Estiveram reunidos no Centro Executivo da Itaipu, na Vila A, o general Joaquim Silva e Luna, diretor-geral da Itaipu, o diretor-superintendente do Parque Tecnológico Itaipu, general Eduardo Garrido, o Presidente da ABDI, Igor Calvet e o vice-prefeito de Foz, Nilton Bobato, para a assinatura do convênio do projeto da Vila A Inteligente. Além dessas autoridades estavam também presentes o presidente do Codefoz, Mário Camargo e o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), Alexandre Ramagem.

Autoridades presentes no lançamento oficial do bairro Vila A Inteligente. (Foto: Kiko Sierich/PTI)

O local vai receber soluções inovadoras, abrindo espaço para testes de tecnologias e a consequente melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. O programa faz parte do Acelera Foz, plano de retomada econômica da cidade no pós-pandemia. De acordo com a apresentação, o programa visa contribuir com a qualidade de vida do cidadão, desenvolvendo tecnologias, gerando negócios e melhorando o acesso e disponibilidade dos serviços públicos, que irão favorecer o empreendedorismo, geração de emprego e renda, incentivando startups e empresas de base tecnológica em um ambiente de testes de escala real que servira de modelo pra replicação em outros bairros e outros municípios.

As primeiras implementações serão em quatro áreas temáticas:

Segurança pública

  • Luminárias
  • Reconhecimento fácil
  • Monitoramento de veículos por placas
  • Integração de dados de segurança

Mobilidade

  • Semáforos inteligentes
  • Pontos de ônibus inteligentes
  • Estacionamento inteligente

Ambiental

  • Monitoramento climático
  • Monitoramento ambiental
  • Eficiência energética

Integração com a comunidade

  • App multifinalitário
  • Rede wi-fi pública
O projeto do bairro Vila A Inteligente abrangerá a região em torno da BR 277, Av. Tancredo Neves, Av. Silvio Américo Sasdelli e Av. Garibaldi.

Para viabilizar a implementação da inciativa, a prefeitura municipal de Foz do Iguaçu publicou no dia 25 de junho de 2020 o Decreto nº 28244 instituindo o programa sandbox que regulamenta no município a instituição de ambientes experimentais nas áreas científica, tecnológica e empreendedora, sob o formato de banco de dados regulatórios. O termo sandbox é usado na área tecnologia da informação e corresponde a um ambiente isolado específico para testes de aplicação.

Momento em que o general Garrido assina o convênio, ao lado de Igor Calvet. (Foto: Kiko Sierich/PTI)

O que dizem as autoridades sobre a Vila A Inteligente

O PTI e ABDI contarão com o patrocínio da Itaipu para a implementação do projeto na Vila A.

“Para nós do PTI essa é uma oportunidade muito relevante, em 2019 nós inauguramos nosso laboratório vivo de cidades inteligentes dentro do nosso parque tecnológico, ambiente que reunia algumas tecnologias aplicáveis em ambientes urbanos. Um ambiente bem controlado. Precisávamos retirar desse ambiente controlado para colocá-lo em um ambiente urbano e testar a efetividade dessas tecnologias. Mas não começamos do nada, hoje algumas dessas tecnologias já estão instaladas na Ponte da Amizade, o nosso Fronteira Tech, graças a um trabalho feito pela ABDI, onde luminárias inteligentes fazem o reconhecimento facial e de placas de veículos. Tivemos apoio deles junto com a prefeitura para que fizéssemos nosso decreto sandbox. Então essa parceria que vai se consolidando com a prefeitura tem para nós uma relevância muito grande. E não podemos esquecer do apoio da Itaipu Binacional. O general Silva e Luna desde que aqui chegou tem calcado a atuação naqueles princípios que estão no artigo 37 da Constituição, da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. E sempre tem orientado não só o trabalho de Itaipu, como também das fundações mantidas pela Itaipu para que os recursos sejam entregues de forma a deixar um legado para a cidade e região. Então a Vila A Inteligente é essa oportunidade onde estaremos criando as condições para que a população tenha uma melhor qualidade de vida. Estaremos trabalhando pra disponibilizar tecnologia que poderão ser ampliadas, tudo vai depender da própria interação com a comunidade e do próprio trabalho que nós vamos conseguir desenvolver. Para nós do PTI é uma oportunidade pra cumprir a missão de desenvolver ciência, tecnologia e inovação, gerando emprego e renda pra população da região e com isso estarmos sempre contribuindo para uma melhor distribuição da riqueza”, destaca o general Garrido.

Quem também demonstrou grande felicidade pelo lançamento do projeto foi o presidente da ABDI, Igor Calvet. “Pra nós da ABDI é uma honra e sempre um privilégio voltar a cidade de Foz. Há seis meses estivemos aqui pra lançar o Fronteira Tech, projeto esse que visou uma cooperação nossa com a Receita Federal, PTI e Itaipu, para melhorar as condições na fronteira, principalmente relacionada a aduana brasileira. E agora viemos aqui falar das expectativas pra cidade de Foz, pro Brasil e nossas instituições, pois entendemos que a tecnologia não é um fim em si mesmo, é um meio pra conseguirmos várias coisas. Nós temos que integrar as tecnologias com o cidadão e mais importante que isso, se as tecnologias são importantes pra integrar a vida do cidadão, nós estamos aqui pra integrar as instituições. O bairro Vila A já tem história, foi construído com o apoio da Itaipu há muitos anos para abrigar os trabalhadores que fizeram parte da construção da usina, e hoje ela pode não só fazer parte da história como fazer história sendo o primeiro bairro público inteligente do país”.

Após essas declarações foi feita a assinatura do convenio entre o PTI e a ABDI. O general Silva e Luna, o vice-prefeito Bobato e o Diretor da Abin, Alexandre Ramagem foram testemunhas.

Momento em que o genrela Silva e Luna estava falando. (Foto Kiko Sierich/PTI)

Para fechar, Silva e Luna destacou o papel da Itaipu nesse projeto. “Itaipu faz um papel de guarda chuva nesse processo que está sendo feito, nesse convênio entre o PTI e ABDI. Inicialmente esse tema foi tratado num ambiente confinado dentro do Parque Tecnológico e a agora trazemos aqui pra Vila A. Ficamos muito feliz quando a ABDI elegeu Foz, e mais especificamente a Vila A, pra implantar esse projeto. E aí integrar uma série de atividades que já estamos executando, eu diria que a grande ação da cidade inteligente é integrar coisas que existem e dar qualidade a ela e colocar nessa série de processos inteligência artificial nela, melhorando os processos que integram essas ações. Principalmente a integração com a sociedade, mobilidade, sustentabilidade, segurança, de modo que o cidadão possa melhor desfrutar daquilo que já existe e possa contribuir com ações pra melhoria desse processo. Temos o recurso para ser utilizado, uma parte da ABDI, uma parte de Itaipu. E convidamos a sociedade para contribuir com esse investimento e trazer as empresas de base tecnológica para investir na região e gerar emprego e renda. A ideia de cidade inteligente não é nova, no entanto integrando tecnologia de ponta é o primeiro bairro aberto ao público no Brasil”, finaliza.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Participe da conversa

7 Comentários

  1. Para ser além de Bairro Inteligente deveria também e principalmente ser Bairro totalmente Auto suficiente” energeticamente através de uso de energia solar que é o desafio imediato mundial. Há ambiente “PeopleWare “ no PTI com suporte da Academia , ou seja, há imensa massa crítica Tecnológica disponível .
    “ ITA e MIT atenção que lá vem o PTI !“
    Ricardo Pamplona

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião