Para falar sobre a história da APAE nada melhor do que alguém que trabalha lá há 30 anos, dedicando parte da vida em ensinar e também aprender com pessoas com deficiência (PCD). Marilene Aparecida Schardosin trabalha na APAE Foz desde 1992. Iniciou como professora e hoje está na Direção Pedagógica.

Ao longo desses 45 anos de trajetória da APAE ela destaca algumas das principais conquistas da instituição que marcaram a história. “Um deles foi o movimento APAEANO que surgiu da necessidade de reafirmação dos direitos da PCD como o próprio direito natural de existir e de ser. Ao longo de todos esses anos a APAE FOZ participou e participa ativamente no âmbito local do debate público na busca de dignidade e participação social ativa da PCD intelectual, múltiplas deficiências e autista”, explica.

Outra conquista foi o espaço. O primeiro endereço da APAE foi em uma pequena casa de madeira em anexo ao Colégio Bartolomeu Mitre. Depois, em 1992, a APAE mudou-se para a Avenida Paraná, local esse cedido através de uma  concessão do Governo do Estado, onde permanece até hoje.

APAE Foz do Iguaçu

“Em 2021 tivemos uma grande conquista, a doação imobiliária (do prédio e terreno) em que está localizada a APAE, através do esforço e empenho da direção (Claudia Batista dos Santos) e presidência (Leonardo Corrêa Lugon) da instituição, por meio do Governo do Estado, com o Deputado Husseim Backri. Esse avanço é muito importante, pois permite que melhorias e ampliações sejam realizadas. Também em 2021 fomos contemplados com Projeto de Reforma, via Itaipu Binacional, nas duas unidades, tanto na Rua Padre Bernardo Plate, quanto na Rua Avaí, melhorando a estrutura física que estava bem deteriorada”, reforça.

Hussein Bakri - deputado estaudal
Deputado Hussein Backri. (Foto: 100fronteiras)

Além disso, Marilene destaca que entre as principais melhorias, a da conscientização da sociedade quanto à pessoa com deficiência é uma das mais importantes, pois hoje há leis que favorecem e priorizam esse público. Mas ainda há muito a progredir, pois segundo ela, é preciso colocar em prática essas leis e, às vezes, é necessário recorrer ao Ministério Público para que se faça cumprir a lei. “Os maiores desafios que encontramos são de levar dignidade as PCD, principalmente as PCD intelectual, múltiplas deficiências e autistas. Dignidade de forma ampliada, desde o respeito nas relações interpessoais até ações efetivas de políticas públicas”, frisa Marilene.

Como funciona a APAE

Como Escola de Educação Básica na Modalidade Educação Especial, A APAE Foz possui seriação até o segundo ano do ensino fundamental. Atualmente são 495 alunos matriculados, nas fases da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos, resultando em 32 turmas no período matutino e 32 turmas no período vespertino.

APAE Foz do Iguaçu

No Setor da Estimulação Essencial, Marilene explica que são atendidas 250 crianças de 0 a 06 anos, que recebem atendimento de fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, neuro psicopedagogia, médico psiquiatra, serviço social e psicologia. Além do atendimento diurno, também atendem no período noturno, das 17h às 21h. 

Com relação a manutenção da instituição, Marilene explica que há várias fontes de custeio, entre doações, promoções, eventos e convênios. Atualmente possuem convênio com o Governo do Paraná e com a Prefeitura de Foz para apoio na prestação de serviços públicos, na área de educação e saúde, bem como sempre recebem apoio por Emendas Parlamentares de Senadores, Deputados Federais e Vereadores aqui da cidade. Também recebem doações em dinheiro, através de depósito bancário (Agência:0140-6/conta corrente:35220-9 Banco do Brasil) ou PIX da Instituição (77413649000169). Tem um bazar permanente de usados, onde recebem doações que são comercializadas a preços simbólicos para familiares dos alunos e é aberto à comunidade.

“Nossa Entidade é um patrimônio da cidade e um aparelho na busca da promoção e defesa dos direitos da PCD que tenta contribuir ativamente com a melhoria da vida das PCD. Nossa função principal está em defender o próprio direito natural de existir e de ser da PCD, por isso pedimos sempre que a comunidade e a própria cidadania cuidem com muito carinho da APAE FOZ. Não tem com não se APAExonar por esta causa”, finaliza.

APAE Foz do Iguaçu
Espaço Institucional.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião