Diretora geral do Parque das Aves fala sobre a Mata Atlântica

229

Como você recebeu a notícia de que o The New York Times indicou a Mata Atlântica como destino turístico para 2020?

Ficamos honrados que a Mata Atlântica, casa de mais de 70% da população brasileira, tenha sido escolhida como um dos 52 lugares no mundo sugeridos para serem visitados em 2020. E o que nos deixou mais admirados é que a Mata Atlântica foi o único destino brasileiro a ser indicado pela publicação norte-americana. Essa escolha nos traz uma felicidade muito grande, mas vem carregada da responsabilidade de preservar e cuidar da nossa casa, da nossa Mata Atlântica.

Você acredita que as ações dentro do Parque das Aves podem ter ajudado a projetar a Mata Atlântica para o nível mundial, a ponto de ser escolhida como um destino internacional de visitação?

Fazemos parte de uma onda recente de iniciativas grandes em prol da Mata Atlântica. Entre instituições e parceiros que admiro muito, a maior dessas iniciativas é a Grande Reserva Mata Atlântica, que está conseguindo alavancar o turismo da região de Mata Atlântica do litoral brasileiro em favor da conservação de espécies de uma maneira muito redonda e bem-conceituada. E vejo eles como os principais responsáveis por essa escolha.

Mas temos nossa parcela de contribuição. Há três anos, o Parque das Aves, um dos atrativos mais visitados do Paraná e do Brasil, mudou seu branding e temática educativa para falar exclusivamente sobre a Mata Atlântica e suas espécies. Pela primeira vez na história da Mata Atlântica foi criada uma experiência com trabalho educativo maciço e interpretação completa, minuciosamente testada e implementada, que leva, hoje, perto de um milhão de turistas por ano por dentro de trilhas em meio à Mata Atlântica. Não existe nada igual em termos de tamanho, muito menos em termos de qualidade e imersão educativa no Brasil ou no mundo. E tudo isso só foi possível porque Foz do Iguaçu tem as condições perfeitas e abriga o maior remanescente de Mata Atlântica de interior do Brasil.

O que a Mata Atlântica representa para você?

A Mata Atlântica é o bioma que abriga 12% de todas as espécies do planeta, mas restam apenas 150 mil km² de sua área original. Ou seja, ela é quase incompreensivelmente importante para a vida no planeta, mas já desmatamos 91,5% de suas florestas.

Quando cheguei ao Brasil não sabia sequer o que era a Mata Atlântica. Hoje tenho este grande presente, que a vida me deu de maneira aleatória, de fazer parte de algo significativo. Um presente ainda melhor foi a experiência de ver lideranças do parque, e a equipe como um todo, juntando-se com coração e expertise à causa. Pessoalmente, minha fé nas pessoas ficou renovada. A gente vai fazer uma diferença, sim. Temos expertise em conservação, biologia, veterinária, turismo, criação de experiências, marketing, comunicações, educação, construção sustentável… e é algo absolutamente lindo uma equipe de 254 pessoas e famílias se juntar para lutar em prol de algo tão pouco conhecido, mas tão significativo. Sinto-me imensamente feliz de poder servir esse bioma importantíssimo, junto com muitas outras pessoas.

“A morte é o fim da vida, mas extinção é o fim do nascimento. Salvar uma espécie é algo difícil e um privilégio de poucos.”



Formada em Jornalismo (UDC) e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas (Unila), atualmente é jornalista e editora na Revista 100fronteiras.


Deixe um comentário