos preços atrativos de produtos importados. Na contramão desta tendência, setores ligados à indústria nacional e a grande mídia tendem a associar Cidade do Leste a Paraguai, e Paraguai a produtos contrabandeados.

 

Para a região da Tríplice Fronteira em si, Cidade do Leste representa muito mais. No aspecto econômico, a interdependência dos três lados da fronteira é cotidianamente registrada por quem circula pela região da Ponte da Amizade ou lê os jornais locais. Frequentemente se associa a queda nas vendas em Cidade do Leste ao aumento da inadimplência em Foz do Iguaçu, por exemplo.

 

E as vendas em Cidade do Leste continuam a atrair investimentos em uma área que combina o turismo e a compra de mercadorias importadas. No início dos anos 2000, o Brasil intensificou a fiscalização na aduana da Receita Federal. Como consequência, os “comboios” de ônibus de sacoleiros foram desarticulados. Enquanto alguns apostavam na redução do comércio na cidade, outros apostavam em investimentos para um novo tipo de cliente. Em um curto/médio prazo, a cidade se adaptou e possui atualmente um leque de opções que atende a diversos públicos.

 

No campo da educação superior privada, os cursos da área da saúde, especialmente o curso de Medicina, têm atraído jovens de todo o Brasil para estudar em Cidade do Leste. São pessoas que se juntam aos tantos moradores da região que chegaram em função de opções propiciadas em torno da cidade paraguaia.

 

Cidade do Leste e a internacionalização da sociedade

 

A sociedade das primeiras décadas do século 21 atingiu um nível de internacionalização ímpar. Na Tríplice Fronteira, visualizar as relações internacionais no cotidiano não é um domínio exclusivo de especialistas. Os cidadãos comuns experimentam diversas situações. Ao caminhar pelas ruas de Cidade do Leste, é possível deparar-se com o Consulado do Brasil, da Argentina, da Alemanha, da Eslováquia, da França, do México, do Peru, da Síria, de Taiwan e da Turquia.

 

Os consulados são uma pequena amostra da nacionalidade diversa da população local. Após a criação da Zona Franca de Cidade do Leste, especialmente a partir de 1980, pessoas de diferentes partes do mundo mudaram-se para a região atraídas pela possibilidade comercial. Do comércio em si vieram outras atividades, como a religião, que possibilitou a construção de templos diversos, entre eles as mesquitas. Outro exemplo pode ser encontrado nos restaurantes, como os árabes e chineses.

 

Frequentemente encontram-se pessoas de nacionalidades distintas, especialmente brasileiros, paraguaios e argentinos. Professores deparam-se com estudantes de origens também diversas. Trabalhadores convivem com outros trabalhadores de nacionalidade ou origem diferente. Crianças brincam nos parquinhos públicos ou de estabelecimentos comerciais com outras crianças cujos pais podem ser paraguaios, argentinos, árabes, muçulmanos, chineses, etc.

 

 Especial 60 anos de Ciudad del Este

Os exemplos de experiências que transcendem o espaço local, regional e nacional são infinitos. Certamente quase todos têm uma origem comum: um movimento iniciado com o estabelecimento da Zona Franca. Portanto Cidade do Leste é mais do que a principal cidade da Tríplice Fronteira. Está no centro das experiências de internacionalização da sociedade.

Por isso e mais: parabéns, Esteños!

 

Colaboração do Grupo de Pesquisa sobre a Tríplice Fronteira, da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). O grupo é registrado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e reúne pesquisadores, professores e estudantes da Pós-Graduação em Relações Internacionais Contemporâneas da UNILA, com projetos de pesquisa sobre fronteira, território, defesa e segurança. Com o texto colaboraram: Prof. Dr. Micael Alvino da Silva, Prof. Dr. Mamadou Aplha Diallo, Prof. Dr. Marcelino Teixeira Lisboa, e Prof.ª Dr.ª Heloísa Marques Gimenez.

