Os estudantes do curso de Ciência da Computação da Unioeste – Foz participam no próximo sábado (08) de outubro de 2022 na cidade de Campo Mourão da Fase Regional da Maratona de Programação. A Unioeste estará representada na competição com cinco equipes, coordenados pelos professores Antonio Marcos Massao Hachisuca e Eliane Nascimento Pereira.

A Maratona de Programação é um evento da Sociedade Brasileira de Computação que existe desde o ano de 1996. O evento teve início através das competições regionais classificatórias para as finais mundiais do concurso de programação, se tornando a parte da regional Sul-americana do concurso. Neste ano ocorre a 27ª edição da Maratona.

A competição é disputada em equipes compostas por três alunos, que tem à sua disposição apenas um computador e material impresso para tentar resolver durante cinco horas o maior número possível dos problemas que são entregues no início da competição. Os estudantes devem entender os problemas, realizar testes e construir as soluções que sejam aprovadas pelos juízes da competição.

Na Fase Zero da Maratona de Programação que ocorreu no dia 24 de setembro de forma online, a equipe Strerror da Unioeste – Foz do Iguaçu, ficou entre as 100 melhores do país, onde estiveram disputando com mais de 300 equipes nacionais.

O estudante Gustavo Teixeira Ayala, comenta que foi a primeira vez da equipe participando da Maratona de Programação, e que o resultado foi muito gratificante. “Especialmente considerando a quantidade de participantes e o nível de dificuldade dos exercícios. Na próxima fase esperamos poder manter a nossa performance, mas principalmente buscamos aprender para maratonas futuras, pois pelo fato dela ser presencial, exigirá mais ainda da equipe”, diz Ayala.

Para o professor Antonio Marcos Massao Hachisuca os alunos que participam da competição demonstram uma capacidade maior na resolução de problemas computacionais, o que reflete nas disciplinas do próprio curso. “Nas competições há a participação de acadêmicos de outras instituições, o que permite uma competição sadia entre os acadêmicos e consequentemente uma melhora na qualidade dos cursos das diversas instituições”, diz o professor.

“Para o curso de Ciência da Computação está é uma das competições mais importantes, pois com ela podemos avaliar o grau de conhecimento técnico dos nossos alunos e uma oportunidade de iteração com outras Universidades, professores e acadêmicos. E para os acadêmicos uma oportunidade de testar os seus conhecimentos e uma forma das empresas de TIC terem acesso aos seus currículos, já que quem participa das competições é valorizado no mercado de trabalho”, conclui o professor.

Comentários

Deixe a sua opinião