A pandemia mudou muitas coisas na vida dos brasileiros. Ser “pego de surpresa” por um vírus invisível e mortal, que afetou o mundo todo, fez com que as pessoas desacelerassem e olhassem a vida com mais calma. Fez os abraços serem mais calorosos, pois na ausência de um, as pessoas viram a importância de estar perto de quem se gosta; fez o sorriso com os olhos ser importante, pois com a máscara cobrindo a boca, eram eles que conversavam com as pessoas.

E se mudou o sentimento, mudou também a preocupação quanto ao futuro. Com a insegurança em relação a manutenção dos empregos, as pessoas perceberam a importância de ter uma poupança para ajudar nas situações de emergência e também fez crescer a procura por seguros de vida, saúde, residencial e empresarial.

Segundo uma pesquisa de maio de 2021 da Superintendência de Seguros Privados (Susep), a procura por seguro de vida entre jovens subiu mais de 120% nos dois primeiros meses do ano passado. Além disso, houve um aumento em todo o país na contratação de seguros de 11,4% em 2021, em comparação ao mesmo período de 2020.

Aqui na região oeste do Paraná, não foi diferente. Segundo dados levantados pela Cooperativa Sicredi Vanguarda, com relação ao seguro de vida, em 2021 houve um crescimento de 15,40% na procura pelo serviço. Só na categoria de tranquilidade financeira houve um crescimento de 11,02%. No quesito indenizações, durante a pandemia houve um crescimento de 268%, um número muito expressivo, mostrando o impacto que o coronavírus teve na vida financeira das pessoas.

seguro de imóvel

Benefícios de contratar um seguro

Mas apesar desse expressivo aumento durante a pandemia, a procura por contratação de seguros nem sempre faz parte da rotina dos brasileiros. Hélio João Bernartt Junior, gerente de desenvolvimento de negócios da Sicredi Vanguarda, explica que na linha da educação financeira o mercado fomenta a importância de guardar dinheiro, mas não fomenta a importância de garantir ou proteger aquilo que já foi construído.

Por exemplo, o seguro residencial ajuda-nos a proteger a casa e o que temos dentro dela, como máquina de lavar, notebook, entre outros. Se pensarmos primeiramente em assegurar o que conquistamos e isso vier a sofrer danos, não precisamos tirar o dinheiro da poupança, o seguro irá cobrir. Então, se eu pudesse dar um conselho pessoal financeiro, seria esse: primeiro proteja o que você tem, e organize seu orçamento para poupar.

Helio Jr, gerente de desenvolvimento do Sicredi
Hélio João Bernartt Junior, gerente de desenvolvimento de negócios da Sicredi Vanguarda.

Outro importante benefício é o seguro tranquilidade financeira, que foi criado para proteger o associado e sua família caso ocorra uma invalidez permanente total por acidente ou até mesmo a sua morte. O seguro paga as parcelas em aberto do crédito, cartão, cheque especial e consórcio, assim seus dependentes não ficam com a dívida, não comprometendo assim as necessidades básicas da família como alimentação, escola e moradia.

O seguro de vida normalmente ainda é visto com certo preconceito, porque as pessoas entendem que ele remete à morte! Isso acontece porque, normalmente, as pessoas imaginam que só terão acesso ao valor da apólice depois de morrer. Nos seguros do Sicredi, existem benefícios que podem ser utilizados em vida.

“O seguro de vida tem coberturas que podem ser usadas em vida, como invalidez por acidente ou doença e diagnóstico de doenças graves (câncer, infarto, AVC, transplante de órgãos, insuficiência renal). Então ele é cheio de benefícios que contribuem para a vida das pessoas, é um amparo em momentos difíceis da vida, assim como foi durante a pandemia, onde muitas pessoas precisaram acionar o seguro”, reforça Dieison Willian Alievi, analista de produtos e serviços.

Outro benefício com relação ao seguro de vida, é que o segurado também tem amparo no âmbito global dentro das coberturas contratadas no seguro, como assistência funerária, translado e acidentes.

Dieison também destaca que a pandemia acabou agilizando alguns processos burocráticos por parte das seguradoras. Um desses facilitadores para o mercado segurador foi a assinatura eletrônica para boa parte dos processos, desde a contratação até a regulação de sinistro. “Durante a pandemia o autosserviço foi uma das novidades presente no dia a dia dos segurados, como as vistorias de contratação e sinistros on-line, agilizando o processo de regularização, nesse cenário pós-pandêmico as seguradoras devem aumentar ainda mais a disponibilidade para outros tipos atendimentos. Também estão ampliando as formas de pagamento para cartão de crédito e desenvolvimento para pix, resultando em benefícios que vem para fomentar as opções de parcelamento do mercado em 2022”.

Peculiaridades de viver na fronteira e a importância do seguro

E se contratar um seguro é uma forma de prevenção dos bens já existentes, para quem vive na região oeste do Paraná isso deveria ser essencial, pois a região é muito peculiar devido à proximidade fronteiriça com dois outros países, Argentina e Paraguai.

Um estudo climático da University of Leeds, do Reino Unido, destacou que a região da fronteira tem uma forte tendência a mudanças climáticas que incluem temporais e alagamentos. De acordo com esse estudo os danos causados por inundações, tempestades, granizo e vendavais resultaram um pouco mais de 40 milhões de dólares durante o período 2013-2017 nas três cidades da fronteira Foz do Iguaçu (Brasil), Puerto Iguazú (Argentina) e região metropolitana de Ciudad del Este (Paraguai). Os danos causados pelo granizo representam aproximadamente 18 milhões de dólares para as três cidades, cerca de 25% dos danos foram relacionados a vendavais e os demais a inundações e tempestades.

Na região existem seguros residenciais e empresariais que tem cobertura para eventos climáticos como vendaval e granizo, além daqueles sinistros causados por incêndio, danos elétricos, impactos de veículos, furtos e roubos.

Agora imagine viver aqui na região e não ter seguro dos seus bens, como casa, automóvel e vida?

Dados do Sicredi mostram que as pessoas que vivem aqui na região têm a preocupação de um seguro específico voltado ao automóvel, a Carta Verde. Ela garante cobertura em caso de sinistro em todos os países membros do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai), contemplando o veículo do segurado e os danos causados a terceiros, pois o seguro Carta Verde ampara os danos materiais e/ou corporais. Para isso, a pessoa deve ter em mãos o certificado do seguro impresso em folha A4 de cor verde, conforme parágrafo único do artigo 1º da Circular SUSEP Nº 10/95.

Com isso, as vantagens de contratar um seguro são enormes, o que falta é conhecimento e conscientização por parte das pessoas para que não esperem uma tragédia acontecer e só então pensarem em proteger seus bens e sua vida.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

1 Comentário

Deixe a sua opinião