 

 

Iluminação

 Especial 60 anos de Ciudad del Este

A Administração Nacional de Eletricidade (ANDE) estabeleceu um cronograma para que seja feito o reparo em diferentes pontos da cidade, como as Avenidas Rivas Ortellado, Alejo García, Monseñor Rodríguez, Luis María Argaña, Eusebio Ayala, Concejal Romero, entre outras. O investimento é de cerca de US$ 30 milhões, e a intenção é que, a partir de 2017, não haja mais cortes por sobrecarga de consumo. Um marco na cidade e também um ponto turístico é o novo viaduto, que conta com iluminação noturna especial instalada pela empresa MDL. Outro ponto que recebeu iluminação é o Lago da República, no centro da cidade.

 

Paisagismo

 Especial 60 anos de Ciudad del Este

Quem visita o centro da cidade nos dias de hoje pode perceber uma revitalização no paisagismo, o que proporciona mais beleza e bem-estar aos moradores e turistas, além da valorização da natureza.

 

Turismo

 Especial 60 anos de Ciudad del Este

O setor turístico está cada vez mais forte. Hoje não apenas com o turismo de compras, mas com o entretenimento, a cidade está voltando-se para os grandes eventos. A chegada de novos empreendimentos como hotéis e shoppings proporciona uma variedade de opções de lazer em Ciudad del Este, fazendo dela a principal cidade da Tríplice Fronteira.

 

Luxo

 Especial 60 anos de Ciudad del Este

Quem visita CDE também encontra grandes marcas de luxo. Um exemplo é a Sax Department Store, que investe em qualidade e sofisticação e possui um luxuoso prédio na entrada da cidade, oferecendo aos visitantes conforto e satisfação.

 

Industrialização

A região de Ciudad del Este também está em amplo crescimento com a instalação de aproximadamente cem novas indústrias brasileiras, gerando assim milhares de empregos, renda e desenvolvimento para a região da Tríplice Fronteira.

 

(1) Empreendimentos de grande porte que já estão prontos e funcionando na cidade

 

  • Shopping Paris

 O Futuro de CDE

Estrutura de 80 mil metros quadrados;

450 lojas;

Investimento de mais de US$ 65 milhões.

Amplo e moderno espaço que conta com cinema 3D e parque de gelo.

 

  • Shopping Arena

 O Futuro de CDE

Área total: 23 mil metros quadrados em um espaço de cerca de três hectares;

shopping tem como público-alvo moradores de Ciudad del Este e Foz do Iguaçu e chega como um novo centro de compras, entretenimento e gastronomia para os moradores e turistas da região trinacional.

 

  • Howard Johnson Hotel

 O Futuro de CDE

Com origem nos EUA em 1925, a rede de hotéis Howard Johnson, que possui mais de seis mil hotéis associados em todo o mundo, chegou no fim do ano passado a Ciudad del Este como uma nova e moderna opção de descanso e lazer.

84 quartos;

12 suítes e quartos duplos;

Área total: oito mil metros quadrados de construção;

Estacionamento para mais de 70 veículos;

Ginásio, piscina, spa e salão de festas e eventos corporativos com capacidade para 400 pessoas, e um restaurante moderno que oferece serviços variados.

 

(2) Empreendimentos em fase de construção

 

  • Bourbon Rio Hotel

 O Futuro de CDE

Área total: 11.576 metros quadrados;

Terá 116 apartamentos entre 22 e 44 metros quadrados;

O hotel contará com o In Samba Restaurante (multifuncional), onde serão servidos desde café da manhã e lanches rápidos até refeições completas. O último andar também será inteiramente dedicado ao lazer, com espaço para os hóspedes relaxarem e aproveitarem a paisagem, já que será possível ver o pôr do sol da Tríplice Fronteira no In Samba Lounge Bar.

