Empreendedora cadeirante encontra oportunidade com empresa incubada no PTI

635

A Facilitas oferece na internet produtos para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida

O que um dia foi uma dificuldade para Ariane Rebeca Sehnem, com o apoio da Incubadora do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) transformou-se em oportunidade de negócio. Cadeirante há 12 anos, ela só conseguia encontrar os produtos que precisava, como cadeira de rodas e acessórios, nos grandes centros comerciais. Assim surgiu a Facilitas, um comércio virtual destinado a pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

A Facilitas chegou à Incubadora do PTI apenas como ideia. Os sócios avaliaram a demanda por meio de enquetes e entrevistas com grupos de pessoas com deficiência, além de bases de dados do Governo Federal, e perceberam que o negócio era promissor: esse mercado, atualmente, tem um crescimento de 25% ao ano.

Ariane explica que, entre os motivos desse aumento de procura, está o fato de que as pessoas com deficiência estão, cada vez mais, inseridas no mercado de trabalho e investindo em qualidade de vida. Só que mesmo na internet ainda é difícil encontrar produtos para esse público. A proposta da empresa, em funcionamento desde o final de 2016, tem tudo a ver com o nome: facilitar o dia a dia dessas pessoas, permitindo que elas escolham seus itens e modelos de preferência, comprem online e recebam em casa. “É muito mais comodidade e tranquilidade”, destaca a sócia.

Entre os produtos oferecidos pela Facilitas estão cadeiras de rodas – manual e motorizada, adulto e infantil -, rodas, acessórios como encostos e rodas dianteiras e protetores de aro. Por enquanto, as vendas são feitas por meio da página da empresa no Facebook e via whatsapp e os produtos são enviados para todo o país. Mas, em breve, a Facilitas também terá uma plataforma virtual e, com isso, o portfólio de produtos deve aumentar.

Mesmo que não tenham o produto em estoque, conta Ariane, os empreendedores buscam fornecedores ou indicam empresas conhecidas. “Hoje mesmo um cliente nos perguntou sobre um elevador de casa e nós indicamos um colega que faz esse trabalho”, afirma.

Conheça os produtos da Facilitas pelo Facebook: https://www.facebook.com/facilitashop/, ou entre em contato pelo Whatsapp: (45) 99902-8421.

Apoio

O processo de incubação, conforme a sócia da Facilitas, foi o que moldou a empresa e a tornou empreendedora. “O apoio deles é fundamental para nos orientar e mostrar como realmente construir uma empresa”, destaca.

Para o diretor superintendente do PTI, Jorge Augusto Callado, o suporte aos novos negócios fomenta um importante compromisso do Parque em promover o desenvolvimento das comunidades. “Estaremos em constante apoio aos ecossistemas de inovação que atendam à nossa vocação regional”, pontuou.

A Incubadora

A Incubadora Santos Dumont, parte do Programa de Desenvolvimento de Negócios do PTI, possui sede no Parque Tecnológico Itaipu e conta com duas filiais: uma na Uniamérica, em Foz do Iguaçu, para projetos específicos de alunos da faculdade, e outra em Marechal Cândido Rondon.

De 2006 até 2017, foram lançados 11 editais para incubação. Neste período, 56 empresas passaram pela Incubadora do Parque, gerando um faturamento de aproximadamente R$ 50 milhões.

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, mais de 2,5 bilhões de MWh. Em 2016, a usina brasileira e paraguaia retomou o recorde mundial anual de geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh. Em 2017, a hidrelétrica foi responsável pelo abastecimento de 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 86,4% do Paraguai.

Foto: Ariane Rebeca Sehnem.

Créditos: Divulgação/PTI




Deixe um comentário