Entidades de Foz do Iguaçu formam núcleo para promoção e defesa das mulheres

638

“Vamos trabalhar em rede para unir forças e potencializar ações”, explicou a coordenadora do Programa de Equidade de Gênero de Itaipu, Lilian Paparella.

Representantes de aproximadamente 30 entidades de Foz do Iguaçu, que atuam na promoção e na defesa dos direitos das mulheres, definiram nesta terça-feira (29) a formação de um núcleo para planejar ações conjuntas, promover capacitações e estabelecer um calendário comum de atividades, unindo recursos humanos e financeiros.

O encontro ocorreu no Ecomuseu da Itaipu Binacional e é o desdobramento de outra reunião, promovida no dia 13 de dezembro, quando a proposta foi apresentada e debatida oficialmente pela primeira vez.

A questão do assédio sexual será o primeiro tema tratado pelo grupo. “O assédio abrange várias faces e precisamos conhecer todas elas para combatê-lo. Porque é um problema que fere muitas mulheres e muitas famílias”, afirmou coordenadora do Programa de Equidade de Gênero de Itaipu, Lilian Paparella.

Segundo ela, a aproximação das entidades é um movimento natural porque todas trabalham com o mesmo propósito – seja nas áreas da saúde, do trabalho, da família ou do ciclo da violência. “Vamos trabalhar em rede para unir forças e potencializar as ações. Unidas, as entidades conseguem trabalhar de maneira mais coesa, com alinhamento de conceitos e sem conflito de agenda.”

A secretária municipal extraordinária de Direitos Humanos e Relações com a Comunidade, Rosa Maria Jeronymo Lima, participou do encontro e observou que a questão da mulher é um tema transversal, ou seja, está presente em todos os segmentos da sociedade. Desta forma, as discussões devem ter caráter amplo. “Quanto mais mulheres tiverem o entendimento do seu lugar [na sociedade] e debatam o tema, mais nós vamos avançar.”

Vice-presidente do MEX – Espaço Mulheres Executivas, Nadia Benitez avalia que o trabalho conjunto “fortalece elos e cria na nossa cidade uma cultura de união”. Ela citou como exemplo a campanha Outubro Rosa, que alerta a sociedade para a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama. “A gente ficou muito emocionada ao ver tantas entidades, tantas mulheres unidas em prol de um único objetivo.”

A Patrulha Maria da Penha, braço da Guarda Municipal que fiscaliza medidas protetivas de mulheres agredidas pelos parceiros, foi uma das entidades que participaram do encontro e ajudarão a formar o núcleo. “Há mulheres que demoram muito para perceber que aquilo que elas estão vivendo é uma situação de violência. Por isso a união de forças é importante: poderemos dar mais visibilidade ao nosso trabalho, informar, orientar, e ajudar a dar um impulso para que mulheres nessa condição procurem ajuda”, disse a coordenadora da Patrulha, Iraci Pereira.

Também participaram representantes da Secretaria Municipal de Assistência Social, Associação das Senhoras Rotarianas, Gabinete de Gestão Integrada de Foz, Conselho Municipal de Direitos da Mulher, Associação de Mulheres do Turismo; Centro de Referência de Atendimento à Mulher; Comissão de Mulheres Advogadas; Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila); Lions Club Foz Cataratas; Conselho da Mulher do CREA-PR; Câmara da Mulher da Fecomércio; Conselho da Mulher da Acifi – entre outras entidades de Foz do Iguaçu.

 

Foto: Nilton Rolin | ITAIPU Binacional




Deixe um comentário