 

Segundo o gerente-geral do hotel, Wellington Aquino, “há pouco mais de cinco anos a rede opera o Bourbon Assunção Convention Hotel e neste tempo teve uma experiência de muito sucesso no Paraguai. Além disso, com esta unidade, foi possível perceber como o Paraguai é um país em franco crescimento que a cada ano recebe mais turistas e executivos. O país tem se tornado um dos principais pontos de encontro para reuniões políticas, convenções empresariais e campeonatos e amistosos de futebol. É uma das mais importantes cidades do país e recebe todos os anos milhões de turistas, principalmente para compras, e que sentem falta de uma hospedagem prática, versátil e com preço competitivo”.

 

  • IBIS Hotel – falta foto

 O Futuro de CDE

Mais de 100 quartos;

Dois níveis de estacionamento para 128 veículos;

O edifício contará também com escritórios de empresas para venda e aluguel, bem como um restaurante e sala de conferências;

O investimento é de cerca de oito milhões, e a previsão é para que seja inaugurado em 2017.

 

  • Hilton Hotel

 O Futuro de CDE

O Hilton Garden Inn Ciudad del Este faz parte da Hilton Worldwide.

120 quartos;

28 andares;

Localização estratégica, a cinco minutos da Ponte da Amizade e a 20 minutos do Aeroporto Internacional Guarani.

 

(3) Empreendimentos que têm chance de se instalar em CDE nos próximos anos

 

  • World Trade Center

 O Futuro de CDE

A previsão é que o empreendimento possuirá cerca de 140 quartos e espaços para todos os tipos de eventos, além de restaurantes. A intenção é atrair investidores para a região da Tríplice Fronteira.

 

  • Sheraton Hotel

 O Futuro de CDE

Outro empreendimento é o Sheraton Hotel, que contará com escritórios, lojas e serviços em um espaço de 30 mil metros quadrados, localizado na autoestrada perto do Paraná Country Club. O objetivo é impulsionar Ciudad del Este para o desenvolvimento tanto no setor comercial quanto no turístico.

 

  • Hard Rock Cafe e Hard Rock Cafe Hotel & Casino

 O Futuro de CDE

Com a chegada deste empreendimento a CDE em 2019, a intenção é movimentar ainda mais o setor comercial e turístico da fronteira. Serão investidos cerca de US$ 100 milhões na construção do complexo, que incluirá um hotel com 250 apartamentos, cassino, lojas, centro de convenções, estacionamento, centro de beleza e restaurantes.

 

 

 

O futuro de CDE na visão dos empresários

 

Fadi El Khechen – proprietário da empresa MDL: “Apesar dessa instabilidade econômica causada pela alta do dólar e a crise que assola a economia brasileira, afetando drasticamente o comércio e o setor empreendedor de Ciudad del Este, criando uma queda na demanda de turistas brasileiros, mostrou que a cidade se repagina, onde o mercado vai se moldando de acordo com as necessidades e o tipo de cliente. Sua infraestrutura melhorou muito nos últimos dois anos, pela reforma do Lago da República e o microcentro, e creio que futuramente estará melhorando mais ainda, porque percebe-se, pela visão dos empreendedores que investem em Ciudad del Este, que se deve disponibilizar um maior conforto e uma nova visão da cidade se quiserem que o turismo, o comércio e o setor empreendedor continuem avançando”.

 

Eduardo Lima – marketing da Miami Bike: “Ao longo dos anos, Ciudad del Este tem se desenvolvido comercialmente e turisticamente. É impossível deixar de elogiar o número de lojas e atrativos que abriram e ainda vão abrir por aqui, e é isso que move a cidade. A união entre administração pública e lojistas apenas beneficia os turistas, trazendo a eles diversas opções. Comercialmente, Ciudad del Este só tende a crescer, sobrepondo as dificuldades e atendendo com qualidade e preços que conquistam os consumidores. Turisticamente, a cidade tem recebido cada vez mais atrativos, que chamam a atenção pela forma que são e atraem moradores e turistas que estão pela região”.

