Com a chegada de um novo ano, ainda em meio a pandemia, uma das grandes dúvidas dos moradores é com relação a volta às aulas presenciais em Foz do Iguaçu. Para saber mais sobre isso, a 100fronteiras entrou em contato com a secretária de educação de Foz do Iguaçu professora Maria Justina da Silva que tirou as principais dúvidas sobre o assunto. Confira:

100f: Qual a previsão da volta às aulas presenciais em Foz do Iguaçu?

Maria Justina: A previsão de retorno das aulas da rede municipal é dia 1º de março.

100f: Essa previsão contempla as escolas públicas e privadas ou apenas públicas?

Maria Justina: A Secretaria Municipal de Educação cuida apenas das escolas municipais, acredito que as privadas devem utilizar o decreto em vigor que permite o retorno presencial seguindo todas as normas.

100f: Esse retorno é apenas para a rede municipal ou estadual também?

Maria Justina: O Estado está divulgando que retorna dia 18 e os municípios precisam decidir o que fazer, por enquanto estamos trabalhando com a data do dia 1º de março, mas ainda dependemos de documentação do estado, saúde, vigilância.

100f: Como será o calendário escolar, já tem ideia?

Maria Justina: O calendário oficial que temos hoje inicia dia 05 de fevereiro. Cumprindo os 200 dias e 800 horas terminaríamos dia 18 de dezembro. Caso não possamos retornar pode ter alterações.

100f: O que irá mudar neste ano em comparação com os demais, por conta da pandemia?

Maria Justina: Em termos de aulas se voltarmos será híbrido, com sistema remoto e presencial. Quanto a planejamento já estamos adequados para revisão no primeiro trimestre dos conteúdos básicos de 2020 e só após entrar nos conteúdos de 2021.

Estamos licitando tablets para os professores e alunos do 5º ano para auxiliar as aulas, pois mesmo sendo pandemia teremos a Prova Brasil. Apostilas de revisão também serão disponibilizadas para todas as séries. Formações técnicas específicas para cada área para os professores auxiliando no trabalho além de evidenciar ainda mais o trabalho de reforço do contraturno.

100f: O que os pais precisam saber sobre a segurança dos filhos e a nova rotina escolar?

Maria Justina: Os pais precisam auxiliar a escola orientando os alunos sobre a importância dos cuidados e utilização dos equipamentos de proteção.

100f: Quais protocolos de segurança os alunos deverão seguir? E os professores?

Maria Justina: Existe o protocolo de retorno que foi elaborado por membros da educação, saúde, vigilância, pais, sindicatos onde constam todos os equipamentos necessários tanto dos alunos quanto dos funcionários e professores bem como regras de distanciamento dentro do espaço escolar.

100f: Sobre o ano letivo de 2020, como ficou? O calendário seguiu normalmente ou será retomado nesse ano? Poderia explicar?

Maria Justina: Fechamos o calendário cumprindo as 800 horas, mas referente aos conteúdos serão retomados e revisados durante os próximos anos iniciando em 2021.

100f: Acredita que será possível seguir com o calendário escolar normalmente neste ano?

Maria Justina: Acredito que o retorno das aulas vai acontecer presencialmente de forma híbrida com consentimento dos pais, observando grupos de risco. Com a vacina sendo aplicada aos poucos acreditamos que a rotina que tínhamos poderá retornar as nossas escolas. Mas sabemos que poderá ser dessa forma só em 2022, então vamos nos adaptando e buscando alternativas para trabalhar da melhor forma possível sempre lembrando que o ensino público precisa oportunizar para que todos os alunos possam fazer parte das atividades.

100f: O que mais tem a acrescentar sobre esse assunto?

Maria Justina: Estamos com reuniões com os secretários da região oeste para tomarmos a melhor decisão em conjunto com os municípios, bem como os prefeitos também terão reuniões sobre o assunto. Sabemos que o principal é preservarmos o máximo a saúde e a vida dos nossos alunos e familiares.

VOLTA ÀS AULAS COM SEGURANÇA

De acordo com informações divulgadas pelo Governo do Estado do Paraná, a Secretaria de Estado da Educação e do Esporte investiu R$ 5,9 milhões na compra de materiais de proteção para os mais de 2 mil colégios da rede estadual que se preparam para iniciar o ano letivo com segurança.

Entre os materiais adquiridos estão 21,8 mil galões de 5 litros de álcool em gel; 25,1 mil galões de 5 litros de álcool líquido 70%; 6,9 mil termômetros; 31,7 mil dispensers e 16,3 mil macacões para equipes de limpeza. Além disso, 2,1 milhões de máscaras de tecido serão entregues aos estudantes (duas para cada). 

Espaço publicitário

ALEP Covid 19
Patrícia Buche

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Diálogos 100fronteiras

5 Comentários

Deixe a sua opinião