construção-civil-em-alta-covid-19-panorama-home-center
Foto: Assessoria.

A pandemia de coronavírus ainda não deu trégua e a Covid-19 vem batendo recordes diários de vítimas e diagnósticos confirmados. Nessa emergência em curso, com medidas restritivas e quarentena mais rigorosa, o comércio de materiais de construção vem se mostrando de alto impacto e relevância, seja nos canteiros de obras de hospitais, clínicas, laboratórios que, mesmo com a pandemia, não podem parar e no cotidiano das pessoas que agora passam a maior parte do tempo dentro de suas casas.

O isolamento social adotado por parte da população, fez com que algumas atividades econômicas ganhassem ainda mais espaço. O “novo normal” trouxe uma percepção diferente aos consumidores e as lojas de materiais de construção se mostraram essenciais ao oferecerem soluções que vão muito além de tijolo, cimento e areia. São mais de 140 mil lojas do setor em todo o país e independentemente do seu porte, elas vendem itens que auxiliam, por exemplo, os consumidores na limpeza das casas e estabelecimentos comerciais, evitando o avanço da contaminação da doença.

Quem quer fazer melhorias nos seus lares ou negócios encontra tintas, luminárias; já quem precisa montar um home office ou adaptar um ambiente para trabalhar remoto pode escolher prateleiras, nichos.

Até quem precisa ocupar o tempo livre pode descobrir boas ideias seja em um home center ou em uma loja de bairro.

Com ou sem lockdown, como é o caso do Estado do Paraná, o setor se mantém na lista de atividades essenciais e as lojas permanecem abertas e seguindo todas as recomendações de segurança sanitária para garantir a saúde de clientes e colaboradores. Isso significa uma alívio para muita gente que precisa desde uma fechadura, massas para evitar goteiras, resistências, chuveiros, soluções em hidráulica para encanamentos, caixas de descarga, torneiras, caixas de água, ferramentas para profissionais e empresas necessárias pra a conservação de condomínios e prédios, entre outros.

Além da manutenção, as lojas de materiais de construção se mostram essenciais no momento de reparos emergenciais. A tempestade e a ventania que atingiram regiões do Estado no início desta semana provocaram estragos e levaram ao aumento significativo da procura por telhas, lonas, madeiras, encanamentos, portas, janelas, cabeamentos elétricos, lâmpadas e itens de iluminação.

Embora o futuro seja incerto, com expectativa de medidas mais rígidas e sem data para recuperação econômica do País, o Covid-19 deve marcar toda uma geração e o varejo de materiais de construção está alerta para atender demandas da população e atento para seguir atendendo com qualidade e responsabilidade.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião