A UNILA recebeu, nesta segunda-feira (07), quatro veículos doados pela Receita Federal. Os automóveis – duas Hilux e dois Voyage – serão utilizados, principalmente, para atividades de ensino e de pesquisa dos cursos de graduação e pós-graduação da Universidade.

“Esta é uma demanda que surgiu da nossa comunidade acadêmica e que foi atendida com sucesso pela Receita Federal, consolidando a parceria entre as instituições. É uma conquista fundamental para o nosso Instituto Latino-Americano de Tecnologia, Infraestrutura e Território (ILATIT), que poderá potencializar as pesquisas na área de combustíveis, com foco na inovação tecnológica e na sustentabilidade”, salienta o reitor da UNILA, professor Gleisson Brito.

Dois dos veículos doados serão utilizados para testes com biocombustíveis – como etanol, biodiesel, biogasolina e gasolina sintética – , produzidos pelo Laboratório de Biocombustíveis da UNILA.

Os outros dois automóveis deverão ser desmontados para construção de quatro bancadas didáticas. De acordo com o professor Ricardo Hartmann, integrante do Grupo de Pesquisa em Mobilidade e Matriz Energética, os novos equipamentos permitirão realizar experimentos laboratoriais com motores, sistema estrutural de veículos, sistema de injeção eletrônica, controle térmico de veículos e edificações, entre outros testes relacionados com eletrônica e controle.

“Tudo isso fortalece os programas de graduação e pós-graduação de engenharia e biotecnologia da UNILA. Além disso, permite ampliar o escopo de atuação no ensino, pesquisa e extensão e, consequentemente, a atuação da UNILA na região, inclusive junto com outros países latino-americanos, como é a sua missão”, explicou o docente.

UNILA recebe doação de carro da Receita Federal
Foto: UNILA.

Os equipamentos serão utilizados principalmente em atividades laboratoriais dos cursos de engenharia que estejam relacionadas com a parte automotiva (como Engenharia de Energia, Engenharia Física, Engenharia Química e Engenharia de Materiais), além de cursos que abordam o desenvolvimento de biocombustíveis, como a carreira de Biotecnologia.

Comentários

Deixe a sua opinião