 

Marcelo Ayala Silvera – diretor da MAS Consultoria Empresarial e fundador da Red Ciudad del Este Sustentable: “Ciudad del Este será um importante centro logístico de produção, distribuição e comercialização para a América Latina. Um destino seguro para o turismo de compras”.

 

Michelly Lange: “Cidade de Leste é uma cidade eminentemente comercial. Com o passar dos anos, as escalas comerciais foram mudando devido à política e à variação econômica do próprio país e dos países vizinhos. A oferta e a demanda em quase todos os setores variaram muito, gerando mais jovens empreendedores em diferentes ramos que se consolidam na região.
É uma cidade que tem uma potência muito grande e está em constante crescimento em infraestrutura e muita inversão estrangeira e local. Cidade de Leste está se levantando como um sólido gigante na região por ter apenas 60 anos de fundação e é uma cidade já considerada como a terceira maior zona franca comercial do mundo. Parabéns, Cidade de Leste”!

 

Ciudad del Este como um polo de desenvolvimento

 Especial 60 anos de Ciudad del Este

Por: Patrícia Buche

Ciudad del Este é conhecida como um centro comercial e é caracterizada pelo turismo de compras. No entanto, nos últimos anos, está sendo feito um grande trabalho para proporcionar aos turistas outras opções de passeio e lazer. Com isso, a Senatur (Secretaria Nacional de Turismo) busca criar projetos e ações que visam a divulgar o destino e a incentivar empresários a investir na cidade.

 

Sofia Montiel de Afara é diretora regional da Senatur e é responsável pelo departamento de Alto Paraná. Segundo ela, a intenção é alavancar o turismo na região. “Trabalhamos muito com as autoridades municipais, para que todos os planos possam estar com os mesmos objetivos. Trabalhamos também com empresários, prestamos suporte para esses empresários que estão instalados na região e necessitam de informações para melhor desenvolver seus projetos. Trabalhamos também com a promoção desses empreendimentos, ajudando na divulgação do destino”, explica.

 

Além disso, eles promovem feiras de turismo e workshops em nível nacional e internacional para incentivar a participação de empresários e divulgar o destino.

 

O turismo de compras ainda é o carro-chefe de Ciudad del Este, mas atualmente a chegada de hotéis de grande porte e o entretenimento por meio de shoppings têm aumentado na cidade e proporcionado uma variedade de opções para visitantes e moradores. Sem falar de atrativos naturais e históricos que podem ser contemplados em pouco tempo e em curta distância. A gastronomia também é um ponto forte que vem ganhando destaque por conta da presença de japoneses na região.

 

“Estamos com projetos de transformação que visam trabalhar com a sustentabilidade em todos os seus aspectos, desde infraestrutura até desenvolvimento sociocultural e econômico, transformando a região numa zona de conforto para os seus habitantes e aqueles que querem investir e viver nele, gerando desse modo polos de desenvolvimento e prosperidade para todos”, afirma Sofia.

 

As empresas estão instalando-se em CDE devido à posição estratégica e à presença de muitos empresários na região. Há também muitas indústrias sendo construídas. A construção de viadutos para facilitar a mobilidade e também de um parque gastronômico próximo ao lago municipal comprovam que Ciudad del Este tem muito a oferecer.

 

“Podemos esperar um grande avanço quanto ao posicionamento internacional e a competitividade. Estamos trabalhando para que os serviços sejam de qualidade. A região de Alto Paraná é muito rica, e a tendência é ampliar esses projetos e divulgar de forma positiva nossa região, atraindo turistas e despertando neles o interesse em voltar, até porque o que o Paraguai tem de melhor é a hospitalidade de nossa gente”, complementa a diretora da Senatur.



Formada em Jornalismo (UDC) e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas (Unila), atualmente é jornalista e editora na Revista 100fronteiras.


Deixe um comentário